Categorias
Drops

DROPS 08/09/08: hora de constrangimentos

POLÍTICA: AGORA COMEÇA OUTRA DISCUSSÃO

Deu na Folha de São Paulo deste domingo, no Painel FC:

No forno:
O grupo de Affonso Della Monica marcou para terca, em uma churrascaria
de Sao Paulo, reuniao para discutir o prolongamento do mandato do
presidente do Pmeiras, com a mudanca de data da eleicao de janeiro para
outubro de 2009.

Cerimonial:
O encontro foi organizado por Clemente Pereira, presidente do COF,
Salvador Hugo Palaia, diretor financeiro e o presidente da FPF, Marco
Polo Del Nero.

POLÍTICA: QUAL A JUSTIFICATIVA?

Quem
frequenta o ambiente político do Palmeiras jura de pé junto que o
Presidente faz isso por puro espírito palestrino. A justificativa é que
se as eleições forem em janeiro, não há um candidato do grupo da
situação que possa fazer frente nas urnas a um eventual candidato de
Mustafá Contursi (Mario Giannini seria a bola da vez).

POLÍTICA: PRIMEIRO, VAMOS NOS POSICIONAR

Primeiro: este blog é contra qualquer mudança estatutária que envolva prorrogação de mandato. Lembra manobra semelhante do ex-Presidente em 1996.

POLÍTICA: SEGUNDO, QUAL A CONSEQUÊNCIA?

Segundo:
esse assunto, já discutido aqui no passado, pode ter consequências
complicadas do ponto de vista de eleição do novo Presidente.

Por
quê? Porque nenhum dos três grupos mais proeminentes – Della Mônica,
Cipullo/Seraphim/Belluzzo, Mustafá – consegue 51% dos votos do
conselho. Logo, é necessária uma composição.

A composição natural é entre a atual aliança. Só que há discordâncias quanto a esse tema da prorrogação.

E há outra deformação: o Conselho que elege o Presidente é o Conselho que está saindo, não o que está entrando.

Explico: metade dos conselheiro eleitos se renova a cada 2 anos. Ou seja, cerca de 75 dos 150 eleitos conselheiros eleitos terão seu mandato concluído em fevereiro de 2008. Porém eles votam no Presidente em janeiro de 2008.

Isso
não parece ser o mais adequado. Conselheiro saindo vontando em
Presidente prá mais 2 anos. E daí surge a tese de se prorrogar o
mandato do Presidente. Para ser eleito pelo novo corpo de Conselheiros.

Até aí faz sentido. Mas precisa uma prorrogação até outubro de 2009?

Ou
será que é prá dar tempo de levantar a taça Libertadores? Aliás, essa
coisa de contar com o ovo no c* do ovo, já deu problemas várias vezes.
Quinta-feira passada foi uma delas, quando todos já diziam que os 3
pontos do Palmeiras iam pressionar o Grêmio.

Então vamos devagar porque o andor é de barro e não gosta de chuva…

POLÍTICA: TERCEIRO, TENHO UMA DÚVIDA; ALIÁS, DUAS!

Terceiro: qualquer mudança desse tipo também não precisará ser aprovada por Assembléia dos sócios?

E se sim, quem conhece bem o clube, acredita que há chances de se emplacar? Como a mídia palestrina vai se posicionar?

Vamos aguardar…

Saudações Alviverdes!