Categorias
Arenas

A Arena Gremista; e um pitaco aqui na nossa cidade

Na semana passada a Diretoria do Grêmio aprovou o seu projeto de Arena. Com orçamento estimado entre R$ 270 e R$ 340 milhões a Construtora OAS é a empresa que ficará à frente do projeto e será responsável pelos recursos financeiros. Na prática, OAS e Grêmio firmam uma Sociedade Para fins Específicos (SPE) de 20 anos, onde a Construtora tem 35% da sociedade e o Grêmio 65%.
 
Para o negócio sair do papel a OAS precisará ainda de uma aprovação do BNDES na ordem de R$ 140 milhões. Além disso há um seguro contratado com o Banco Santander de 20% do valor total da construção.

ENTENDENDO O PROJETO

O atual estádio do Grêmio, Olímpico Monumental, tem cerca de 50 mil lugares e foi inaugurado em 1954. Está localizado numa área nobre de Porto Alegre e essa é uma das principais contra-partidas que o clube oferece à construtora. Em troca pela nova arena o Grêmio vai trocar de sede. Sairá da região que está desde a sua fundação para uma região nos arredores de Porto Alegre.

Um colorado, quando perguntado sobre o local, me disse o seguinte: “Vicente, qual cidade tem em São Paulo que fica perto de uma estrada que entra em São Paulo?”. Chutei “Guarulhos”. “É isso aí!”, disse o colorado, “o Grêmio vai fazer seu estádio e seu clube em Guarulhos”.

A NOVA ARENA GREMISTA

A Direção do clube afirma o contrário. O local da nova arena será é no bairro Humaitá, na zona norte de Porto Alegre, no chamado corredor de desenvolvimento do Plano Diretor da cidade. Independentemente da acidez do comentário do amigo torcedor do Inter, de fato o atual Olímpico Monumental dará lugar a um empreendimento imobiliário planejado pela OAS. Mas ganhará uma nova arena.

Essa Arena será para 52.112 torcedores, 4 níveis de arquibancadas, cobertura para 100% do público e com estabelecimentos comerciais, hotelaria e estacionamento.

A previsão da obra é de janeiro de 2010 a janeiro de 2012.

MODELO FINANCEIRO E DE RELACIONAMENTO

O clube anuncia que o contrato é de 20 anos. Durante a obra o Olímpico poderá ser usado para jogos. Após a comclusão a OAS recebe o Olímpico. Nos primeiros sete anos na Arena, 100% dos lucros serão do Grêmio, que ainda terá um bônus de R$ 7 milhões.

Apos os 7 primeiros anos o Grêmio passará a ter 65% do lucro e a OAS 35%. O clube receberá ainda um bônus de R$ 14 milhões por ano, até completar 20 anos. Depois disso o estádio será todo do clube, encerrando a parceria.

Só como referência, o modelo de receita da Arena Palestra para o
Palmeiras é de 5% a 30% da receita de naming rights, camarotes e
cativas, além de 20% da receita dos eventos. Todo o custo, no caso da
parceria WTorre-Palmeiras, é da WTorre. As contas do que é mais ou menos vantajoso para o Palmeiras eu deixo para vocês ou para o Luis Fernando Tredinnick fazerem.

Mais informações da Arena do Grêmio estão no site no endereço http://www.gremio.net/page/view.aspx?i=id_709.

E A COPA DO MUNDO?

O Grêmio espera com isso desbancar o Beira-Rio para a Copa do Mundo. Assim como o Morumbi aqui em São Paulo, o Beira-Rio foi indicado como o estádio da Copa caso Porto Alegre seja uma das sedes (será!). Mas a Diretoria do Grêmio acredita que, com a Arena pronta em 2012, ela possa tirar do Beira-Rio essa indicação.

Se o Grêmio conseguir se credenciar a ser sede para a Copa 2014 o empreendimento poderá obter 25% de isenção fiscal junto à Prefeitura, ao Governo do Estado e ao Governo Federal. Além disso poderá reivindicar verbas ferderais para obras de infra-estrutura no entorno da arena. Estimativas iniciais projetam R$ 160 milhões de isenções em 40 anos, além de outros R$ 80 milhões de isenção durante a construção do estádio. Tá bom ou quer mais?

E AQUI EM SÃO PAULO?

Coincidentemente, neste sábado, o Estado de São Paulo publicou matéria informando que a FIFA aceitou que a Copa 2014 tivesse 12 sedes (a previsão inicial eram 10). Com isso teremos mais duas cidades.

Além disso o jornal informava que o Presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, terá uma reunião com o Governador José Serra no dia 5 de janeiro. Na pauta, pedir verbas públicas para obras de infra-estrutura.

Entretanto fontes seguras afirmam que o São Paulo busca do Governo Federal, do tal PAC do Esporte, R$ 100 milhões para a reforma do Morumbi.

Será verdade?

Saudações Alviverdes!

11 respostas em “A Arena Gremista; e um pitaco aqui na nossa cidade”

Vicente, você sabe se o Grêmio tem programa de sócio-torcedor que dá direito à entrada livre aos jogos no Olímpico? Se tiver, como será que vai ficar, já que, certamente, o valor pago mensalmente pelo associado, mesmo com a soma da franquia anual paga pela OAS, não cobrirá o valor do ingresso da nova Arena? Pelo menos, esse problema o Palmeiras não vai ter…

Valeu Marcelo, obrigado pelos esclarecimentos. Realmente as novas arenas que são construídas são colocadas em regiões mais periféricas e com bom acesso por transporte coletivo. Acho que esse deve ser o caso. E concordo, o modelo é diferente entre a Arena Palestra e a do Grêmio. Quanto ao comentário do meu amigo colorado eu imagino que ele tenha exagerado (rsrsrs). Abraço,s

Vicente, não sou gremista, nem mesmo gaúcho, mas conhecendo um pouco desse assunto gostaria de dar um pitaco. Bem, o colorado realmente foi muito maldoso. O estádio fica na BR a poucos km do Centro e bem perto do aeroporto. Porto Alegre é uma cidade muito diferente de SP em termos de distancias e Guarulhos fica muitíssimo mais distante. A arena do Gremio ficará bem localizada e não ficará estrangulada como hoje. Hoje o Olímpico está na Glória/Azenha e realmente é uma área central da cidade, mas está longe de ser uma área nobre. A diferença fundamental entre os projetos Palmeiras e gremio, é que este último está fazendo uma troca de áreas, cedendo a antiga (com um custo de demolição enorme) e recebendo uma nova com benfeitorias, numa área, claro, com um valor de m2 menor. Ambos são bons projetos para os clubes, cada um com sua característica. Abraço.

Luiz,
Se isso for real mesmo teremos um trem ligando o aeroporto a lugar nenhum…

bem cara de Brasil mesmo…

Marcelo o link é excelente e mostra o outro lado da moeda. Obrigado pela informação e sugiro a todos lerem. Abraços,

Eu não gostaria, ou melhor, não aceitaria que o Palmeiras mudasse de sede em troca de uma arena nova. Isso seria inaceitável na minha opinião. Este é o principal motivo para eu achar que a nossa parceria com a WTorre é muito melhor do que esta do Grêmio.

Quer informação quente?
Está tudo pronto para uma licitação do estado de SP para um trem elevado que inicialmente sairá da estação São Judas até o aeroporto, e depois seguirá até a estação Morumbi, passando em frente ao estádio. Projeto Copa do Mundo. Fonte de gente lá dentro.

O projeto do Gremio é inteligente. Na Europa os estádios tem sido construídos em áreas de transito desafogado, fora dos centros, de maneira que os encargos da FIFA quanto à estacionamento possam ser integralmente atendidos. Nos EUA já se sabe disso há várias décadas.

Ola , sou Marcelo aruuda
e gostaria de deixar aqui oque acho a respeito disso que li.
Na verdade acho impossivel essa arena ficar pronta nesses prazos que eles estão falando , e nem em 2014 .
ou vão construir uma arena só para inglês ver , para conseguir ser sede, mais sem nenhuma qualidade .
estamos praticamente em 2009 , para construir uma arena do nada mesmo com dinheiro vai ai uns 5 anos
mais uma arena a sério e não a brincadeira que estão querendo fazer com esta arena e o tal do fielzão
rs rs
obrigado pelo espaço
saudaçãos palmeirenses

Neosnardo, gostei da comparação de Guarulhos com Morumbi. Não sei se o pessoal de Guarulhos vai gostar (rsrsrs). Você enumerou bem os pontos. E tem mais um: o Grêmio participa do lucro enquanto o Palmeiras participa das receitas. Mas é coisa prá se fazer conta… não sei qual o valor da área que o Grêmio está abrindo mão. Abraços,

Vicente, pelo que foi divulgado, entendo que a parceria do Palmeiras é muito mais vantajosa que a do Grêmio, apesar dos dez anos de diferença no prazo de duração. Para começar, o Grêmio está entregando uma área bem localizada e valorizada por uma área no subúrbio. Independente do potencial de desenvolvimento da região, será sempre distante do centro da cidade, e a valorização muito menor. Assim como seria trocar a privilegiada e valorizada área do Palestra por outra em Guarulhos, ou mesmo no Morumbi. E, evidentemente, a localização é de relevante importância para o retorno financeiro de uma arena multiuso. O Grêmio pode receber maior percentual no faturamento durante a parceria, mas quanto está “investindo” na entrega do atual patrimônio? E ainda existem outras condicionantes, como empréstimo do BNDES, histórico da OAS, investimentos do governo em infra-estrutura, mudanças de governo etc. Como leigo, e parafraseando as metáforas do Lula, acho o Grêmio está perdendo os anéis e conservando metade dos dedos.

Os comentários estão desativados.