Categorias
Notícias

O outro lado da reunião do Conselho

Já diziam, na guerra a primeira vitima é a verdade.

Recebi alguns emails contestando minha informação sobre o olho clínico do Presidente Della Monica. De acordo com esses emails de pessoas que viram o processo não foi exatamente o Presidente que deu o xeque-mate em Mustafá Contursi mas uma combinação de ações e participações de diferentes atores.

Além disso muitos palmeirenses ficaram preocupados que o aparente consenso fosse fruto de uma aliança entre Della Monica e Mustafá Contursi.

Bobagem!

Portanto segue abaixo uma versão digamos “diferente” do que aconteceu nas duas horas da reunião do Conselho Deliberativo. Para facilitar o entendimento – e dar sempre um ar diferente, com cara de 3VV – vai no estilo do seriado “24 Horas”…

————————————-

OS FATOS A SEGUIR ACONTECEM ENTRE 20:00 E 21:00 HORAS NO DIA DA VOTAÇÃO DA ALTERAÇÃO ESTATUTÁRIA.

20:00

O Presidente Della Monica chegou à reunião e encostou-se numa rodinha onde estavam algumas pessoas, entre eles o Vice Presidente Gilberto Cipullo e o Professos Luiz Gonzaga Beluzzo. O grupo lia o estatuto.

Até aquele momento todos os principais atores do evento – incluindo Seraphim Del Grande, Pescarmona e outras – achavam que bastava a metade mais um dos presentes, para aprovar a alteração estatutária.

O Vice Presidente G. Cipullo defendia a tese da maioria dos membros mais um, ou seja 144. Relembrando, o Conselho Deliberativo (CD) tem 287 membros; outros 12 já faleceram e o Conselheiro Mira renunciou.

Ou seja, até este momento nem o Pres. Della Monica nem outros atores sabiam quantos votos eram necessários para a aprovação.

20:34

Iniciaram a reunião do CD. Enquanto alguns contavam quantos votos tinham em cada lado, pela lista de presença, outros faziam uma contagem no “olhômetro”. De acordo com algumas fontes, não sabiam exatamente para que contavam.

O grupo situacionista chegou à conclusão que eram 160 os presentes, os mesmos que tinham votado sim na vez anterior, e com esse número em mente começaram os trabalhos.

Eram três propostas de alteração estatutária que estavam com a presidência do CD há cerca de uma semana. Uma da SE Palmeiras, uma feita por G. Cipullo e Antonio Augusto (advogado, sócio de Cipullo e também conselheiro) e a proposta de Mustafá Contursi.

O problema é que a proposta da SEP não estava totalmente adequada (dizem as más línguas que estava mal feita). Os motivos de estar mal feita eu me recuso a citar, já que eu sou um defensor da competência acima de tudo…

A segunda, feita por Cipullo e Antonio Augusto, era tecnicamente irrepreensível e rigorosamente igual à terceira, feita pelo grupo de Mustafá Contursi.

Foram para a votação do voto aberto ou fechado.

21:22

Anunciou-se o resultado: 144 x 86. Depois viu-se que esse número estava errado: o correto eram 146 (ainda no dia seguinte havia dúvidas sobre a contagem).

Decidido voto aberto! Haviam duas propostas rigorosamente iguais (retiraram a da Diretoria).

21:45

Nesse instante forma-se outra rodinha. Seraphim Del Grande, Presidente do CD, não percebe a oportunidade e alguém diz com uma clareza macarrônica:

“Seraphim, isso aqui não é Fla x Flu. Nada de uma proposta contra  a outra, para ver quem ganha. Vota a primeira proposta, uma vez aprovada as outras duas seriam desnecessárias.”

Mas Gilberto Cipullo tem outra idéia: retirar a proposta dele e votar a de Mustafá Contursi.

Me explica um palestrino que entende das coisas de emendas e votações: essa é a solução legislativa de praxe. Retirar a proposta de Cipullo/Augusto e votar a emenda de Mustafá colocaria o ex-presidente contra a parede, afinal seria maluquice ele votar contra sua própria proposta. Portanto o bom senso indicava que a votação teria quase a unanimidade.

Chamam o ex-Presidente e o avisam que vão votar a proposta dele.

Mustafá  pondera que votar alguma coisa que parta dele só ia dar confusão na cabeça de todo mundo. Portanto e melhor seria votar como se fosse uma proposta da mesa.

21:50

Um antigo palestrino que pede para ter sua identidade preservada entra no assunto e afirma que na assembléia legislativa, quando isso ocorrem fazem a chamada “emenda aglutinativa”, ou seja reúnem todas as proposta numa só já que o espírito de todas é o mesmo.

21:51

Antonio Augusto é incumbido pelas partes a redigir, ali de pé na mesa, o texto de esclarecimento e ler a alteração.

21:55

O ex-Presidente chama o Piraci Ubiratan e “manda” ele aceitar. Cipullo sugere o mesmo para seu grupo. Quem coloca obstáculos [ nb: incrível ] é o advogado do Palmeiras, Dr. Pedro, que acha problemas ovo na redação final. Rapidamente é convencido.

Antonio Augusto vai ao microfone e diz que aquela é a proposta de conciliação.

Um conselheiro seguindo o script pede a palavra e propõe aclamação.

21:57

Mustafá avisa que no estatuto não consta aclamação; que alguém poderia recorrer posteriormente na Justiça. Assim sendo ele sugere voto simbólico – senta/levanta – [ nb: bem que podiam mudar isso; senta levanta é coisa de bambi ].

22:00

Seraphim Del Grande pede aos que estão de acordo, com  a alteração, que permanecem sentados.

Todos, sem exceção ficam sentados e aplaudem a decisão. O pessoal do Mustafá respira aliviado: não tiveram que colocar seus nomes na história como contrários à mudança estatutária (e consequentemente contra a arena).

22:01

Mudança aprovada por aclamação!

————————-

Mustafá Contursi desejava que alterassem o estatuto de forma que, a partir de agora qualquer nova mudança tenha que passar pelos sócios.

Com isso ele dirigiu a votação para enterrar a pretensão do terceiro ano de Della Monica.

Mustafá é muito hábil politicamente. Ele sabe que em 30 anos de parceria com a WTorre poderá voltar por si ou por indicação de aliado à presidência e precisa estar bem com a WTorre. Além disso vai ser mais fácil dirigir um clube moderno com a arena e baixo custo.

Não há articulação anti-Cipullo ou mais ainda uma aliança entre Mustafá e Della Monica. Aparentemente Mustafá sabia que ia perder e deu um jeito de não perder tudo.

Mas como no Palmeiras as coisas também são folclóricas, o Presidente do COF, conhecido como Clemente fez um discurso inesperado. Defendeu o voto aberto com a seguinte argumentação:

“Aqui no Palmeiras ‘as coisas’  têm nome!”

Só no Palmeiras mesmo…

Saudações…

8 respostas em “O outro lado da reunião do Conselho”

Vivente gostaria de saber a lista dos conselheiros que estao aptos a votar na proxima eleiçao para presidente do clube (pois palo estatuto nessecitam de 8 anos efetivo como conselheiro) e se possível quais desse sao situacionista e quais sao oposicionista e se for mais possivel ainda quis sao do grupo do cirilo e quais sao do muda palmeiras!! peguei pesado né ,mas foi mau é que estou fazendo umas analises sobre a proxima eleiçao do verdao e prcisava saber isso!

Vicente, por favor, me esclareça um ponto:

Mustafá conseguiu seu intento (alteração do estatuto para que toda e qualquer mudança passasse pelo crivo dos sócios)?

Grato pela atenção

Michel

Não podiam simplesmente levantar os braços?
Hehehehehehe
Abs Vicente!

Lélio

Oá Vicente, parabéns por mais esse post, com tantos detalhes e clareza, e sempre com bom humor.

Prezado Vicente.

Mais uma vez tenho que parabenizá-lo pelo excelente trabalho.
A disponibilização de informações digamos, “privadas” do que acontece nos bastidores da política do Clube nos deixa esclarecidos sobre todos os “senões” que envolvem o futuro da SEP.

Falando do Sr. Mustafá, é mesmo um vírus que se contrae quando se senta em uma cadeira com “poder”.
Assim podemos ver a insistência dele em “não largar o osso”.

Claro que em 30 anos, muita coisa poderá mudar, mas espero para o bem do Palmeiras que ele ou alguma “cobra criada” manipulada por ele JAMAIS volte a nos ridicularizar como ele fez por mais de uma década.

Vendo o que acontece nos bastidores, entendo o porque de vc sempre insistir em que os palmeirenses sejam sócios do Clube.

Só assim poderemos trazer sangue novo e reciclar o CD e todos os setores chaves do Clube.
Não fosse tantas picuinhas, acho que nós poderíamos já estar em um patamar muito superior, e com uma história muito mais rica.

Se fomos eleitos o “Campeão do Século”, mesmo ficando décadas sem ganhar um mísero título, imagino se as coisas tivessem sido regidas de forma diferente.

abs

ate la, se deus quiser, esse sujeito ja bateu as botas.
marcelo c lopes

Vicente, com a sua colabaração, daqui a algum tempo estarei decifrando algo do que acontece nos intrincados corredores palestrinos. Até os de Brasília parecem menos complicados, haha. Abraços. Jornalistas que cobrem o futebol deveriam dar uma espiada no seu site antes de falarem besteira.

Oi Vicente tudo bem? Muito esclarecedor seu post. Foi muito gentil de sua parte esse trabalho. Com certeza o seu blog é o mais competente na esfera da comunida alviverde. E o site tende no mesmo caminho.
Duas dicas, se é que sua intenção é que aumente o numero de assinantes.
1- colocar no blog um link visivel para cadastro. Esses, dias quis me cadastrar mas tive que procurar um texto de domingo para achar o link para o cadastro. Não sei se é proposital, mas se não for, não cuta nada colocar um link grandão ali onde hoje esta o resultado do “bolão”.
2- Ja no site, também outra sugestão, deixa logo na barra do site, um link para se logar. Fica mais simples e ja deixa tudo mais pratico para os “assinantes” do site se logarem assim que entrar nele.

De resto, trabalho de muito bom gosto. Tanto na redação dos textos, como no tratamento com os leitores. Fico feliz em ver tão bom nivel na esfera torcedor de futebol. Com certeza não é o unico, mas com certeza é um dos melhores. PARABÉNS.

XXX D. G. XXX
SE SERVILHO QUE ERA CRAQUE, CHUTAVA DE BICO, POR QUE VOCES NÃO PODEM?

Os comentários estão desativados.