Categorias
Notícias

Primeira votação da Arena no COF: 14×1

A votação do COF, de acordo com pessoas contatadas agora à noite, foi
14×1 aprovando o modelo jurídico da Arena (a Marilia Ruiz noticiou
17×1).

Explico melhor: essa reunião do COF, importantíssima,
serve para dar o parecer ao Conselho Deliberativo sobre a formatação
jurídica do modelo. Ela é feita a partir da análise dos advogados e
conselheiros sobre o contrato WTorre e SE Palmeiras.

Mas ela não
quer dizer que o projeto está bem encaminhado. Nessa reunião não se faz
juízo de valor se o contrato, financeiramente ou mercadologicamente, é
bom pro Palmeiras. Apenas avalia-se se o contrato é correto do ponto de
vista jurídico e se não “ofende” os interesses do Palmeiras. E o COF recomenda ao CD se pode votar a favor ou não.

E a resposta foi sim, por 14×1.

Quem votou contra? Mustafá Contursi, eu diria…

Não! Votou contra um conselheiro da ala do Muda Palmeiras. Vejam vocês!

De
acordo com fontes internas, ele não gostou da idéia de que o Palestra
Itália pudesse ter um contrato de Naming Rights (modalidade de mudança
de nome da Arena em troca de um polpudo contrato financeiro).

Ou
seja, votou contra a arena porque em algum momento ela poderá se chamar
Kyocera Arena, Arena Visa, Arena Mastercard, ou qualquer outro nome
(como outrora foi Parque Antarctica).

Tá no direito dele, fazer o quê?

O RESULTADO DO COF É UM BOM SINAL?

Sim, é um bom sinal. Se Mustafá Contursi quisesse bater o pé e mandar um recado, esse seria o momento. Mas não o fez.

Alguns
especulam o seguinte: o ex-Presidente vai liberar seus aliados para
votarem como quiserem. E deixará claro que fez isso pelo bem do
Palmeiras, apesar de discordar do modelo.

Vamos aguardar. Já vi esse filme antes: se vacilar, quem vai ficar pendurado na broxa é Roberto Frizzo.

Mas todo o cuidado é pouco! O preço da democracia é a eterna vigilância, já dizia um ex-político…

Saudações Alviverdes!