Categorias
Italiano

Lega Calcio 26 rodada


Per Carmine Stefania

No
dia em que a meu amado Palmeiras demonstrava ao “Rio Tietê”,  e
indiretamente às outras esquadras, o seu valor,  aliviando aqueles
palestrinos perplexos pelas últimas exibições (eu confesso: na verdade
eu também pequei), ed da última confirmou sua reentrada para a lista de
candidatos ao título de campeão do paulista, na Itália se confirmava o
crime de “lesa magestade” ao time da Inter de Milão.

Com
um público espetacular (60.000 entuaisasmados espectadores) que
lembrava a epopéia Ma.Gi.Ca, o trio de ataque  Maradona, Giordano e
Careca, convida a Inter a um sabor amargo de derrota, a primeira depois
de 31 partidas do Campeonato, uma derrota merecida que, oficialmente,
deixou aberta a luta pelo título.

A estratégia do
técnico Neapolitan Reja pôde desenvolver-se na totalidade: uma defesa
cuidadosa, um meio-campo que asfixiou o adversário e, sobretudo,
rapidez nos contra-ataques, confiando na velocidade e força física do
argentino Lavezzi, bem apoiado por Zalayeta que, aproveitando-se de um erro incrível de Julio Cesar, deu ao Napoli uma vitória merecida, como esportivamente reconheceu Mancini.

Méritos
do Napoli, cujos torcedores apaixonados viram nesta vitória uma
esperança de retornar para a elite e lutar novamente por títulos. Este
torcedores confiam nas palavras do presidente e do produtor
cinematográfico De Laurentiis, que promete investimentos fortes e
títulos, mas principalmente na maestria e competência do trabalho de
Pier Paolo Marino, o atual gerente geral.

A
Inter nunca desistiu: os “azul e negros” estavam irreconhecíveis, um
time sem personalidade, com um jogo previsível e lento, sem energia e
lucidez. Poderiam ter jogado outras 3 horas mas o resultado não seria
diferente: não era dia da Inter! E ainda tem que agradecer a Julio
Cesar que evitou uma contagem mais pesada, com  participações decisivas.  

Certo,
á uma atenuante: Mancini encontra-se por muito tempo com um elenco
reduzido, por causa de sérias contusões, primeiro com Dacourt, e depois
com Stankovic, Materazzi, Maicon, Figo e Vieira (esse já voltou mas não
está perfeitamente recuperado do ponto de vista físico) depois Samuel e
Cordoba. Sem esquecer Adriano (mas em seu caso o acidente não é
muscular mas “na cabeça” e por este motivo é atualmente hóspede dos
“bambis”). Além disso a Inter teve que ultimamente renunciar à estrela
de Ibrahimovic que nos últimos tempos acusa os problemas físicos e que
alguns atletas, como Cambiasso e Zanetti, neste momento se encontram
exaustos.  Conseqüentemente mais do que do que
escolhas lógicas ou técnicas, Mancini compõe a formação da Inter
baseando-se nas condições físicas do elenco.   

Por
outro lado Roma está a 6 pontos da líder e para a Inter, mais do que
preocupar-se com a partida pela Copa dos Campeões contra o Liverpool
(objetivamente a classificação parece impossível considerando a força
do time inglês além do péssimo momento interista), Mancini deveria
preocupar-se em consolidar sua posição e evitar o ataque de Totti &
e cia.

E o que mais produziu a 26° rodada do Campeonato Italiano 2007-2008?

O
Milan, com a eliminação da Copa dos Campeões pelo Arsenal, viu sua vida
mais complicada após a vitória da Fiorentina sobre a Juve. O clube que
que mais ganhou títulos no mundo se encontra agora em delicado 4°
lugar, última posição na classificação para conseguir o acesso direto
às edição da Champios League 2008-2009.

E
com isso a briga pelo Champions League aumentou após a vitória da
Fiorentina sobre a Juve.  Há de se considerar o importante passo dado
pela Fiorentina que consolida o 4° posto na classificação ao derrotar
uma desordenada e previsível Juventus, dentro de Turim; com  Del Piero
e Trezeguet irreconhecíveis.

Por
outro lado, Ancellotti se declara otimista e afirma que seu time, pelo
valor de seus atletas e pelo prestígio do clube, conseguirá recuperar o
tempo perdido e conquistar no campo o direito de participar da próxima
edição do campeonato mais importante da Europa.

E
por fim não é possível não comentar a última “obra” de Cassano: a 4
minutos do fim do jogo em Turim, após empatar (2 x 2),  fez a enésima
“cassanata” um show deprimente, com tentativa de agressão, ameaças
verbais e a camisa atirada para o árbitro. Tal comportamento não pode
ser tolerado e provavelmente a punição será forte por parte do tribunal
esportivo.

Salute!