Categorias
Italiano

Lega Calcio: 28^ Giornata; e a análise da Champions League

Lega Calcio: 27^ Giornata; e análise da Champions League

Por Carmine Paciello

* Per la prima volta desde 2002 não vão estar times italianos nas quartas de final da Champions League.

Uma notável perda, econômica e de prestígio. Entao essa é a actual dimensão do futebol italiano: enquanto na Europa se joga o futebol real, na Itália se pratica o futebol virtual. Aquele da moviola!

Assim a partida torna-se um detalhe, aquele que vale não é o que sucedeu no gramado mas tudo aquilo que o cerca. O jogo nem bem termina e já iniciam os protestos dos jogadores e dos diretores derrotados que culpam aquele juiz pela derrota, com a mídia (sem exagero, Mourinho tem mil razões a etiquetar a eles como prostitutas) que orquestra uma campanha da imprensa contra aquele time, aquele técnico ou aquele jogador. Uma violência que instiga outra violência em um conflito perene, uma hemorragia continua.

O italiano Capello, atual técnico da Inglaterra tem bem razao ao afirmar que as equipes inglesas foram superiores às italianas devido à maior força física dos jogadores e à maior fluidez de jogo. “Eles são mais acostumados a um jogo com maior força física”.

Outro defeito dos jogadores italianos (que o penaliza automaticamente em campo internacional onde o árbitro não aceita ver encenação) é que eles reclamam muito e usam cavar faltas com truques; de reflexo na Itália os juizes apitam muito não deixando assim o jogo fluir. Além disso a estrutura do futebol italiano, politica, marketing, etc, etc, é muito inferior em relação à inglesa. Basta ver os estádios velhos, não confortáveis e não de propriedade dos clubes para notar a diferença.

* A Inter enfrentou um time superior que mesmo com uma certa dificuldade (acertou a trave duas vezes) controlou o jogo e se classificou merecidamente. Dito isso nao concordo com quem diz que a Inter foi eliminada porque não soube gerir a 1^ fase onde terminou ao 2° lugar. No ano passado embora tivesse vencido o próprio grupo pegou o Liverpool (2° no próprio grupo) e também foi eliminada. Portanto?

* Uma Roma dizimada fez o que pode: sem meio time e com outros a meio serviço (viu o Totti?) foi heróica. Logo marcou com Juan e continuou atacando mas não conseguiu fazer o gol da qualificação. Assim acabou o tempo normal e também a prorrogação. Nos pênaltis deu Arsenal. E aquele penalty de Vucinic? que barbaridade!

* A decepção maior foi da Juve. Obrigada a vencer ela começou no ataque e pronto realizou com Iaquinta. Mas o Chelsea reagiu com categoria e no final do 1° tempo empatou com Essien. Na 2^ etapa Del Piero converteu um penalty mas logo depois, com a Juve com 10 pela expulsão do zg. Chiellini, Drogba selou a qualificação do time de Londres. Foi um jogo equilibrado então minha convicção é que com Scolari ainda no comando a Juve iria eliminar o Chelsea: a chegada de Hiddink foi essencial pela qualificação do time inglês pois ele transmitiu confiança aos jogadores, deu um minimo de ajuste tático e, sobretudo confirmou Drogba no ataque, um atacante poderoso que Felipão (esse foi o seu grande erro) havia banido preferindo a ele o impalpável francês Anelka.

* E a liga? O final da 28^ rodada confirma a diferença de 7 pontos entre Inter e a segunda colocada, a Juventus, que massacrou (4 x 1) o Bologna. Grande atuação de Giovinco, essa “formiga atômica” é uma bela realidade do futebol italiano; a meu ver ele merece ser titular na Juventus e também ser testado na Seleção.

* Em tempo: Salihamidzic fez um gol e deu duas assistências.

Mas a meu ver ele não poderia jogar pois deu um soco a um jogador do Torino e com “A prova TV” deveria ser expulso assim como aconteceu com Adriano. Será que a diferença entre os 2 atos foi que emquanto o soco do “zebrado” nao foi “divulgado” aquele do interista foi estigmatizado e transmitido a 14.799 pela Tv? E isso nos leva outra vez ao discurso antes considerado.

* Uma brilhante vitória (4 x 1 fora de casa, com Inzaghi que marcou o seu gol n° 300) também consolida o Milan na 3^ posição graças também ao empate externo da Roma (2 x 2 contra a Sampdoria) e a derrota da Fiorentina (2 x 0) contra a Inter que, mesmo jogando de maneira horrível vence com 2 gols de Ibrahimovic e grandes defesas de (Ave) Giulio Cesare.

* Depois de 5 anos e de levar o time de volta na serie A, Edy Reja foi demitido. A guia do Napoli foi assumida pelo ex-técnico da Azzurra, Donadoni (que já foi chamado de Don Antonio por alegrar a torcida napoletana) que chega com alto astral em Napoli!

Acho que foi uma boa escolha pois o considero um técnico de valor. Então, depois do empate externo contro a Reggina, ele enfrentará em casa o seu ex time quando era jogador, o Milan.

Que caprichoso sinal de destino!

Verdao4ever!
Carmine.

*Carmine Paciello escreve sempre às 4as feiras
no 3VV falando sobre o Campeonato Italiano e
o futebol europeu