Categorias
Futebol com Números

Futebol com Números i: é a Final

Por Luís Fernando Tredinnick; indicadores footstats

Depois do jogo absolutamente ridículo de quarta-feira, só me resta acreditar que realmente os jogadores estavam pensando nesta Final! Acho que realmente é isso! Focaram na decisão de domingo e não se esforçaram muito. Honestamente acho que talvez tenha sido melhor, uma vez que assim os jogadores irão focar em GANHAR o Brasileirão! Se ganhássemos a Copa do Brasil poderíamos ter os jogadores naquele “nível de animação” que vimos contra o Sport durante 38 rodadas…

De qualquer modo, vamos analisar o que mudou no modo de jogar dos dois FINALISTAS do Campeonato Paulista! Na semana passada vimos os que os jogos das semi-finais realmente foram diferente dos da primeira fase. Como foi o primeiro jogo da final?


1. Finalizações
Apesar do Palmeiras ter finalizado menos do que na primeira fase e durante a semi-final, melhoramos a pontaria. Isso se deve ao fato de termos utilizado mais o contra-ataque no primeiro jogo, o que permitiu aos nossos jogadores melhores condições para chutar para o gol.



Já a Ponte, que precisou reverter o placar desfavorável, finalizou mais do que nos jogos da semi-final, mas quando precisou criar situações de gol sem contar com o contra-ataque, piorou bastante sua pontaria.

2. Dribles
Contando com o contra-ataque, não precisamos driblar tanto, ao contrário da Ponte que precisou utilizar esse recurso. Mas os dois times tiveram uma piora na % de acertos. O nervosismos de uma decisão realmente faz diferença.

3. Passes
Novamente, uma vez que o contra-ataque era nosso, nosso jogadores trocaram bem menos passes. Trocamos quase 80 passes a MENOS do que nos jogos da primeira fase, uma diminuição de 22%. Já a Ponte precisou ficar trocando passes para tentar achar uma brecha na nossa defesa.

4. Faltas
Cometemos um pouco mais de faltas do que estávamos acostumados, e a Ponte cometeu bem menos faltas. Claramente os times que jogam na defesa acabam cometendo mais faltas.

5. Cruzamentos
Interessante notar que para os dois times, quando os jogos se tornam mais decisivos, o número de cruzamentos aumenta! E só se acerta um de cada 5 cruzamentos.

6. Desarmes
No primeiro jogo da Final realizamos INACREDITÁVEIS 63 desarmes! A Ponte conseguiu realizar apenas 20! A dedicação ao sistema defensivo é evidente quando se percebe que também acertamos 91% dos desarmes, contra 80% da Ponte. Observem como os números do Palmeiras aumentaram em relação à semi-final, enquanto os do Ponte pioram. Nada como jogar na defensiva.


Conclusões

O nervosismo o regulamente e o gol no início do jogo realmente influenciaram o modo de jogar das duas equipes. Enquanto o sistema ofensivo teve resultados semelhantes para os dois times, o sistema defensivo fez toda a diferença no resultado da partida. Como podemos perder até por um gol de diferença, precisamos apenas de um desempenho semelhante da nossa defesa para sermos CAMPEÕES!

Mas como eu acredito no nosso ataque, acho que iremos repetir o placar e ganharemos por 1 x 0! Quem sabe gol do Valdívia?

POST A SER CONCLUÍDO E PUBLICADO NA TARDE DESTE SÁBADO


Saudações AlviVerdes