Categorias
Notícias

O momento não seria outro?

Por Emerson Prebianchi

Nós
daqui do 3VV sempre alertamos sobre a utilização temerária das chamadas
brechas legais, que são as possibilidades de interpretação da norma
legal de acordo com a vontade do agente.

Principalmente em
relação às aplicações impostas pelo STJD e também pela oposição
política existente no Palestra Itália que sempre utilizou-se destas
possibilidades para tirar proveito em desfavor do clube.

Infelizmente
hoje quem se utiliza deste expediente é a situação encabeçada pelo
Presidente com a anuência de todos aqueles que sempre defendemos por
aqui, inclui-se aí toda (ou pelo menos boa parte) da chamada chapa
União Verde e Branco que tem demonstrado apoio às intenções da atual presidência.

A
pretensão de levar a votação da assembléia geral dos associados (no
próximo dia 13 de dezembro) a já derrotada proposta de prorrogação de
mandado presidencial – que teve rejeitada sua matéria em votação no
conselho deliberativo do clube – é uma dessas medidas que devem ser
profundamente analisadas e criticadas com racionalidade pelos
associados e todos aqueles que podem influenciar o processo político do
clube.

É certo que a legislação prevê esta possibilidade em seu Código Civil. Mas eu acredito que a reflexão deva ser outra.

Após
o quase encerramento da temporada 2008 já não há dúvidas – pelo menos
para aqueles que estão do lado de fora – que a Sociedade Esportiva
Palmeiras precisa de uma transformação das forma como ela é gerida.
Este ano tivemos algumas alegrias mas é evidente que o processo
político e a gestão do Palmeiras precisa de profundas mudanças. E não é
com atitudes que buscam “mais do mesmo” que vamos conseguí-las.

Ou
seja o que questionamos aqui não é se a decisão do Conselho
Deliberativo quanto à prorrogação do mandato favorece A ou B, mas sim a
visão sempre curta da coisa. A prorrogação de mandato foi rejeitada
pelo poder constituído do clube. Acho que o Presidente e todos aqueles
que o apóiam fariam um bem para a Sociedade se começassem a discutir a
modernização, profissionalização e o rejuvenescimento dos quadros
diretivos. E idealmente que dessem as mãos e caminhassem juntos nesse
processo sem usar de medidas extremas para conseguir uma ampliação do
mandato.

E você leitor pensa disso!?!

Saudações alviverdes