Categorias
Futebol com Números

Investimento em jogadores

Por Luís Fernando Tredinnick 
Divulgação autorizada mediante explícita citação do autor e do blog Terceira Via Verdão
 

Várias
vezes aqui neste espaço utilizamos os números para comparar a situação
dos clubes europeus e dos clubes brasileiros. No post http://terceiraviaverdao.blogspot.com/2008/10/crise-financeira-no-futebol.html
chegamos a mostrar que aqueles que falam do endividamento dos clubes
brasileiros realmente não conhecem a realidade lá fora. No post http://terceiraviaverdao.blogspot.com/2008/10/as-cotas-de-tv-dos-clubes-de-futebol.html mostramos como os valores recebidos da TV são muito mais altos lá fora, prejudicando a rentabilidade dos clubes brasileiros.

O PODER DE FOGO DOS CLUBES

Hoje
iremos discutir sobre o “poder de fogo” dos times de fora, na hora de
montar seus elencos. Muito se falou da parceria do Palmeiras com a
Traffic e seus R$ 40 milhões para investimento em elenco e em como isso
mudaria a relação de forças no país. Mas como esse investimento se
compara os investimentos dos clubes europeus?

Observem
no gráfico ao lado como o investimento da Traffic se compara com os 20
clubes que mais investiram na Europa, segundo o estudo da ESPORT +
MARKT.
A comparação é desoladora. O “grande investimento” da Traffic
é menos da metade do que o do Porto, que é apenas o 20º clube em
investimento em jogadores. O total do investimento feito pelos 20
maiores clubes chega a incríveis um bilhão de Euros! No Brasil, somando
a Traffic e o Sonda teríamos quase 27 milhões de Euros….menos de 3%
dos europeus!

Logicamente os investimentos vistos no Manchester
City são fruto de um único milionário que quer transforma o clube em um
dos maiores do mundo e grande parte desse dinheiro foi na contratação
do Robinho.

Mas quando se observa que o Barcelona e o Tottenham
gastaram quase 90 milhões de Euros cada, percebe-se que a diferença
entre os europeus e brasileiros é realmente alarmante

O IMPACTO PARA OS CLUBES BRASILEIROS

Mesmo
com a crise internacional devendo afetar (ainda mais) as finanças dos
clubes europeus, o poder de fogo deles continuará sendo muito maior do
que o dos nossos clubes. Mesmo que os clubes brasileiros consigam pagar
salários mais altos do que os pagos atualmente, propostas milionárias
facilmente irão tirar os nossos melhores jogadores daqui.

Então, os clubes brasileiros devem se estruturar para aproveitar esse tipo de situação.

Revelar,
ou contratar, bons/excelentes jogadores ainda jovens é o primeiro
passo. Para administrar os contratos desses jogadores, os clubes devem
utilizar prazos longos e renovar esses contratos anualmente, como o
Milan faz com o Káka.

A partir daí, seria vender apenas um ou
dois jogadores por ano, para manter a estrutura da equipe e alcançar o
mais alto valor possível na venda desse jogadores.

SIMPLES ASSIM?

Bom, a receita é simples, mas a execução não é tão simples assim.
Essa é uma boa pergunta: se a receita é simples, porque os clubes não conseguem executá-la?

Alguém aí tem uma boa teoria?

Saudações Alviverdes

*Luís
Fernando Tredinnick escreve todas as sextas-feiras no 3VV, explicando a
quem conhece e também a quem não conhece os números no futebol