Categorias
Arenas

Arenas – Áreas de acesso ao gramado, primeiros socorros e aquecimento

Da Série Arenas Esportivas 
Recomendações e Exigências Técnicas FIFA
  
Por Claudio Baptista Jr.*  
 

Pessoal,
 

Em continuidade à 5° parte do documento da FIFA que fala sobre Autoridade e Jogadores a publicação de hoje falará dos itens que 5.3– Acesso ao gramado desde os espaços reservados às equipes, 5.4– Sala de primeiros socorros e enfermagem e 5.5– Áreas de aquecimento.

Segue em negrito o posicionamento dos temas desta publicação perante o conteúdo total:

1- Decisões preliminares,
2- Segurança,
3- Orientação e estacionamentos,
4- Áreas de jogo,
5- Autoridades e jogadores,

5.1– Acessos aos Vestiários,
5.2– Vestiários e Sanitários,
5.3– Acesso ao gramado desde os espaços reservados às equipes,
5.4– Sala de primeiros socorros e enfermagem,
5.5– Áreas de aquecimento,

5.6– Sala do comissário da partida,
5.7– Espaço de controle de dopagem,
5.8– Vestiários dos gandulas,

6- Espectadores,
7- Hospitalidade,
8- Mídias,
9- Iluminação e alimentação elétrica,
10- Telecomunicações e espaços complementares.

5.3 – Acesso ao gramado desde os espaços reservados às equipes

Cada um dos vestiários das equipes e dos árbitros deve, se possível, ter seu próprio acesso à área de jogo. Os túneis podem se juntar na proximidade da saída à área de jogo. Caso apenas um túnel seja disponível, ele deve ser suficientemente largo para permitir a instalação de uma separação no momento da entrada e saída das equipes e dos árbitros. A largura do túnel deve ser de 4 metros por 2,4 metros de altura. Para partidas da Copa do Mundo da FIFA é exigido que o corredor tenha 6 metros de largura.

A entrada dos jogadores e árbitros na área de jogo deve ser protegida por um túnel “telescópico” não inflamável que deve estar situado ao nível da linha média, do lado da tribuna de honra, da tribuna de imprensa e dos escritórios administrativos. Este túnel deve avançar suficientemente sobre a área de jogo para evitar riscos em caso de objetos serem jogados e também deverá ser de fácil colocação e remoção para permitir sua utilização durante a partida (entrada / saída de um jogador de campo) sem obstruir o campo de visão dos espectadores.

De outra forma, a entrada na área de jogo pode se fazer por um túnel subterrâneo no qual a saída se encontra a uma distância suficiente em relação aos espectadores. O revestimento dos corredores e escadas deve ser antiderrapante. Os corredores ou túneis de segurança devem ser totalmente inacessíveis ao público.

Próximo à abertura do túnel ou do corredor de acesso á área de jogo é conveniente instalar sanitários equipados de vasos e um lavabo com espelho para os utilizadores da área de jogo.

Vejam nas figuras abaixo os exemplos de acesso a partir de um túnel subterrâneo (1ª figura) e por um túnel telescópico (2ª figura).

Pelo que conhecemos do Palestra Itália e segundo o que ouvimos falar sobre a Arena através da permanência do fosso, acreditamos que a solução deste item seja conforme a 1ª figura.

5.4 – Sala de primeiros socorros e enfermagem

Esta sala é reservada aos jogadores, oficiais da partida, mídia, VIP’s e agentes de segurança. Para a Copa do Mundo da FIFA, deve ser reservada uma sala de primeiros socorros exclusivamente aos VIP’s.

Localização: dentro dos espaços reservados às equipes, próximo aos vestiários das mesmas e da área de jogo, e se possível com acesso direto à saída onde estão estacionados os veículos de intervenção de urgência. As portas e corredores que levam até esta sala devem ser suficientemente largos para permitir a circulação das macas e cadeiras sobre rodas.

Tamanho mínimo: 50m².

Esta sala deve possuir uma mesa para exame, duas macas (a mais daquelas disponíveis no entorno do gramado), um lavabo, uma bacia para os pés (água quente), um armário de farmácia em vidro, um armário a chave que não seja de vidro, uma mesa de tratamento e um telefone (com linha interna e externa). A sala deve também possuir divisórias que se necessário permitam dividi-la em duas partes. Os instrumentos abaixo devem ser previstos:

– desfibrilador equipado com um sistema de gravação de dados do paciente e do ritmo cardíaco.
– monitor cardíaco.
– estimulador cardíaco externo.
– uma estação e sistema com todo equipamento necessário para injeções e perfusões.
– sistema de perfusão desenvolvido para administração de líquido aquecido a 37°C +/- 2°C.
– aparelho de pressão, bomba volumétrica.
– cateteres venosos centrais.
– ferramentas para punção pericárdica.
– equipamento para administração de medicamentos.
– equipamento para entubação.
– ventilador automático, oxigênio fixo (ao menos 2.000 litros) ou portátil (ao menos 400 litros), dispositivo de aspiração fixa mecânica com pressão negativa mínima de 500 mm de mercúrio de capacidade mínima de 1 litro, capnômetro, válvula peep.
– sistema de drenagem torácica.
– equipamento de imobilização.

Vejam abaixo uma proposta de layout desta sala com a sua divisória citada acima.

sala de tratamento ; sanitários e banheiros.

5.5 – Áreas de aquecimento.

Externas.

Essas áreas devem ser de grama (grama artificial é aceitável), delimitadas por muros e suficientemente claras para serem utilizadas a noite.

Internas.

Localização: próxima aos vestiários
Tamanho mínimo: 100m².

Cada equipe deve ter a sua disposição uma área de aquecimento interna delimitada por muros. O revestimento dos muros deve ser estofado para evitar contusões em caso de choque e uma rede suspensa deve ser instalada no teto (ver figura abaixo).

As salas devem possuir um sistema de ventilação e ar condicionado sendo suficientemente claras através de meios de iluminação com proteção em virtude de eventuais choques com as bolas.

No próximo post concluiremos a 5ª parte do documento.

Até lá.

Claudio Baptista Jr.

—-
*Este post é baseado em documento da FIFA que fala sobre recomendações e exigências
técnicas para arenas esportivas, com adaptações falando das arenas brasileiras;
reprodução permitida mediante  explícita divulgação do autor do texto, do site da FIFA e
do blog Terceira Via Verdão e seu link.