Categorias
Resenha dos Jogos

Análise da Arbitragem – Rodada 25

Por Danilo Cersosimo

A R25 foi excelente para o Palmeiras
– que além de encostar no líder Grêmio quebrou um tabu incômodo de não
vencer o Cruzeiro no Mineirão pelo Campeonato Brasileiro desde 1974…

***

A vitória não foi fácil, até porque, como previsto na coluna da semana passada, Héber Roberto Lopes seria uma péssima escolha para nós. E foi.

Héber
Roberto Lopes é um mau árbitro. Confuso, petulante e caseiro. Ontem,
mais uma vez, desfilou todos esses adjetivos em campo, especialmente o
último.

A distribuição de faltas contra o Palmeiras e o cartão
amarelo para o Maurício no início do jogo é tática comum dos árbitros
caseiros – o time adversário fica inseguro e com medo de ter jogadores
expulsos.

Vamos aos lances.

***

Expulsão do Lenny:
Muitos palestrinos estão pegando no pé do Lenny, mas sinceramente, onde
aquele carrinho é falta pra cartão? Para uma arbitragem que tem como
orientação apitar “a la Libertadores” os dois cartões do Lenny foram um exagero.
O primeiro cartão amarelo aos 46 minutos do 1º tempo foi bobo, sem
dúvidas, mas fosse um jogador do Cruzeiro e o árbitro jamais daria
aquele cartão – tanto é verdade que segundo o FootStats o Palmeiras recebeu 6 cartões amarelos e o Cruzeiro apenas 2.

No
lance da expulsão – novamente um ato de ingenuidade do jogador que já
passou da hora de ser ingênuo – Lenny dá um carrinho lateral e ao
perceber que vai acertar o jogador começa a virar as pernas para não
acertar o adversário e cometer falta – Héber Roberto Lopes aplica
amarelo e conseqüentemente o vermelho. Aos 14 minutos do 2º tempo o Palmeiras ficava com um jogador a menos injustamente – na minha opinião.

***

Cartões Amarelos: o do Gustavo, merecido.
A entrada foi ríspida. Acho o Gustavo um bom zagueiro, mas precisa
controlar os nervos no início dos jogos. Ele entra meio afoito e com o
passar do jogo vai se concentrando… foi o 3º amarelo e não enfrenta o
Vasco. Luxa deve voltar ao 4-4-2 por conta disso.

Já o cartão amarelo do Maurício foi injusto. Em seguida ele comete outra falta, perto da área, e a pressão para sua expulsão foi grande. Depois a televisão – por falta de assunto e excesso de merchan – fica passando o lance exaustivamente como se o Palmeiras tivesse sido ajudado pela arbitragem!

***

Golaço do Diego Souza: Legal, perfeito! Quando os bandeiras erram a gente critica, mas quando acerta tem que aplaudir – ainda mais num lance difícil: Gilson Roberto Coutinho era o auxiliar no lance – que segundo o Godói é perseguido pelo presidente da Comissão de Arbitragem, Sergio Correa. Por que, Godói?

***

Diego Souza vs Fabrício: disputa
de bola entre os dois no início do jogo e Diego dá um safanão em
Fabrício, acertando seu rosto. Não foi cotovelada, mas foi
desnecessário. Merecia um cartão amarelo.

Prato cheio para os invejosos da imprensa conclamarem Paulo Schmidt a punir Diego com 120 dias de suspensão.
Teve gente na imprensinha que só faltou telefonar ao “nobre” procurador
para fazer a denúncia. Milton Neves quase chegou a fazer juras de amor
ao lamentável Zveiter… A imprensa esportiva no Brasil – com raras
exceções – é de uma indigência moral vergonhosa.

***

Ausência:
Pessoal, vou me ausentar por duas semanas e volto a este espaço no dia
08/10. É que vou entrar para o time dos casados no dia 20/09 (data
escolhida cirurgicamente por mim) e ficarei um tempinho viajando com a
esposa. Até a volta com o Parmera líder!!!