Categorias
Arenas

Arenas – Recomendações e Exigências Técnicas FIFA vii: Orientação e Estacionamento

Por Claudio Baptista*

Hoje entraremos na parte do documento que fala sobre Orientação e Estacionamento.

Vocês
já têm notado através da leitura deste documento, que inúmeras soluções
apresentadas para adequações de alguns outros estádios não passam de
mera forçada de barra em cima do que exige a FIFA. Esta leitura,
seguramente também está lhes auxiliando a filtrar muito do que
responsáveis por outros clubes vêem arrotando por aí e a mídia, não sei
se por preguiça ou se por falta de conhecimento fica fazendo eco a
esses discursos.

Vejam só, tem até clube propondo a utilização
de terrenos públicos para construção de estacionamento alegando que o
benefício das obras ficará a disposição da população.

Então quer
dizer que as pessoas que quiserem utilizar este suposto estacionamento
terão que perder quase uma hora do seu dia para estacionar seu carro e
pegar um tal de aero-trem para chegar à estação localizada a quase dois
quilômetros de distância, mais o caminho inverso para o retorno? Qual é
o grande benefício? Acho que sei exatamente, e não é público, mas sim
particular.

Se a relação fosse público para público, o
estacionamento deveria ser vizinho à estação do metrô e não a quase
dois quilômetros de distância.

Parceria pública-privada? Isso é a famosa socialização dos custos e capitalização dos lucros.

Na
mesma cidade um clube fará estacionamento com capital privado em área
particular (ex: S. E Palmeiras) enquanto outro quer agregar
funcionalidade ao estádio com proveito de terreno público. Patético
para não dizer cara de pau.

Quanta diferença. Ninguém levanta
essa bola. Já repararam que em TODAS as reportagens que falam dessa
solução esdrúxula e torta para a população ignoram uma palavra singela:
área PÚBLICA?

Esse simples “esquecimento / detalhe” colabora com
a desinformação prejudicando o conhecimento pela população do que se
trata esse negócio.

E tem um pouco mais. A autorização de cessão
deste terreno PÚBLICO para a tal PPP deverá passar pela câmara
municipal, estou certo? Se estiver, muito cuidado com a bancada de
vereadores são-paulina daquela casa bem como os movimentos políticos
visando a aprovação.


Agora podemos entrar na publicação de hoje.

Apenas
para relembrarmos o que já foi mencionado na primeira parte quando
falamos sobre as decisões preliminares, a FIFA determina a necessidade
de estacionamentos que visem servir ao estádio. Diz também que devem
ser criadas de maneira a permitir sua utilização também nos momentos em
que não ocorram jogos e eventos no estádio a fim de proporcionar uma
melhor receita proveniente desta funcionalidade.

E neste sentido
a Arena Palestra Itália, ao contrário do exemplo citado acima, e sua
região atendem plenamente este requisito. Está prevista a construção de
um estacionamento coberto NO ESTÁDIO
para até 2.500 vagas que serão também utilizadas em dias que não
ocorram jogos pelos associados, pelos utilizadores da região, nos
eventos do parceiro do Clube,… Repetindo, estacionamento com
dinheiro privado em AREA PARTICULAR, não pública. Isso sem contar com a
disponibilidade de vagas na região como aquelas presentes no vizinho e
recém inaugurado shopping Bourbon, 3.000 vagas, mais outras no shopping
West Plaza com mais 2.500 vagas, totalizando 8.000 vagas cobertas de estacionamento em um raio menor do que 1 quilômetro da Arena.

O
documento menciona também a necessidades dos estádios serem elaborados
de forma a permitir a chegada, a circulação e a saída em boas condições
dos milhares de pessoas e veículos em um breve espaço e tempo.

Segue abaixo o conteúdo da parte que fala sobre orientação e estacionamento e em negrito o posicionamento dos temas da publicação de hoje perante o conteúdo total:

1- Decisões preliminares.
2 – Segurança.
3 – Orientação e estacionamentos.
3.1 – Sinalização e indicação de bilhetes.
3.2 – Entrada e saída do público.
3.3 – Estacionamento dos espectadores.
3.4 – Estacionamento VIP.
3.5 – Estacionamento das equipes, oficiais da partida e pessoal / funcionários do estádio.
3.6 – Acesso e estacionamento da mídia.
3.7 – Serviços de urgência e espectadores com mobilidade reduzida.
3.8 – Heliporto.

4 – Áreas de jogo.
5 – Autoridades e jogadores.
6 – Espectadores.
7 – Hospitalidade.
8 – Mídias.
9 – Iluminação e alimentação elétrica.
10 – Telecomunicações e espaços complementares.

3.1 – Sinalização e indicação de bilhetes.

O
documento menciona a necessidade de se ter sinalização interior e
exterior clara e explícita para pessoas do mundo inteiro, pois um
grande número de usuários do estádio podem não compreender a língua
local.

As sinalizações claras e visíveis posicionadas no
interior e no entorno do estádio devem indicar claramente as vias de
acesso, os diferentes setores, os banheiros, as lojas, as saídas, os
postos de serviço aos clientes, etc…

Já as informações
presentes nos bilhetes devem permitir aos espectadores encontrarem
facilmente seus lugares. Estas indicações devem corresponder àquelas
dispostas no interior e exterior do estádio. Um código de cores nos
bilhetes facilita a entrada dos espectadores. Os canhotos dos bilhetes
que ficam com os espectadores após os postos de controle devem conter
as informações que lhes permitam se orientar no interior do estádio.
Grandes planos de orientação devem estar fixados nos muros para
orientação aos espectadores.

Um serviço de clientes e um ponto
de informação devem ser instalados nas alas externas de cada setor do
estádio a fim de auxiliar na orientação de dos novos visitantes e dos
visitantes ocasionais.

Para terminar a parte de hoje, vamos nos
adiantar um pouco em relação à 6ª parte do documento da FIFA que fala a
respeito dos ingressos para fazer apenas um comentário complementar.

O
Palmeiras está em negociação para de novo acordo para venda e
distribuição de ingressos. Pode ser que seja feito com a atual e
criticada BWA ou com outras empresas que estão na concorrência.

Qual será o tempo de vigência deste novo contrato?

Não podemos ter a Arena pronta e um contrato em vigor junto a uma empresa que não irá atender às nossas necessidades.

Vamos
nos lembrar que a Arena, com 100% de lugares numerados terá que
oferecer outras possibilidades de compra de ingresso às que nós temos
hoje (bilheteria, VISA – apenas essa bandeira, ingresso “fácil”).

Caso a Arena fique pronta com o contrato negociado agora ainda em vigor, é prudente que já sejam previstos estes acréscimos no fornecimento pela contratada.

Quais das empresas que participam da concorrência têm currículo que nos dê no mínimo garantias técnicas e de gestão para compra e distribuição de ingressos com a flexibilidade que exigirá a Arena?

Uma solicitação aos que negociam o contrato pelo Palmeiras. ESSA
QUESTÃO NÃO É POLÍTICA E SIM TÉCNICA E FINANCEIRA. As receitas de
bilheteria, a imagem do clube, o respeito com o torcedor estão muito
acima de acordos políticos.

Esta semana paramos por aqui. Na próxima daremos continuidade a essa 3ª parte do documento sobre Orientação e Estacionamento.

Abraço,
Claudio
———-

Claudio Baptista escreve todas as 5as feiras
no 3VV sempre falando sobre Arenas