Categorias
Resenha dos Jogos

Paulistão 2009 – análise da arbitragem da R08

Por Danilo Cersosimo

Não gosto quando a rodada me obriga a falar mais dos outros do que do Palmeiras… Mas o que se vai fazer? Fomos de time misto contra o Paulista e ganhamos sem lances polêmicos – o gol do Evandro me pareceu totalmente legal, embora alguns tenham levantado a hipótese de que ele estivesse impedido. Não vi nenhum “tira-teima” comprovando tal hipótese, portanto fico com a minha impressão de lance legal. O que os caros leitores acharam?

***

Já no Morumbi o árbitro José Henrique de Carvalho teve trabalho num jogo que começou tenso pela combustão criada pelas duas diretorias durante a semana.

A diretoria corinthiana reclama do excesso de cartões amarelos aplicados contra seu time – no que discordo; na verdade, faltou cartão amarelo aos jogadores do SPFW.

A expulsão de Túlio foi correta, mas eu teria dado vermelho ao André Dias também, que provocou a expulsão e foi incensado por muitos “pela malandragem”… aliás, nesse lance o jogador Túlio tentou cavar um pênalti de uma maneira tão bisonha (além de tal artifício ser antiético) que merecia ser expulso duas vezes…

O cartão vermelho para o inoperante Vágner Diniz também foi correto – levou o segundo amarelo e por isso acabou expulso. Idem para a expulsão de André Santos do Corinthians, que deu entrada com força desproporcional em jogador adversário.

Houve também um suposto pênalti sob o volante Jean reclamado pelos leonores – na minha visão o jogador tentou cavar.

De um modo geral faltou pulso ao árbitro para controlar os ânimos durante todo o jogo – quando precisou agir já era tarde e teve que partir para as (corretas) expulsões.

***

O técnico Mano Menezes reclama que a expulsão de Túlio teria sido influenciada por atores externos ao jogo – o auxiliar Edmilson Corona teria ouvido via rádio sobre a agressão de Túlio a André Dias. A FPF alega que a comunicação via rádio se dá apenas entre o trio de arbitragem e o 4º árbitro, sendo impossível que tal informação parta de outra pessoa.

***

Chama a atenção como ambas diretorias bateram no árbitro antes, durante e depois da partida – o futebol paulista/brasileiro, que se pretende tão profissional está querendo implantar a técnica de ganhar no grito – o que só empobrece o espetáculo.

***

Os responsáveis pelo quebra-pau e pela violência antes e depois do jogo no Morumbi mais uma vez ficarão impunes – infelizmente.

Em BH um jovem foi baleado covardemente a caminho do Mineirão.

Enquanto isso, promotores falam, falam, falam, ganham ingressos para shows – alguns até concorrem a vaga de vereador – e nada fazem de concreto para PUNIR os responsáveis por isso.

Dirigentes de clubes, jornalistas e às vezes até treinadores também colocam lenha nessa perigosa fogueira. O poder público se omite. Ninguém é responsabilizado por nada.

O despreparo da PM também é flagrante.

A questão da violência no futebol não é restrita ao time A ou B – é uma doença que acomete o futebol e a sociedade como um todo. A solução deveria passar por um movimento coletivo, mas lamentavelmente o que se vê é de uma mesquinharia sem tamanho – a vida é muito mais valiosa que isso.

2 respostas em “Paulistão 2009 – análise da arbitragem da R08”

Lance do Palmeiras: GOL LEGAL…… Derbi paulista: Teve futebol?…… E sobre o Morumbi: vergonha…

Nunca vi uma tentativa de cavar penalti tão mal feita, horrroroso esse Túlio. O menino Jean pelo menos fez “direitinho” só que o juiz acertadamente não caiu na dele. Achei que o André Dias merecia somente o amarelo. O Mano está se revelando péssimo fora das quatro linhas, faz sempre o choro preventivo, tipo Leão.

Os comentários estão desativados.