Categorias
Notícias

Encrenca dos ingressos: olhando além da superficialidade. E um comentário: ah se fosse em nosso estádio…

Por Vicente Criscio
 
O debate que se travou na última semana com o episódio dos ingressos entre a diretoria do São Paulo e do Corinthians teve uma análise prá lá de superficial por parte da imprensa especializada.
 
É natural: uma vez que boa parte da imprensa que cobre o futebol paulista tem um certo “rabo preso” com a turma do Jardim Leonor, e outra parte não teve lições de marketing nas aulas de jornalismo, não poderia se esperar algo diferente.

Por outro lado uma parcela considerável dessa dessa mesma imprensa analisava com o coração – e não com a razão – e afirmava que “algo está errado”. No final o que se viu foi um conjunto de análises sem objetividade.
 
Cheguei a ouvir – pasmem – que o São Paulo estava copiando uma tendência do futebol europeu [ desculpem a interrupção mas é incrível a que ponto chega o cinismo de uns e a estupidez de outros ] como se isso fosse uma novidade no Brasil.

Ouvi várias frases. Logo cedo Ricardo Boechat chamava a diretoria sãopaulina de “bandidos” por criarem um clima hostil com o Corinthians e culminando em violência na saída do estádio, onde 20 pessoas – eu disse VINTE – tiveram lesões sérias por terem sido pisoteadas.

Mas a melhor frase do fim de semana veio do presidente eleito Andres Sanches. Antes do jogo, em uma conversa “ríspida” entre ele e o Vereador Marco Aurélio Cunha – o que faz um vereador defendendo um time de futebol? – o Presidente do Corinthians respondeu ao politico-dirigente:

“O Corinthians vai jogar em Presidente Prudente ou no Maracanã, não importa, mas na minha gestão não vai mais mandar jogos no Morumbi”.

OLHANDO ALÉM

A ira de Sanches era pelo seu colega do São Paulo, Juvenal Juvêncio, não ter atendido as suas ligações durante a semana para discutir o caso. O dirigente “leonor” teria agido com certa arrogância [ ah vá… ].

Enquanto isso o dirigente-vereador argumentava que “do ponto de vista do espetáculo era importante o Morumbi e blá blá blá”.

Bobagem!

Tanto Sanches quanto Cunha sabem que o Corinthians traz enorme receita aos cofres sãopaulinos. E não estou falando somente do ponto de vista de aluguel, que já seria uma boa soma se somássemos os potenciais clássicos no Brasileirão 2009 que o recém promovido à primeira divisão trará.

Mas tem muito mais coisa em jogo.

Imaginem o seguinte:

Corinthians x Palmeiras;
Corinthians x São Paulo;
Corinthians x Santos;
Corinthians x Flamengo;
Corinthians x Internacional;
Corinthians x Atlético MG;
Corinthians x Cruzeiro;
Corinthians numa eventual semi-final e final de Copa do Brasil;
Eventuais semi e finais do Paulista;

E por aí vai…

É claro que, para um clube que não consegue fazer mais de 30% de ocupação em 80% dos jogos que disputa em seu estádio, a receita extra de um “parceiro” como o Corinthians é prá lá de bem vinda.

Mas tem mais valor! O Corinthians sabidamente é um dos times com maior audiência nas transmissões. E o que os grandes clubes brasileiros – incluam aí o São Paulo FC – vendem aos seus patrocinadores?

Exposição!

  • Exposição de sua marca, naqueles símbolos estampados ao lado do gramado;
  • Exposição do fornecedor de material esportivo e patrocinadores em geral, não apenas o que aparece no peito mas o que aparece na publicidade estática;
  • Valorização dos seus camarotes;
  • Valorização do novo espaço Visa.

No caso das transmissões esportivas pela TV, tudo que é mensurado por exemplo para a marca LG dentro do
estádio do Morumbi é computado em um relatório final como mérito tricolor. E não importa se o jogo foi Palmeiras x
Corinthians, a marca LG estará lá, atrás do gol e em várias posições do
estádio.

Esse também é o nome do jogo! Exposição. Palavra importante para quem declaradamente teve que fechar um contrato tampão com a LG por R$ 15 milhões para buscar mais valor em 2010.

Sanches sabe disso. E quis sua contra-partida! Que nas partidas entre seu clube e o “dono” do Morumbi, sua torcida fosse respeitada com uma carga maior de ingressos, independentemente do que é certo ou do que é praticado em outros estádios. Até porque em jogos entre Corinthians e São Paulo, a reciprocidade seria verdadeira.

Na cabeça de Sanches deve ter passado: eu gero valor prá eles? então quero a devida contra-partida.

RESULTADO?

O pior de todos. A “Administração” de futebol “mais competente do Brasil”, com sua pouca inteligência conseguiu colocar em seu estádio ontem 33.991 pagantes.

Mais ainda: conseguiu criar um clima extremamente ruim com seu “parceiro” de negócios, que sempre ajudou a alavancar a exposição na mídia dos seus patrocinadores.

E pior de tudo: os dirigentes conseguiram exponenciar a rivalidade das torcidas, que no final do jogo se enfrentaram. Aliás, de acordo com o jornal O Estado de São Paulo de hoje, uma bomba explodiu em área onde torcedores corintianos saíam, gerando grande tumulto, confronto com policiais e pessoas retornando ao estádio. Pessoas foram pisoteadas.


CONCLUSÃO: CONCLUSÃO??

Esse assunto pode não ter uma resposta exata. Mas cabe a análise dos prós e contras. Na minha opinião, a diretoria sãopaulina agiu de maneira burra, não pesando que do outro lado da mesa estava um parceiro de valor e que não é estúpido.

Também na minha opinião Sanches agiu como o Presidente de um clube do porte que ele dirige deve agir. Gritou na hora certa e avisou: vocês vão ter o troco, e vão sentir no bolso.

Espero que ele cumpra sua promessa.

Mas há também uma outra nota, que ninguém ainda comentou. Ah, se explode uma bomba de fabricação caseira na Padre Thomas em saída de clássico Palmeiras e São Paulo. Era capaz do Palestra Itália ser interditado por muito e muito tempo.

Saudações Alviverdes!

21 respostas em “Encrenca dos ingressos: olhando além da superficialidade. E um comentário: ah se fosse em nosso estádio…”

Grazie tanti Elio! Caio sem problemas. Não fui lá no blog mas só peço quando for assim citar a fonte (tá cheio de jornalista por aí que puxa o conteúdo e não dá os devidos créditos).

Complementi, Vicenzo. Análise perfeita! Ah se fosse no Palestra Itália … Enquanto isso, somos obrigados a ouvir o eloquente silêncio da maldita imprensinha venal!

Caio, desculpe a intromição, mas o Damato é o jornalista que melhor segue a linha editorial do Lance! (tbm conhecido como Boletim de Madame): exaltar o SPFW a qualquer custo afirmando a cada reportagem o mantra “clube melhor administrado e perfeito”, “arrojada e atual”, etc. Pra mim é um mero repassador de press-releases cor-de-rosa servindo interesses do clube que o próprio jornal patrocina.
Por exemplo, é dele a reportagem dizendo no ano passaod que o Palestra era um Barril de Pólvora, antes da semifinal com os bambis.
Abraço,
FC

Vicente
SEMPRE acontecem brigas de torcidas e confrontos com a polícia em clássicos no Morumbi. Sempre!
E nunca vi, li ou ouvi nenhuma autoridade nem imprensa sugerir a interdição do estádio. Estranho, não?
Abraços

Vicente,fiz a coisa antesde pedir autorização: copiei esse excelente texto e pus nos comentários do blog do Marcelo Damato( admito: leio o cara regularmente, éum dos pouquíssimos jornalistas esportivos que palmeirense consegue ler). Claro que a reação foi imediata. Fiz isso para colocarum ruído dialético nos comentários do referido blog, apimentar a discussão. Espero que aprove, caso contrário, avise por aqui e peço para ele excluir o texto).

Vicente, poderias utilizar a mesma inspiração e dissecar a “muito mal contata e divulgada” história do patrocínio da Nike no SCCP a partir do meio de 2010 (???). Pouco eleitoreiro este anúncio, não?

João, o SCCP se posicionou agora pouco:
Confira abaixo a íntegra do comunicado postado no site oficial do Corinthians nesta segunda-feira:

“A diretoria do Corinthians lamenta os incidentes ocorridos ao término do jogo de domingo último, no Morumbi. Apesar do comportamento exemplar da nossa torcida e do empenho da Polícia Militar, bombas caseiras lançadas do estacionamento privativo dos sócios do São Paulo detonaram um processo de pânico, agravado pelo clima de animosidade, criado pela decisão equivocada do adversário de limitar nosso acesso ao Morumbi.

Pior: a obra ora em execução na área de vazão da torcida visitante produz um afunilamento de torcedores na saída que desafia o bom senso e a prioridade que deveria ser atribuída à segurança dos clientes daquele estádio.

Confiantes de que o Ministério Público saberá impor condições civilizadas de acesso e saída no Morumbi, o Corinthians se solidariza com seus torcedores vitimados, verdadeiros mártires da arrogância e incompetência de adversários que nos tratam como inimigos.”

Abraços Alvi-verdes,
FC

Rsrsrs… obrigado João. Vi o filme Batman neste fim de semana e fiquei inspirado pelo Coringa. Abs,

P.Q.P.! Que post fantástico sintetizou tudo que a mídia especializada não soube debater! Tava inspirado hein Vicente? Parabéns! Mas hoje na hora do almoço vi a noticia de que o SCCP vai pedir a interdição do morumbi, algo que dificilmente irá acontecer, mas acho válido, se fosse com elas, por exemplo, no Palestra Itália, iam fazer o mesmo.

Se fosse no Palestra hoje estariamos lendo e ouvindo a ladainha.
Estádio pequeno, região de dificil acesso e escoamento…..Irresponsabilidade…etc..
Outra coisa…nunca ouvi um reporter citar nosso Setro Visa.
Agora..é comum ouvir os bambis da imprensa, citar o do Morumbi.

Que a administração bambiana é dissimulada e maquiavélica não é novidade e DEVE SER COMBATIDA POR TODOS OS CLUBES.
O duro é ver torcedores sofrendo fisicamente no
anti-estádio e NINGUÉM responsabilizar o SPFW.
EU TENHO NOJO DA IMPRENSA ESPORTIVA PAULISTA !!!
Abraço,
FC

O ideal seria os gamba pedirem a interdição do estadio dos bambi mesmo que não aconteça nada, mas, é mais alguma coisa pra constar na ficha delas.

Bom demorou mas finalmente os ignorantes dirigentes corinthianos (opa, redundância: ignorantes e corinthianos) acordaram para o fato que tanto palmeiras quanto corinthians ficaram 30 anos enchendo os cofres bambinescos com aluguel e placa de publicidade estática. Mesmo a valorização do Morumbi como “o palco dos clássicos paulistas” foi alimentado pelas duas diretorias imbecis que insistiam em mandar seus jogos na bambineira. Antes tarde do que nunca! Agora o anão de jardim e os “gênios” do marketing bambínico que se virem para colocar torcida lá dentro, afinal nem colocando ingresso a R$20 reais (como já fizeram), sendo tri mundial, hexa nacional conseguem pôr mais torcida no campo que o palmeiras durante a fila. Morram de inveja, bibas! Carisma só verdão tem!

Excelente texto.

Se o Andre “Comedor de Esses” Sanche cumprir a promessa, vai ajudar a derrubar ainda mais as já combalidas finanças do “clube mais bem administrado do Brasil”.

Vicente….. se essa bomba EXPLODE no Palestra? Era capaz do dirigente-vereador propor uma lei para TOMAR o Palestra do Palmeiras repetindo a história no passado.

Ah ! sinceramente, gostei da bola nas costas que os gambas tomaram.. tava um grude desse Sanchez com o Bebum da Jd. Leonor.. que dava nojo..

se explode no Palestra, o Palmeiras seria banido de todas as competições por 100 anos.
Mas o Panetone não era um estádio seguro?? que estranho……

o minimo seria ser aplicada a mesma lei… que diz QUE O MANDANTE E RESPONSAVEL PELA SEGURANCA…. nao foi isso de disseram no caso do gas???

o mais legal foi alguns na TV dizendo ‘esse e o estadio que sera a abertura da copa’

uhauhaa d+

Vicente, isso considerando que foi uma bomba DENTRO DO CLUBE!. E o Paulo Castilho deu entrevista para a rede tv, onde primeiro falava que não tinha recebido informações oficiais, e terminou por defender estádio e a “super” administração.

Ano passado, na final do Paulistão, teve um problema NA RUA, fora do clube, e o mesmo estando dentro do Jecrim e dentro do clube, já bradava aos microfones que sabia que teria briga, que isso e aquilo. Se não me engano, falou até em interdição na mesma hora.

Por isso a sua frase é tão real, se uma bomba explode na rua ao lado do Palestra, ele é mal localizado, perigoso, até o fato de ter transporte público perto já virou motivo para falta de segurança (um absurdo, avisem o pessoal de Munique e Amsterdam, que o Allianz e a Amsterdam Arena estão correndo risco!). Mas se explode uma bomba dentro do clube lá, não é grande problema.

Opa Vicente, eu vou um pouco mais além… se essa BOMBA explide lá pela “Padre Thomas” com certeza O PALESTRA E TAMBÉM O PALMEIRAS seriam OS RESPONSÁVEIS por isso. Infelizmente, não dá pra admitir essas coisas. E como disse o Joselito, “Pobre do nosso dinheiro”, assim foi, assim é e infelizmente assim será, para com o tim (?) do jd. leonor

Vicente se isso tivesse ocorrido no Palestra (a bomba), com certeza agora seríamos motivo de exploração por parte dessa mídea bambi podre. E digo mais, como você bem disse, o que um vereador está fazendo ao ficar defendendo um clube. Pobre de nosso dinheiro. Vicente e nosso lateral direito, volante e atacante. Marcão??? Não entendi. Abraços palestrinos

Os comentários estão desativados.