Categorias
Meninos Eu Vi

Inspiração com Jair Rosa Pinto

Rafael Garcia me indicou esse post.


O blog do Torcedor do Palmeiras (que eu já conhecia), do Roberto Galluzzi Jr., do globoesporte.com, ( http://globoesporte.globo.com/ESP/0,,GEN643-6081,00.html ) publicou um post contando rapidamente a história do jogo de 1950 em que o Palmeiras bateu o São Paulo. Na foto, aparece Jair Rosa Pinto clamando raça! A história foi passada ao blogueiro pelo Jota e a imagem é do brilhante site Palestrinos (http://palestrinos.sites.uol.com.br/Galeria_Fotos/00-Indice_fotos.htm). Essa foto pode ser apreciada em tamanho “quase” natural no saguão do Setor Visa. A imagem é inspiradora. O Jota conta sobre a história, mas não quer falar muito prá não “estragar” um “causo” que algum dia será publicado por aqui:



O campeonato paulista de 50 – Campeonato do Ano Santo – avançou para o começo de 1951, mas isso com certeza não foi motivo de grandes discussões em parte das casas paulistas.


A não ser na casa dos palmeirenses, ainda lambenedo as feridas de 42 quando tentaram tomar o patrimônio e o título do então Palestra, que morreu líder mas deu à luz ao campeão Palmeiras, todas as outras torcidas davam o campeonato de futebol como decidido. Só um milagre mudaria o campeão.


O time das muitas cores, com Sede que tinha sido “adquirida” dos alemães durante a guerra, era dado (epa!) como campeão. Valendo dois pontos por vitória, eles tinham 5 pontos de vantagem sobre o Palmeiras e lhe restavam 4 partidas para o fim. A última seria contra o ex-Palestra Itália, isso lhes causava calafrios e tremores, mas a vantagem era tanta que seria impossível eliminá-la.


Valeu a tremedeira, e o amarelão nào esperou para aflorar (epa! novamente), o time dos pipoqueiros (eles mesmos assumiam esse apelido) fracassou diante do Guarani – pudera! o time campineiro jogou de verde – perdeu do Ypiranga e do Santos, dois gols de Odair, e de “campeão antecipado” ficou um ponto atrás do Palmeiras, com quem jogaria no domingo, dia 28 de janeiro.


Forte chuva tornou o campo um lamaçal.


Logo no começo Teixerinha marcou; eles começaram as comemorações, só que a partir daí o Palmeiras tomou conta do jogo e buscou o empate o tempo todo.


No intervalo Jair Rosa Pinto exige, aos gritos, garra dos seus colegas. Oberdan e Turcão abraçam-se ao Jajá da Barra Mansa e voltam parao segundo tempo com a faca nos dentes, coraçào na botina e alma palestrina.


Quem resiste!


15 minutos Jair lança pelo alto, Mauro Ramos de Oliveira que primava pela elegância, no vestir talvez não querendo sujar o uniforme, salta pouco, é encoberto pela bola e que para na poça da dágua em frente ao goleiro Mário.


Aquilles, um torcedor palmeirense que jogava com a camisa 9, veloz, chega na bola e chuta com toda força palestrina empatando o jogo.


O milagre acontecera, afinal era o campeonato do Ano Santo! Jota Christianini


Precisa falar mais? Saudações… faltam menos de 21 horas…