Categorias
Notícias

Classificação R35: desempenho ruim nessa reta final

Demos Adeus à disputa do título nesta R35. Ainda que matematicamente
seja possível o Palmeiras chegar, descontar 7 pontos em 9 em disputa é
praticamente impossível.

Por outro lado a Libertadores só
depende das forças do Verdão. Na próxima rodada Cruzeiro e Flamengo se
enfrentam no Mineirão. Qualquer resultado permitirá que o Palmeiras
volte ao G4. Claro, desde que o Verdão faça sua parte e ganhe do
Ipatinga em casa.

E dependendo do resultado de Cruzeiro e Flamengo, até um empate em
Salvador pode ser um bom resultado. Mas primeiro vamos ganhar dos
mineiros.

POR QUE CHEGAMOS AQUI?

A
cabeça ainda está inchada. Todos nós esperávamos chegar na R35 ou R36
com uma mão na taça. Não aconteceu como esperávamos. Por quê?

Fora
das quatro linhas muita coisa tem que ser discutida e aqui mesmo no 3VV
já apontamos erros ou omissões fundamentais para esse fracasso. Um
deles em nossa opinião foi a falta de comando sobre o treinador
Vanderlei Luxemburgo. Outra razão identificada nesse espaço tem a ver
com a “soberba” do treinador que de certa forma contaminou alguns jovens (e quem dera promissores) jogadores do elenco.

Mas
isso deixaremos para analisar no momento oportuno. Esse post fala da
classificação e do que acontece nas quatro linhas. E aí fica claro a
consequência dos nossos erros fora de campo.

Veja no quadro. Dentre vários indicadores que acompanhamos, o Palmeiras se destaca apenas em número de passes, passes certos e cruzamentos.
Mas perde em outros, significativos: fica abaixo em finalizações certas
(nesse item perdemos para Cruzeiro, São Paulo, Grêmio, Santos e
Botafogo), e isso talvez explique porque nosso ataque tem o mesmo
número de gols do potencial rebaixado Vasco da Gama.

Nosso
desarme caiu muito de 2007 para 2008. Somos o terceiro em desarmes
(perdendo para São Paulo e Flamengo, times que valorizam muito a
marcação). E temos um alto índice de perda de bola (nesse caso junto
com o São Paulo). Talvez justifica-se aí por ser o Palmeiras junto com
o São Paulo um dos times que mais detém a posse de bola no torneio. Mas
posse de bola tem a ver com controle do jogo. E controle do jogo tem a
ver com transformar domínio territorial em domínio numérico. Nesse
aspecto, ficamos devendo.

Nosso saldo de gols é ruim (apenas 9, perdendo para os 4 primeiros e também para o Goiás e apenas um gol acima do Botafogo).

Os números estão aí! Diferente do Campeonato Paulista onde o Palmeiras
teve maior número de gols pró e melhor saldo, não apresentamos
desempenho – principalmente nessa reta final – para gerar resultados
melhores do que onde estamos.

Esperamos melhor desempenho no ano que vem. Saudações Alviverdes!