Categorias
Meninos Eu Vi

Prudêncio e a voz inconfundível do espião

Por Vicente Criscio (interinamente substituindo Jota Christianini)*
 
Muita coragem a minha: querer tomar o lugar do Jota. Mas essa fazia tempo que eu queria contar. Eu vi e como diria o Jota, vou contar o causo como o causo foi. Só mudei os nomes dos atores para não expor demasiadamente esses simpáticos palestrinos.
 
Janeiro de 2005. Prudêncio está jantando em casa, havia acabado de chegar do trabalho. Toca o celular e atende, ainda com a pasta das quintas-feiras na boca.
 
– Alô!
– Prudêncio, boa noite, quem fala aqui é Roberto Avalone.
 
O tagliarini quase volta! Para Prudêncio, Roberto Avalone era apenas um personagem dos programas esportivos aos domingos à noite… o que ele queria com Prudêncio àquela hora, interrogação.
 
– Avalone, tudo bem? a que devo a honra… 
 
Nem terminou de falar.

– Prudêncio, eu soube que você tem acesso ao conselho do Palmeiras. Gostaria que na eleição da próxima 2a feira você fosse o nosso espião (exclamação).

Prudêncio ajudava a antiga oposição na campanha de Seraphim à Presidência e tinha algum contato com conselheiros. Mas daí a dizer que tinha acesso ao Conselho no dia da votação prá Presidente era demais.

– Como assim? Mas eu nem sou conselheiro. E eu não quero aparecer na TV. Minha mulher me mata!

– Não se preocupe. Você vai ficar nos bastidores. Nosso produtor vai te ligar e combinar tudo.

Dito e feito. Chega a 2a feira, lá vai Prudêncio prá frente do Palestra Itália. Prá evitar confusão com a patroa, que já não aguentava mais essa conversa de Palmeiras prá cá, Palmeiras prá lá, fala que vai comer uma pizza com amigos.

Em parte é verdade. Chega na antiga pizzaria Papa Genovese e começa a operação. Se conecta com vários conselheiros por celular. E pede uma de muzzarela e um chopp. Prudêncio não gostava de mentiras.

Após alguns telefonemas Prudêncio tem seu “network” montado. Só espera a ligação do produtor. Aí passa as informações que tiver, come a pizza e volta tranquilo prá casa.

Mas os planos mudaram: liga o procutor.

– Prudêncio, é o seguinte, o Avalone pediu para você entrar ao vivo.
– Não! não posso. Posso ser expulso do clube – época de sindicâncias – e ainda por cima as pessoas não podem saber…
– Não se preocupa. O Avalone não vai citar seu nome. Vai dizer que é um espião. Péra aí… vai entrar agora. Dá um boletim como está aí!

Prudêncio escuta um som no fundo: tam tam tan-tan tam tam … reconheceu. Tema de Missão Impossível! Não sabe se ri ou se chora… aí entra Avalone com sua voz inconfundível.

“Parem as máquinas, temos um espião no Palestra Itália. Espião como estão as coisas aí”.

Gaguejando no início: – Avalone, o ambiente está calmo. Informações dão conta que temos cerca de 260 conselheiros para votar.

Paulo Serdan, na época Presidente da Mancha Verde, está no programa e pergunta: “Espião, qual a chance de Mustafá continuar?”. [ esclarecendo: naquela noite, até o último minuto, não se sabia se Mustafá sairia candidato ou não ]

– Paulo, a chance é pequena. O atual Presidente Mustafá Contursi parece decidido a passar o cargo para Affonso Della Monica.

Avalone emenda: “ok espião, daqui a pouco você volta”.

Ufa… alívio. Prudêncio passou no primeiro teste. Vai falar mais uma ou duas vezes e se mandar. Não dá cinco minutos e toca o celular. É de casa!

– Oi, onde você está? (era a esposa de Prudêncio, com aquela voz que indicava confusão)
– Comendo pizza.
– Tem um maluco de um amigo seu ligando aqui dizendo que você está na TV? Que história é essa…

De novo a pizza de Prudêncio quase volta. Como assim? Tá louco?

Desliga… que brincadeira é essa? Ninguém mais sabia dessa história, exclamação.

Toca de novo o telefone. Agora é o amigo traíra!

– Cara, o que você está fazendo no Avalone?
– Ficou louco, quem disse que sou eu!
– Cara, com essa voz só pode ser você.
– Ok, mas se manca. Só você reconheceu…

Prudêncio desligou pálido. Será que dá prá perceber, interrogação.

Duas horas depois, um novo boletim e mais cinco telefonemas de pessoas diferentes, entre eles a esposa, que a essa hora está com os filhos assistindo o Avalone e o espião, é hora do boletim final. Já são quase 23 horas e Prudêncio entra mais uma vez no ar. No total foram três inserções do espião.

Tam tam tan-tan tam tam…

– Avalone e Paulo, podem comemorar. É com imenso prazer que informo que Mustafá Contursi não é mais Presidente da Sociedade Esportiva Palmeiras. Affonso Della Monica venceu o pleito com 201 votos contra 40 de Seraphim Del Grande. Repito, Mustafá Contursi não é mais Presidente do Palmeiras.

Eram mais de 23 horas e com sua voz inconfundível Avalone encerra o programa. E no Papa Genovese  Prudêncio paga a conta da pizza e ri de da confusão. Esse Palmeiras faz a gente aprontar cada uma. Exclamação.

* Jota Christianini está sob merecidas férias mas promete contar o causo do Natal.
Depois voltará em janeiro.

9 respostas em “Prudêncio e a voz inconfundível do espião”

Luigi, João, o andarilho, mais vivo do que nunca. Se preferires, Zeca Daniel estará ao lado. Abs, até o dia 24…

Vicente
Essa “eu ouvi ao vivo e vou contar”…
Quase caí da cadeira….
Abs
Luigi EG
Ps: aquele scotch anual tá de pé?!?!?

Seria
Prundêncio = Vicente ?!?!?!
Muito bom o causo prudencio, quer dizer, Vicente! Parabéns!!

Muito bom, Vicente!!!! Causo dos bons! Bem divertido!

Ainda bem que as nossas terças não ficarão vazias sem os causos! Parabéns!

Espero que o sapo boi não exerça a sua influência nefasta no Palmeiras nunca mais!!!!! Chega desses caras que se preocupam mais com seus interesses pessoas e deixam o mais importante de lado! Não aguento mais isso. Guerrinha de vaidades que só nos causa prejuízos! Foram Musgambá e sua corja!!!

Muito bom o causo, sensacional. Roberto Avalone é um dos poucos que defendem o Palmeiras na imprensinha bambi podre e suja. Ele podia voltar para a grande mídia.
Atualmente ele trabalha na Rádio Atual, eu sei disso porque o prédio da empresa onde trabalho fica do lado, e praticamente todo dia eu cruzo com ele chegando na rádio, na hora que estou indo embora.

Na sexta feira antes do jogo decisivo contra os Bambis, estava eu saindo do trabalho com um agaslho do Palmeiras, e cruzei com ele. Aí eu parei, cumprimentei-o e falei: “VAMO GANHAR DOMINGO!!! “. Aí ele, com sua inconfundível voz: “vamos sim, AVANTE PALESTRA!”

HAHAHAHAHAHA, eu ri muito. Um dia ainda paro ele de novo e falo que ele tem que voltar pra mídia, pq não dá mais esse monte de jornalista de merda puxa saco dos bambis e gambás.

Vicente, vc me fez lembrar 2 personagens do nosso Palmeiras.
1 – Roberto Avalone, que saudade, de todos os seus tregeitos e principalmente de seu amor indisfarçável pelo Palmeiras. Como eu queria que ele voltasse, hoje é impossível assistir a um mesa redonda e incluo o rádio e a TV paga.
2 – Mustafá, este parece que não some nunca, sempre articulando nos bastidores, quando acha que ele está perto do fim, ele ressurge.
Vicente, tenta uma entrevista com o Avallone ou que sabe uma coluna.

Boa Vicente! Causo engraçado hehehe…

E de um momento feliz para nós, apesar que na época todos achavam que o Della Monica seria a continuação do Musgambá…

E eu atô achando que esse Prudêncio era você hein?

Vicente, o causo foi bem legal! hahahaha… mandou bem, manteve o nível divertido, histórico e bem escrito do Jota! Parabéns!

Os comentários estão desativados.