Categorias
Notícias

Palmeirenses de verdade e jornalistas que fazem conta

<em>Por Luis Fernando</em>


Aos imbecis de plantão.
 
É aquela história, eu não sei se as pessoas que comentam sobre os resultados financeiros do Palmeiras são caras ingênuos falando bobagem, ou caras mal-intencionados querendo tumultuar o ambiente.
 
Acabei de escrever um post sobre as receitas dos clubes.  E hoje no Lance leio que o clube de futebol do Palmeiras está com um déficit muito elevado para os quatro primeiro meses do mês.
 
Algumas considerações absolutamente primárias precisam ser feitas!
 
1) Ainda não entraram na contabilidade do Palmeiras os valores da premiação do Campeonato Paulista. Estamos falando de R$ 3,5 MILHÕES!
2) Ainda não entraram na contabilidade do Palmeiras o último jogo do campeonato contra a Ponte, cujas receitas foram de cerca R$ 1 MILHÃO! 
3) Ou seja, temos em maio receitas extraordinárias de cerca de R$ 4,5 MILHÕES!
4) Ainda não vendemos nenhum jogador, o que, conforme o post demonstrou, representa mais de UM TERÇO do total de receitas dos grandes clubes de futebol! Se pegarmos os balanços do spfw as receitas deste ano ainda são infinitamente menores do que o do ano passado, então, o spfw estaria em crise?
a. Se vendermos a nossa parte no Diego Cavaliere por cerca de R$ 10 milhões (estou chutando os números) teremos metade das receitas de jogadores que tivemos no ano passado.


Então, qual o motivo para tanta especulação?  Na atual estrutura do futebol, as resultados do Palmeiras estão absolutamente dentro da normalidade, uma vez que as contas só “fecham” com a venda de jogadores. 
 
Ao invés desse pessoal colaborar para melhorar o clube, eles ficam causando mal-estar com factóides e especulações!
 
Precisamos de Palmeirenses de verdade!
 
E também de jornalistas que saibam fazer contas!
 
Saudações AlviVerdes


<em>[ nota deste blogueiro ] Provavelmente o jornalista do Lance teve acesso a um email passado por um Conselheiro de Mustafá Contursi(rodou nas listas da internet) fazendo essa crítica e apontando esse déficit.</em>