Categorias
Arenas

O Know How do gramado artificial

Da Série Arenas Esportivas
Recomendações e Exigências Técnicas FIFA

Por Claudio Baptista Jr.
Reprodução permitida mediante explícita divulgação do autor do texto,
o site da FIFA e o blog Terceira Via Verdão e seu link.

Amigos,

Continuamos com a 4ª parte do documento que fala sobre Áreas de Jogo.

Conforme foi falado na última semana, a FIFA dedica no documento uma atenção especial ao gramado artificial que vem ganhando espaço gradativamente na prática do futebol.

Minha
opinião é que ainda teremos algumas décadas para que a grama artificial
supere a grama artificial em quantidade de instalações. Isso se algum
dia chegar a superar.

Quanto à qualidade, caso a grama natural seja
no nível apresentado na descrição da última semana, esta se torna
insuperável. Tenho a oportunidade de jogar futebol na várzea paulistana
e jogo em dois campos oficiais, um com grama natural e outro com grama
artificial. O campo de grama artificial é um show, macio e um
verdadeiro tapete, só que no meu ponto de vista ainda não substitui um
gramado natural perfeito.

Assim, entramos na parte que fala
sobre gramado artificial. O conteúdo desta parte no documento é extenso
e dessa vez não consegui fugir de ter que dividi-la entre publicação de
hoje da próxima semana. Vale a pena a leitura.

Segue abaixo o conteúdo da parte que fala sobre as Áreas de Jogo e em negrito o posicionamento dos temas da publicação de hoje perante o conteúdo total:

1- Decisões preliminares.
2 – Segurança.
3 – Orientação e estacionamentos.
4 – Áreas de jogo.

4.1 – Dimensões recomendadas.
4.2 – Qualidade do campo de jogo.
4.3 – Campos de jogo em grama natural.
4.4 – Campos de jogo em grama artificial.
4.5 – Bancos de reservas.
4.6 – Painéis publicitários entorno do campo de jogo.
4.7 – Acesso à área de jogo.
4.8 – Exclusão dos espectadores da área de jogo.

5 – Autoridades e jogadores.
6 – Espectadores.
7 – Hospitalidade.
8 – Mídias.
9 – Iluminação e alimentação elétrica.
10 – Telecomunicações e espaços complementares.

4.4 – Campos de jogo em grama artificial.

Apesar dos jogadores e torcedores preferem o gramado natural, a FIFA já se preocupa em abordar a aplicação da grama artificial.

Vamos
ver o que ela diz em seu documento. Vocês já notaram que boa parte do
que é escrito por aqui é quase uma tradução do documento da FIFA.
Fazemos assim para que as publicações sejam confiáveis e deixamos claro
quando o texto passa a conter nossas impressões e opiniões.

A grama artificial hoje em dia.
A
grama artificial se tornou hoje em dia uma superfície de jogo aceitável
para o futebol, pois os esforços de desenvolvimento neste domínio
levaram a colocação no mercado de um produto especialmente concebido
para o esporte. Hoje estão disponíveis superfícies de jogo em grama
sintética que permitem aos jogadores trabalharem tanto de maneira
dinâmica como segura.

As superfícies de jogo em grama artificial
apresentam várias vantagens. Apesar de demandarem um período de
adaptação aos jogadores, sua planicidade permite um jogo rápido e
preciso que colocam jogadores técnicos e atléticos em pé de igualdade.

Aqui
já cabe mais um comentário do blog. Se a FIFA mesmo diz que o uso da
grama sintética demanda um período de adaptação dos jogadores, porque
seriam utilizadas em alguns lugares e outros não? Isso não criaria uma
dificuldade técnica a mais? Não aumentariam as chances de lesões? E
ainda, quando falamos de futebol profissional entendemos perfeitamente
que a este nível os orçamentos e condições para a pratica do esporte
são os maiores e melhores, portanto o uso da grama natural mesmo com
seu custo elevado, principalmente de manutenção, ainda é a solução mais
apreciada.

Vamos continuar no documento e ver o que mais a FIFA menciona sobre a grama sintética, o que não é pouco.

A
FIFA continua no documento mencionando que a grama sintética permite
uma utilização nitidamente mais intensiva apesar de seu maior custo de
instalação comprado ao gramado natural. Sua qualidade não é tão
influenciada pelo tempo ruim (chuva, neve) como em gramados naturais
necessitando de uma manutenção regular indispensável, porém menos
dispendiosa que aquela do gramado natural.

Tudo bem, a grama
artificial efetivamente possui menores custos de manutenção e maiores
custos de instalação, mas ainda somos céticos quanto ao uso para o
futebol profissional mesmo que os conceitos de construção de Arenas
demandem uma necessidade de utilização mais intensa das instalações
justamente visando o retorno financeiro do empreendimento. Acreditamos
ser possível um equilíbrio, pois a atividade fim da Arena, ao menos
aqui no Brasil e para o Palmeiras, é o futebol e suas necessidades não
podem ser superadas pelas diversas outras disponíveis em uma Arena.

O
documento passa a entrar em maiores detalhes mencionando que a escolha
entre um gramado natural e artificial deve considerar as condições a
seguir.

Know-How.
As
normas de construção e as condições locais devem ser plenamente
respeitadas sendo conveniente no momento do planejamento de um gramado
de futebol a consulta a arquitetos e engenheiros que tenham experiência
na construção de instalações esportivas. Os fabricantes de gramado
artificial podem aconselhar e prover informações a fim de guiar a
escolha do produto adequado sendo este trabalho confiado exclusivamente
a empresas especializadas locais que disponham de know-how e de
equipamentos especializados. A supervisão dos trabalhos de construção
pelo planejador e seu controle pelos órgãos de inspeção externos são
determinantes para uma boa realização do projeto.

  • Superfície do gramado.

Produtos.

A
escolha de um gramado artificial depende da compatibilidade do produto
com o local de instalação e com as exigências do contratante.

Os
produtos disponíveis são compostos de fibras sejam fibrilosas ou
monofilamentosas que se forem mais ou menos numerosas lhes conferem uma
espessura maior ou menor. O polietileno (PE) e a poliamida (PA) são
dois dos materiais que entram nessa composição.

Conceito de Qualidade da FIFA.

É
recomendável submeter os produtos a um teste em laboratório (conforme o
programa Goal da FIFA) a fim de identificar e se assegurar que eles
correspondem ás exigências do mercado.

Os métodos de teste e
exigências aos quais devem responder a grama artificial estão descritos
no manual Conceito de Qualidade da FIFA que distingue entre gramas de
“uma estrela” e “duas estrelas”. Isto acontece devido a uma série de
gramas artificiais oferecidas no mercado e que possuem qualidade
suficiente para o futebol. Vários fornecedores de grama artificial
possuem licença da FIFA.

  • Planejamento.

Estrutura de Base.

Se
as informações relativas a geologia não estiverem a disposição no
momento do planejamento, forragens deverão ser realizadas pois
constituem a única maneira de saber como construir uma estrutura de
base. Uma área de esporte é um tipo de estrutura que necessita de uma
estrutura estável.

Convém estudar as especificações do local
tais como as condições de drenagem do solo e se o terreno se move
(estabilidade) antes de realizar o estudo de viabilidade. Os materiais
são escolhidos em função do local e podem igualmente determinar a
construção. Não é aconselhável multiplicar as camadas da base e uma
grande precisão (planicidade) é necessária.
Entre as camadas de base
da fundação, distingue-se a camada de estabilização (mistura entre
areia e cascalho) e a camada de sustentação (betume). A instalação
destas bases necessita de máquinas próprias. É conveniente testar a
estrutura de base antes de proceder a instalação do gramado artificial
bem como durante as obras a fim de verificar sua solidez.

Drenagem.

As
condições locais são decisivas na concepção do sistema de drenagem. Seu
dimensionamento pode variar em função da quantidade de chuvas e
condições climáticas.

A drenagem está ligada sobre o gramado
artificial (drenagem artificial) e a estrutura de base (drenagem
subterrânea). A água coletada nos arredores do estádio deve igualmente
ser levada em consideração. A permeabilidade do dreno vertical
(perfuração por m²) deve ser no mínimo igual a permeabilidade da
estrutura adjacente.

A água do gramado artificial corre
horizontalmente em uma rede de drenos até os coletores que a despejam
em um local de descarga ou em um curso d’água. É recomendado que os
conduites (vias de tubos) possuam dispositivos de inspeção para
controle da drenagem.

Bordas / Fronteiras do gramado:

A
escolha das bordas é determinada pelos limites do gramado e da
superfície do seu entorno. Caso o gramado e a superfície ao redor forem
em dois planos, vias (calhas) de drenagem da água da superfície serão
instaladas ao longo das linhas laterais e nas bordas das linhas de
fundo. Se existirem quatro planos (duas inclinações diferentes), vias
de drenagem serão instaladas em todo entorno do gramado.

Além da
inclinação, a pluviometria tem sua importância. Nas regiões onde as
precipitações são escassas, as vias de dreno não são necessárias a não
ser se precipitações abundantes são previstas para determinados
períodos. Caso o gramado seja contornado por uma pista de atletismo, é
conveniente construir as vias de drenagem munidas de duas aberturas
para atenderem o gramado e a pista de atletismo.

Em regra geral
a estrutura de base é instalada levemente mais baixa no solo do que as
bordas do entorno do gramado onde a altura é determinada no início do
projeto em função da espessura do gramado, da base do tapete, do
aterro, etc…

O gramado artificial é geralmente colocado sobre uma base tendo uma inclinação máxima de 1%.

A
estrutura de base dos gols, das redes e das bandeiras de canto devem
ser instaladas antes do gramado artificial. Quanto ao gramado em si,
ele deve, se possível, ser colocado no final das obras.

Irrigação.

A
irrigação é crucial e recomendada em função das temperaturas elevadas.
O gramado artificial absorve o calor e para o conforto dos jogadores pe
aconselhável o resfriamento da superfície em dias quentes.

A fim
de reduzir ao máximo o consumo de água em função dos custos é
recomendada a irrigação automática mesmo em uma utilização ocasional.
São colocadas no exterior do campo de jogo ou da superfície do gramado
artificial. Uma outra possibilidade é substituir a irrigação automática
por uma irrigação portátil.

Cabeamentos subterrâneos.

Todos os cabeamentos subterrâneos (tv, rádios, etc …) devem ser instalados fora da superfície de jogo.

A
FIFA menciona que isso se dá em função da eventualidade de manutenção
que se torna mais complicada se os mesmos estiverem abaixo de um
gramado artificial.

Pessoal, na próxima semana terminamos a parte referente ao gramado artificial.

Até lá,
Claudio Baptista Jr.