Categorias
Resenha dos Jogos

Análise da arbitragem R05

por Danilo Cersosino

A 5ª rodada do Paulistão 2008 teve de tudo um pouco e pra nós Palmeirenses o assunto é recorrente: Valdívia.

Não
vou nem culpar o árbitro pela derrota, posto que eu teria dado pênalti
do Leandro no atacante do Ituano, assim como teria dado pênalti no
Valdivia [boa parte da imprensa concorda com o pênalti no Valdívia e
viu como lance normal o suposto pênalti no atacante adversário].

O
árbitro Claudinei Forati Silva parece ter entrado em campo com alguma
instabilidade, talvez fruto da gritaria bambi após o gol anulado do
Adriano. Além disso, o chileno foi amarelado e novamente o Luxemburgo
está a reclamar com o comando da arbitragem. Com razão, na minha
opinião.

“O coronel Marinho é um pessoa que veio do Exército e
não precisa ficar dando satisfação em público, como fez após o
clássico. As declarações dele foram inoportunas e deixaram um ambiente
de instabilidade, que influenciou negativamente na arbitragem de
Palmeiras e Ituano”, sentenciou Luxemburgo em nota divulgada pela
Assessoria de Imprensa do Palmeiras.

Ao final do jogo, Vanderlei Luxemburgo cobrou do comando da arbitragem mais imparcialidade com o nosso capitão:

“Eu
já conversei com o meu jogador e ele mudou. Nesta quarta, ele sofreu
mais um cartão amarelo em decorrência de uma imagem criada no passado.
Mas isso acabou. Agora, é o coronel Marinho que precisa prestar mais
atenção no comportamento do Valdivia. Os atletas não são padres. O
Valdivia é o meu capitão e tem todo o direito de falar em campo. A
conversa faz parte do jogo e é isso o que tem acontecido. Mas eles
[árbitros] continuam sem entender”.

Ponto para o treinador, que
já no início do campeonato sinalizava as cobranças que vem fazendo para
a mudança de comportamento do jogador, mas que agora também cobra da
arbitragem e seu comando uma mudança de postura em relação a isso.

Infelizmente
tal apelo parece ter entrado por um ouvido e saído por outro, dada a
pouca consideração do Coronel Marinho frente aos pedidos do nosso
técnico.

Eu só queria salientar aqui que concordo que o Valdívia
não é um jogador fácil, mas taxá-lo de cai-cai, puni-lo a todo jogo e
não marcar falta sobre ele me parece injusto. Repito: o Dagoberto é
muito mais “cavador” de pênaltis que o chileno e não vejo o Arnaldo
César Coelho e os garotos do SporTV rotulando-o de maneira pejorativa.

Portanto,
vamos seguir uma lição que está de volta em 2008: o veto aos árbitros.
O SPFW conseguiu vetar árbitros durante o Brasileirão 2007, fazendo a
gritaria no início do campeonato. Coincidentemente não teve nenhum
lance duvidoso contra si [muito pelo contraio…]. Agora, eles repetem
a dose e conseguiram vetar o péssimo Sálvio Spinola dos seus jogos,
apesar das negativas da FPF e do Coronel que dirige a arbitragem.
Veremos.

Fato é que, com o veto a árbitros, o SPFW cria uma
pressão contra qualquer um que vá apitar seus jogos, posto que esses
não querem ir pra geladeira ou apitar na segundona como castigo. A
partir de agora, vão nadar de braçada no Paulistão. Abre o olho
Palmeiras!