Categorias
Futebol com Números

A crise financeira no futebol

Por Luis Fernando Tredinnick*

Divulgação autorizada mediante explícita citação do autor e do blog Terceira Via Verdão

 
Senhores,
a crise está instalada! Os clubes de futebol estão afundados em dívidas
e não encontram maneiras adequadas de se financiar. O prognóstico é
sombrio.
 
Essa seria só mais uma das notícias que nós estamos
acostumados a ler sobre o futebol, mas desta vez é sobre o
futebol….europeu!

 
Com todas as críticas que eu já fiz aos
jornalistas que escrevem sobre as finanças dos clubes, não deixa de ser
divertido, para mim, ler a seguinte matéria no Estadão que foi
compilada da Reuters: http://www.estadao.com.br/esportes/not_esp263648,0.htm

 

Basicamente a matéria diz que os clubes europeus estão muito endividados e que a crise mundial terá muitos impactos.
 
OS IMPACTOS DA CRISE FINANCEIRA NOS CLUBES EUROPEUS

A
matéria diz que o futebol inglês sozinho tem dívidas de mais de 3
bilhões de Euros! Isso mesmo, 11,3 bilhões de Reais. Como é difícil
saber qual clube tem que dívida, podemos apenas supor que cada clube
tem uma dívida média de uns 150 milhões de Euros. Como os 7 maiores
clubes ingleses tem receitas médias de 208 milhões de Euros, seria
justo estimar que os clubes ingleses possuam dívidas em valores
próximos ao do seu faturamento anual.

Deve ser por isso que
esses são clubes de administração moderna e o Palmeiras que possui uma
dívida estimada de menos de 20% do seu faturamento está quebrado e
afundado em dívidas. (ver artigo: http://terceiraviaverdao.blogspot.com/2008/10/explicando-mais-uma-vez-as-dvidas-dos.html)

Mais
do que isso, o artigo diz que a UEFA está pensando em proibir os clubes
muito endividados de participem das suas competições. E quanto seria
muito endividado? Bom, estão discutindo valores em entre 30% e 40% do
faturamento, mas ainda não chegaram a um acordo.

Se isso fosse
aplicado no Brasil, clubes como o Flamengo, Botafogo, Fluminense,
Atlético-MG e mais alguns não disputariam mais nenhum campeonato…

Na Alemanha o contrato com a TV, que vimos (http://terceiraviaverdao.blogspot.com/2008/10/as-cotas-de-tv-dos-clubes-de-futebol.html)
que gera receitas de 45,5 milhões de Euros e representa quase um terço
das receitas dos grandes clubes alemães, está para vencer ao fim deste
ano. Com a crise mundial existe o risco real dos valores serem menores
para os próximos anos.

O Liverpool adiou a construção de um novo
estádio de 60 mil lugares que custaria US$ 600 milhões. Isso porque ele
foi comprado por dois fundos americanos que se endividaram em US$ 500
milhões para realizar a compra. Na reportagem de 23/10 no Estado de São
Paulo, estimaram que os juros desse empréstimo chegam a US$ 40
milhões/ano. Como eles vão pagar o empréstimo? Com os lucros do clube
nos próximos anos. O problema é que esse é o lucro que o Liverpool teve
no ano de 2007. Ou seja, depois de pagar a dívida, o lucro é zero. Não
é isso que o pessoal daqui chama de administração moderna?

A
Juventus vai reformar o seu estádio, apesar de precisar contrair
dívidas de mais de 52,5 milhões de Euros para realizar a reforma
(outros 52,5 aparentemente vão sair do próprio bolso). Interessante
notar que a reforma do estádio da Juve vai custar quase a mesma coisa
que a reforma do Palestra.

O diretor-executivo do Milan diz que
não se preocupa com a crise, pois “os prejuízos sempre são cobertos
pelos acionistas ricos”. Ou seja, o clube tem prejuízo de forma
estrutural e alguém com o bolso cheio paga a conta.

Já existem
defensores da criação de um teto salarial para os jogadores ingleses,
como ocorre nos Estados Unidos. Se uma medida dessas for aprovada, pode
ser que os dias de salários estratosféricos estejam com os dias
contados. Também é possível que os clubes europeus comecem a pagar
menos pelos jogadores brasileiros!

ENQUANTO ISSO, NO BRASIL….

Enquanto
isso, no Brasil algumas mentes brilhantes resolvem dizer que os clubes
brasileiros estão quebrados e afundados em dívidas. Geralmente essas
mesmas mentes brilhantes dizem que nós deveríamos nos espelhar nos
clubes europeus como modelo de modernidade.

Não lembram que na
Itália eles dependem quase que totalmente das receitas da TV (e dos
acionistas ricos) e nem que os clubes ingleses são tremendamente
endividados.

No Brasil muitos acham que a parceria para a
reforma do Palestra é um mal negócio para o clube, enquanto o
“poderoso” Liverpool adia indefinidamente a construção do seu estádio,
ao mesmo tempo em que a Juventus, aquela cujos contratos de TV
representam 64% do seu faturamento, precisa contrair dívidas de 50% do
valor da reforma do estádio.

É, eu estava achando que o
Palmeiras estava caminhando para ter uma das mais sólidas situações
financeiras do país….mas, pelo visto, estamos caminhando para ter um
clube sólido financeiramente também em termos mundiais….por mais
incrível que isso possa parecer.

O primeiro que ler uma reportagem sobre isso avisa aos demais Palmeirenses, combinado?

Saudações AlviVerdes

*Luis
Fernando Tredinnick escreve todas as sextas-feiras no 3VV, explicando a
quem conhece e também a quem não conhece os números no futebol.