Categorias
Arenas

Série Arenas – espaços aos espectadores e comunicação com o público

Da Série Arenas Esportivas 
Recomendações e Exigências Técnicas FIFA
  
Por Claudio Baptista Jr.*  

Pessoal,

Entramos hoje na parte que fala de Espaços Comunitários e Comunicação com o Público referentes à 6° parte do documento da FIFA que fala sobre Espectadores.

Segue em negrito o posicionamento dos temas desta publicação perante o conteúdo total:

1 – Decisões preliminares.
2 – Segurança.
3 – Orientação e estacionamentos.
4 – Áreas de jogo.
5 – Autoridades e jogadores.

6 – Espectadores.

6.1 – Normas gerais de conforto. (continuidade da última semana)

6.2 – Espaços acessíveis aos espectadores.


6.3 – Comunicação com o público.


6.4 – Espectadores com dificuldade de locomoção.


6.5 – Stands


6.6 – Bilheteria e controle de acesso eletrônico.

7– Hospitalidade.
8– Mídias.
9- Iluminação e alimentação elétrica.
10- Telecomunicações e espaços complementares.

6.2 – Espaços acessíveis aos espectadores

Espaços Públicos

Os estádios devem comportar ao menos 4 setores distintos com cada um possuindo sua entrada, pontos de serviços, banheiros, e outros serviços indispensáveis como socorro, segurança e polícia.

Cada um dos setores pode ao seu modo ser dividido em outros espaços menores devendo impossibilitar o acesso dos espectadores de um espaço a outro, salvo em caso de evacuação do estádio.

Aqui também cabe um comentário nosso. Essas subdivisões possíveis também dão flexibilidade de renda ao estádio que além de criação de espaços com níveis de instalações diferentes, estes podem ser patrocinados ou explorados por empresas. Essas seriam receitas adicionais ao Naming Rights da Arena.

Voltando ao documento. As barreiras para dividir os setores de acordo com a necessidade da direção do estádio devem ser desmontáveis facilmente pelo pessoal da segurança e suportarem uma certa carga em conformidade com a regulamentação das autoridades locais, além de permitirem a visão através delas.

6.3 – Comunicação com o público:

É essencial que os organizadores e o serviço de ordem do estádio possam se comunicar claramente com os espectadores dentro do estádio e fora do mesmo por meio de um sistema de auto-falantes potentes e confiáveis.

Um sistema assim deve:

  • Ser controlado a partir de um centro situado em uma sala de controle do estádio ou ao lado do mesmo, em um local onde o operador tenha uma excelente vista do conjunto do estádio.
  • Poder endereçar mensagens exclusivamente a certos setores, compreendendo também a entrada do estádio (setor de catracas), diferentes salas, salões de hospitalidade (serviços) e blocos de tribunas.
  • Ter preferência e poder intervir sobre qualquer som individual em caso de urgência.

  • Ser conectado a uma segunda linha de corrente elétrica permitindo o sistema manter-se operacional sem interrupção durante ao menos três horas em caso de corte de energia.

Desde que o orçamento permita, os proprietários dos estádios podem instalar um sistema de sonorização generalizado no lugar de auto-falantes mais básicos e menos caros.

Um comentário nosso. Existem sistemas de sonorização digitais e muito flexíveis que podem atender as exigências acima com qualidade e potência suficientes para a difusão de músicas ou chamadas e que possam fazer interface com outros sistemas como o de distribuição de imagens para monitores e telões.

Voltando ao documento. Um sistema de sonorização moderno e de qualidade também é uma vantagem como alternativa para músicos e concertos, mesmo se a maior parte prefira um sistema próprio e de ponta.

Já o sistema de alto-falantes é geralmente menos sofisticado que um de sonorização existente mais moderno e perde em eficácia para mensagens curtas e simples. E no nosso modo de ver, na flexibilidade e segmentação.

Painéis e telões.

A maior parte dos estádios modernos dispõem de uma tecnologia eletrônica para se comunicar com os espectadores podendo ser um painel de mensagens indicando o resultados da partida, os marcadores dos gols e também mensagens breves e simples destinadas ao público ou ainda telões mais sofisticados e mais caros podendo exibir mensagens instantâneas ou entretenimento de televisão e vídeo. Estes telões são freqüentemente utilizados como recursos suplementares para publicidade. A comunicação através de telões é mais custosa em relação aos painéis eletrônicos mais simples, porém privilegiam e agradam o público. Um complemento nosso, como mencionado neste trecho os telões sendo usados como publicidades também são fontes de receita.

Vejam na figura abaixo um exemplo de painel de mensagens apenas para vocês verificarem o cálculo do tamanho necessário em função da distância em relação ao público.


D = distância máxima entre espectadores e painel de mensagens.

A localização desses painéis e telões dentro do estádio é essencial e deve ser abordado cedo nos processos de concepção do estádio. Geralmente, ao menos 2 telões ou painéis são utilizados para fornecer aos espectadores uma visão aceitável e relativamente direta. O tamanho dos telões ou painéis pode levar a perda de uma parcela de número de cadeiras.

Freqüentemente os telões e painéis são instalados em dois pontos diametralmente opostos ou atrás de cada um dos gols podendo ser instalados nos espaços abertos entre as tribunas como também sobre o teto de uma tribuna ou suspenso no teto.

Os fatores determinantes na escolha da localização de telões e painéis são os seguintes:

  • Oferecer um ótimo campo de visão aos espectadores.
  • Limitar a redução da capacidade devida a perda de cadeiras.
  • Serem instalados de forma que não representem nenhum risco aos espectadores e nem dificultem o campo de visão.

Mesmo que as autoridades do futebol e dos estádios controlem os replays e mensagens que são exibidas nos telões, o público em geral é muito adepto e quer ver principalmente os replays das jogadas. Por isso, um estádio moderno deve adotar um sistema de comunicação de vídeo eletrônico moderno. O design destes sistemas evoluem rapidamente, assim como os custos. Telas maiores e mais claras, monitores individuais instalados nas cadeiras e telas de vídeo / televisão portáteis são novos produtos e convém prevê-los para os próximos anos.

Partes dos painéis de mensagens e das telas de vídeo podem ser utilizadas para exibirem mensagens de urgência e devem ser conectadas a sistemas de alimentação elétrica de segurança em caso de corte de energia normal.

Esperamos que o Palmeiras se dedique a esse assunto, pois além de informações úteis e parte do procedimento de segurança é também uma parte importante para o entretenimento do público. Bem que gostaríamos de ver um sistema de distribuição de imagens flexível e segmentado podendo colocar nos diversos monitores instalados por todo o estádio (áreas de serviços, camarotes,…) uma gama diversa de imagens, controlado de forma on-line ou programada, que tivesse interface com o sistema de circuito fechado de tv para proveito de algumas imagens de forma instantânea, etc… Imaginem o pessoal nos camarotes podendo escolher os canais que quer assistir (Tv aberta, Tv fechada, programas criados internamente pelo Palmeiras), ou então o pessoal que está nas tribunas ou nas áreas de serviço podendo assistir a uma programação do Palmeiras e no momento da chegada da delegação ao estádio a exibição ao vivo da imagem junto com o som da entrevista de algum jogador? Enfim, quanto mais permitir uma operação flexível e dinâmica, maior será a satisfação dos espectadores que terão prazer em usufruir o estádio através dos seus serviços e dependências antes, durante e depois das partidas.

Continuamos com a 6ª parte na próxima semana.

Abraço,

Claudio Baptista Jr.

—-
*Claudio Baptista escreve todas as 5as feiras; o post acima foi baseado
em documento da FIFA que fala sobre recomendações e exigências
técnicas para arenas esportivas e adaptado para a realidade do nosso
mercado; reprodução permitida mediante  explícita divulgação do autor
do post, do site da FIFA e do blog Terceira Via Verdão e seu link.