Categorias
Resenha dos Jogos

Começa a Libertadores: muito cuidado nessa hora

Por Danilo Cersosimo,

Nesta quinta-feira, 29 de janeiro o Palmeiras estréia em sua 14ª Libertadores contra o Real Potosí da Bolívia. Acredito que todo e qualquer confronto de Libertadores seja difícil e o adversário deve ser respeitado, mesmo não tendo tradição – e nesse caso, o adversário não tem tradição, mas tem a altitude de 4500 metros ao seu lado.

Aliás, eu já fiz trilha [a pé!] no Monte Chacaltaya que fica nas proximidades de La Paz – subi até o pico, 5.300 metros acima do nível do mar – é um dos lugares mais lindos que já vi. Na época, um pouco mais jovem e em melhores condições físicas não sofri com a altitude durante a trilha, mas assim que chegamos ao hotel tive sérios sangramentos no nariz e as dores de cabeça eram torturantes – espero que os atletas não sofram esses efeitos colaterais e que principalmente façam o resultado aqui – porque correr na altitude, é dureza!

***

E a arbitragem?
Em Libertadores, como sabemos, é bom ficar atento. O Palmeiras tem um histórico recente de erros capitais contra si que nos custaram muito caro. Abaixo, pretendo recordar de alguns, para que não se repitam…

Libertadores 1999 – Adversário: Deportivo Cali (COL) – Final – Ubaldo Aquino (PAR): O jogo foi inesquecível, mas a arbitragem foi péssima – o goleiro adversário fez quase 20 minutos de cera e sequer foi punido. Anos depois, surgiu acusação de que o juiz da partida estaria em esquema de arbitragem para ajudar o time colombiano, mas que na última hora o cartel que faria o suborno deu pra trás… Ainda pretendo retomar esse tema um dia.

Libertadores 2000 – Adversário: Boca Juniors (ARG) – Final – Epifânio Gonzalez (PAR): No início do jogo o auxiliar invalida gol legítimo dos argentinos alegando impedimento – o lance era difícil. No 2º tempo dois pênaltis a favor do Palmeiras não foram assinalado – num deles, Asprilla foi agredido pelo goleiro, que deveria ser expulso. Diz a lenda que o presidente do Palmeiras à época sabia que o árbitro estaria “à venda”, mas que teria dito “o Boca precisa mais desse título do que nós”. Foi na mesma época em que “abrimos mão” da nossa vaga legítima no Mundial de Clubes da FIFA em 2000… foi também nessa época que o referido ex-presidente abocanhou cargo na FIFA… Tempos nefastos, que se Deus quiser, não voltam mais.

Libertadores 2001 – Adversário: Boca Juniors (ARG) – Semi-Final – JOGO 1 – Ubaldo Aquino (PAR): O maior assalto na história do futebol – o jogo terminou 2×2, mas poderia ter sido 3×1 pra nós em plena Bombonera. Quando estava 1×0 para nós o árbitro – aquele que mais tarde foi acusado de participar de esquemas com o cartel colombiano… – inventou pênalti para o Boca empatar – até o atacante Barijho ficou surpreso com a marcação… digo, invenção do árbitro! Quando estava 2×1 pro Palmeiras o volante Fernando (esse mesmo que ainda joga pelo Santo André aos 41 anos!) sofreu um pênalti clamoroso não assinalado pelo árbitro – que ainda puniu o palmeirense com cartão amarelo. Foi um assalto e infelizmente a diretoria da época pouco ou nada reclamou ou protestou.

Libertadores 2001 – Adversário: Boca Juniors (ARG) – Semi-Final – JOGO 2 – Oscar Ruiz (COL): num jogo tenso em que tomamos 2 gols nos 15 minutos iniciais conseguimos diminuir com Fábio Jr aos 36´do 1º tempo. Ainda na primeira etapa o mesmo Fábio Jr poderia ter empatado se o auxiliar não tivesse visto impedimento no lance – o atacante tinha pelo menos 15cm atrás da linha da zaga. Com o jogo em alta tensão o lamentável Alexandre Sedex entra com os dois pés nos peitos de Serna e é expulso ainda no primeiro tempo – Matellan seria expulso na etapa complementar. Um beócio invadiu o campo e agrediu o auxiliar e nós fomos eliminados com sabor de injustiça nos pênaltis. Novamente, a diretoria à época nada fez contra esse assalto.

Libertadores 2005 – Adversário: SPFC (BRA) – Oitavas de Final – Sálvio Spinola, em dois jogos prejudica o Palmeiras com a não marcação de penalidades contra o São Paulo. No 2° jogo não dá pênalti claro de Mineiro em Correia quando o placar ainda estava 0 a 0. Se convertido o placar agregado das duas partidas ficaria 1×1 naquele momento e o rumo da partida poderia ter mudado, bem como da conseqüente classificação na Libertadores. Eles prosseguiram e nós entramos em parafuso.

Libertadores 2006 – Adversário: SPFC (BRA) – Wilson de Souza Mendonça [novidade!] arma contra-ataque para o SPFW que culmina em pênalti inexistente de Cristian em Júnior (o próprio Júnior falou ainda em campo que não fora pênalti). A imagem abaixo flagra o lance no momento exato em que Cristian afasta a bola e Júnior cava o pênalti:

***

Sulamericana 2008 – Adversário: Argentinos Jrs (ARG) – Quartas de Final – José Buitrago (COL): Léo Lima cobra falta e a bola entra uns 50 cm – o árbitro invalida o gol, alegando que a bola não entrara. No 2º tempo assinalou pênalti a favor do Palmeiras com muito custo – Diego Souza dá a paradinha, marca, mas o árbitro invalida – especialmente após a pressão dos jogadores argentinos. A cobrança é repetida, o goleiro adversário se adianta mais de metro e defende – o árbitro deixa seguir. O jogo foi violento da parte de ambos os times e tal violência não foi coibida pelo árbitro – resultando num quebra-pau ao final do jogo.

***

O caminho para conquistar uma Libertadores é árduo – por isso, erros ou “erros” de arbitragem não podem interferir nessa trajetória – o que teria sido do Palmeiras se não fosse roubado naquelas duas Libertadores contra o Boca? Ou nos jogos contra o SPFW em 2005/2006?

A atual diretoria precisará ficar sempre alerta.

Na próxima coluna retomamos as análises da arbitragem do campeonato Paulista.

***

Desejo muito sucesso ao Professor Belluzzo e sua equipe – especialmente Gilberto Cipullo, que mereceu demais essa vitória!

Ver Belluzzo no comando do Palmeiras é motivo de orgulho!

Há 6 anos, perdido na madrugada em frente ao portão da Turiassú, após a reeleição de Mustafá Contursi logo após o rebaixamento, imaginei que esse dia nunca fosse chegar.

Chegou. E é realidade. O Palmeiras merece.

9 respostas em “Começa a Libertadores: muito cuidado nessa hora”

Em 99 no primeiro jogo o juiz não coibiu a cera dos colombianos e não os puniu por ficar matando com falta todos nossos contra-ataques. Fiquei indignado naquele jogo. Esse título foi a maior prova que pelo menos na Libertadores realmente não tem jogo ganho e todos os adversários merecem respeito e atenção.

Putz, dessas histórias de bastidores de 1999 e 2000 eu não sabia. Sobre suborno, e nosso “queridíssimo ex-ditador dizendo “o Boca precisa mais desse título do que nós”. Bem típico dessa mente pequena mesmo.
Agora em 2001 nada me tira da cabeça que algum membro da diretoria gambá tenha ido até o Paraguai comprar o tal do robaldo aquino. Porque para os gambás seria inadmissível ver o Palmeiras disputando 3 finais consecutivas de Libertadores, sendo que os eliminamos duas vezes.
No caso dos bambis nem comento… é chover no molhado.

Cada jogo desse é uma cicatriz. Esse Alexandre Sedex….PQP… e ainda com o Celso Roth no comando montando o time errado pra enfrentar o Boca.

O trabalho de bastidores é um jogo político pesado, e o Palmeiras precisa de “gente esperta” e com estomago pra fazer esse trabalho sujo. O Prof. Belluzzo deve preparar um BOPE Palmeirense para esse tipo de serviço.

Marcelo (3),

Ainda mais importante do que fazer barulho apos o fato eh atuar nos bastidores ANTES DOS JOGOS para evitar que desastres acontecam, bem ao estilo Jardim Leonor.

Nao estou falando de comprar juizes, estou falando de colocar as devidas pressoes para que os arbitros saibam que se nos prejudicarem por “erros” como os listados, terao que arcar com serias consequencias para suas carreiras.

eu sei q o OFF.. mas vamos la..

http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Selecao_Brasileira/0,,MUL975885-15071,00-FIFA+CONFIRMA+QUE+COPA+DO+MUNDO+DE+TERA+CIDADESSEDE.html

e o JJ wiskie na reuniao?? O unico presidente de clube na reuniao alias???

o Lula ja disse q verba do governo federal nao tera em nenhum estadio da Copa… mas e qnto grana do estado de SP.. sera?? e da prefeitura???

E sobre o tal terreno q seria estacionamento Bambi como esta isso?

Vicente responda por favor..

abracao

Parabéns pelo post. Que essa diretoria faça barulho se formos assaltados novamente.

Essas lambanças caem no esquecimento e ficam por isso mesmo. Contra o Boca em 2001 em La Bombonera foi muito dolorido, jogamos muito! E por causa desse arbitro imundo não conseguimos a vaga em mais uma final. Contra o SPFW então, já virou tradição, temos que vencer os invariavelmente bons times que as moças tem, mais a arbitragem. É lamentável!

Merece mesmo!
E eu espero que nossa diretoria tome todas as precauções para a disputa deste campeonato.
Saudações alviverdes

Os comentários estão desativados.