Categorias
Notícias

Sócios, vamos votar com o coração verde e branco

Morpheu :
– Se tomar a pílula azul a história acaba e você acordará na sua cama acreditando no que quiser acreditar.
– Se tomar a pílula vermelha ficará no País das Maravilhas e eu te mostrarei até onde vai a toca do coelho.

do filme Matrix.

Mês
de agosto tenho vários amigos aniversariando. Ontem, dia 28, foi meu
guru Amedeo Scabbia. Daqui a alguns dias será minha esposa. E hoje, dia
29, Afonso Campos Pinto faz aniversário.

Lembrei do Afonso
porque foi ele que entre 2001 e 2002 (quando eu já o conhecia há mais
de 15 anos) insistiu para me tornar sócio do Palmeiras. É dele uma
frase que ainda bate na minha testa vez ou outra: “a realidade que corre fora do Palestra Itália é diferente daquela que corre dentro do Palestra”.

Tanto ele insistiu – e tanto mal fez uma antiga administração – que eu me tornei sócio em dezembro de 2002
(logo após a derrota para o Vitória na última rodada do Brasileiro) e
através dele tomei contato com o clube e a vida política do clube que
eu conhecia apenas das arquibancadas.

E
aí me vem a lembrança do diálogo reproduzido lá em cima entre Morpheus
e Neo no primeiro episódio da trilogia Matrix: por culpa do Afonso eu
tomei a pílula vermelha. Essa pílula vermelha começou lá no livro Alice
no País das Maravilhas, e caiu como uma luva na trilogia. Em ambos os
casos levanta-se a tese se a ignorância é ou não é uma benção!

Nesse
sábado a frase do Afonso sobre as “realidades dentro e fora dos
portões” vai ser colocada à prova. Nós veremos se o que acontece do
lado de dentro dos portões de alguma forma foi influenciado pelo lado
de fora.

Nos últimos dias, ou mesmo nos últimos meses, várias
pessoas que têm um vínculo emocional com a SE Palmeiras, discutiram
levemente ou pesadamente sobre direito de uso de superfície, sobre exploração de receitas de arena,
sobre retorno do investimento. Algumas pessoas aprenderam novas
palavras (naming rights), mas felizmente ou infelizmente essas pessoas
tomaram um pouco da dose da pílula vermelha que Morpheus deu ao Neo. E
tomaram conhecimento do sub-mundo da política palestrina (que diga-se
de passagem não é muito diferente dos outros grandes clubes
brasileiros).

E muitos reagiram. De Mauro e seus brilhantes textos ao mais anônimo palestrino. Da Austrália a Jaboticabal. De Nova York a Nápoles.

Saiu aqui e em toda a mídia palestrina. Saiu no JT e no Lance!. Discutiu-se dentro e fora do clube.

E amanhã, sábado, entre 10 horas da manhã e 7 horas da tarde/noite,
o sócio palmeirense vai mostrar se entendeu a mensagem, e se está
pronto para dar um passo adiante na nossa até aqui brilhante história.

O
sócio palmeirense, às vezes injustamente exposto aqui e em outros
meios, em sua maioria é palmeirense. Disso não há dúvidas. O problema é
que, por uma deformação na gestão ANTERIOR do clube que já foi campeão do século XX jogando futebol, esse sócio conviveu anos em um ambiente que insistia em perder sua vocação de time de futebol ganhador para ser o quintal de meia dúzia de pessoas.

Ou seja, chego a acreditar que aquele sócio
que valoriza mais a piscina e menos o gramado do Palestra é mais vítima
desse negócio do que vilão porque foi acostumado a esse modelo, foi
levado a ele. Passaram a mensagem errada para ele.

Então como mudar isso? Simples: trazendo novos sócios, com mente voltada para o futebol, e que possam ajudar no processo de re-aculturamento do clube.
Esse re-aculturamento, tenho certeza, fará muito bem para o futebol do
Palmeiras, mas também para o clube social, para os sócios e
principalmente para a criação de uma nova elite de gestores desse mesmo clube.

Por isso esse espaço e outros – onde devo cumprimentar os esforços do Conrado, Kleine, Jota, Marcio, Fronte e outros verdadeiros palestrinos que estão mobilizando os sócios – devem insistir na campanha para você palmeirense se tornar um sócio e começar a fazer parte da vida política do clube. Leva tempo, mas comece agora, porque um dia será importante essa sua presença, esse seu voto.

Mas antes disso nós, os atuais sócios e que temos o privilégio de amanhã fazermos parte da história do clube, temos uma importante missão: VOTAR SIM e SIM! e darmos um importante passo na história desse clube que está voltando a ser vencedor.

E mostrar ao Afonso, nesse dia de seu aniversário, que as coisas estão mudando, e que hoje, em agosto de 2008, o que acontece do lado de fora do clube – informações compartilhadas, manifestações de indignação, protestos – altera sim, e prá melhor, as coisas que acontecem dentro do clube.

Ao Afonso, parabéns e obrigado por me levar ao clube. Aos sócios do Palmeiras: juízo nesse sábado. Compareçam e votem com o coração verde e branco…

Aos não sócios do Palmeiras, mas que são palestrinos como só nós sabemos e que têm condições financeiras para pagar a mensalidade do clube, atenda ao nosso apelo: torne-se sócio.

Só não reclamem comigo depois: vocês vão tomar a pílula vermelha, ok? A única coisa que a gente pode garantir depois de você se tornar sócio e conhecer a vida política do clube é que você vai conhecer as coisas como elas realmente são.

Amanhã estaremos lá! SIM E SIM!!

Saudações…