Categorias
Notícias

Recolhendo os cacos e refletindo com o Marcão

Depois do vexame deste domingo, e de cabeça menos quente, é hora de recolhermos os cacos e entender o que está errado.

Do lado do torcedor, isso serve para se conformar e voltar a ter esperança do quinto título brasileiro.

Do lado do time e sua comissão técnica, isso serve para refletirem em como fazer o trem voltar aos trilhos.

A frase mais contundente e como sempre verdadeira, simples de se entender e precisa como um bisturi bem manipulado, veio do grande goleiro palmeirense Marcos:

“O time do Palmeiras perdeu o espírito que tinha no Paulista. Nós corríamos mais, tinhamos mais vontade. Não sei quem vai e quem fica, pois ficam falando que tem gente que pode sair e tudo mais. Mas é bom decidir logo, porque está atrapalhando“.

Observando dessa perspectiva, me parece que Marcos está certo. O time que deu um show na semi-final contra o São Paulo de Adriano não pode tomar gol de Roger. O time que fez 5×0 na final contra a Ponte Preta não pode acertar ZERO chute no gol do time reserva do Sport.

O que falta: técnica? Parece que não! Comprometimento? Aparentemente sim.

Se não de todos, de alguns. E talvez dos mais importantes.

A famigerada “janela de transferências” entre julho e agosto é apropriada para os clubes europeus e para os agentes brasileiros, sul-americanos e outros. Mas é péssima para o futebol brasileiro. Impede que um time comece e termine o campeonato com o mesmo grupo de jogadores. Em um campeonato de pontos corridos, os pontos perdidos para o Sport valem a mesma coisa que os pontos a se vencer do Cruzeiro. E os pontos perdidos em junho têm o mesmo valor dos pontos ganhos em outubro.

Mas outro fato que dizem pode estar atrapalhando é a indefinição de Vanderlei Luxemburgo quanto à proposta da França.

Não sei se Luxemburgo ainda pensa na França, mas sendo ele um “macaco velho” no futebol, eu acho que ele não precisaria vir a público dizer que ele tem o direito de rescindir um contrato e ir a outro clube se achar conveniente. Isso é uma verdade absoluta, ninguém tira isso dele.

Mas falar isso, esquenta a possibilidade, verdadeira ou não, de uma transferência. E como estamos em um negócio que depende de “gente”, a influência dessa declaração nessa “gente” (leia-se, “jogadores”) pode ser devastadora para a motivação. Afinal, se o comandante pode sair, se eu posso sair, se o colega ao lado pode sair, prá que estou correndo nessa quente Recife?

Prá se refletir!

O time pode até ser campeão. Tem elenco, comissão técnica, tempo para virar o jogo e tudo mais. Mas não está desempenhando, e por motivos totalmente administráveis.

E alguém tem que se sentar e “lavar os pratos” direitinho com a Comissão Técnica e jogadores. Antes que seja tarde demais para disputar o mais importante título do ano: o Campeonato Brasileiro 2008.

Saudações…

Uma resposta em “Recolhendo os cacos e refletindo com o Marcão”

Tem muito jogador andando pelo campo. Ontem, me senti envergonhado como torcedor. E oq o Marcão disse é a mais pura verdade.
O time tem que reagir JÁ!
Abraços
e parabéns pelo novo site (não costumo comentar, mas entro sempre)

Os comentários estão desativados.