Série Arenas Esportivas – Hospitalidade Comercial

Da Série Arenas Esportivas 
Recomendações e Exigências Técnicas FIFA
  
Por Claudio Baptista Jr.*

Pessoal,

Em continuidade a 7ª parte do documento, hoje falaremos sobre direitos de hospitalidade comercial.

Porém é sempre bom falar sobre outros pontos a fim de também refletirmos a respeito.

Li e ouvi faz algum tempo em veículos de comunicação que existiria uma possibilidade de Palmeiras e SPFC darem-se as mãos visando a realização da Copa do Mundo de 2014. O primeiro dando apoio à abertura no Morumbi e o segundo apoiando uma outra sede sendo esta a Arena Palestra Itália.

Vejam bem, o que acabei de mencionar não passa de especulação ou delírio de quem falou a respeito, mas não pode ser um assunto para passar batido visto o grande desejo, explicito ao menos na torcida, de a Arena Palestra Itália ser uma das sedes e receber jogos da Copa de 2014, em especial da Itália.

E em cima disso vou dar minha opinião. Jamais dar as mãos ao SPFC. Não pela rivalidade em si, mas pelo resultado desse sonhado ou delirado, real ou absurdo, ou sei lá o que apoio mútuo.

Hoje o Palmeiras tem em mãos um contrato assinado, sério e com aporte financeiro sob seguro. Do outro lado… nada, só marketing e um projeto incompleto.

A partir daí gostaria que vocês imaginassem esse cenário acontecendo. O Morumbi sede da abertura e mais alguns jogos importantes e a Arena Palestra Itália como sede da Itália na primeira fase e recebendo mais um ou outro jogo da Copa.

Pois bem. Todos muito felizes, a colônia italiana feliz, um sonho do clube realizado, etc… , mas E DEPOIS?

A Arena Palestra Itália será paga em cada centavo durante quase 30 anos, afinal, deixaremos de obter receitas que serão da parceira. Isso é fato, está assinado e nada mais do que justo, pois quem coloca o dinheiro, desde que seja um investidor sério, quer seu retorno.

Do outro lado teríamos para o estádio de um rival:

  • Remodelagem do estádio recebendo gratuitamente funcionalidades como terreno e estacionamento, afinal, estarão anexadas ao Morumbi sem que o clube tenha tirado um centavo do bolso.
  • Possivelmente obra com incentivos fiscais.
  • Acordos generosos de financiamento através do PAC da Copa.
  • Oportunidade de marketing gratuito sobre o estádio da abertura porque na cabeça de muitos da imprensa, um projeto incompleto, mas que recebe o jogo de abertura é melhor do que uma solução adequada aos requisitos da FIFA, melhor localizada, como mais flexibilidade de entretenimento, etc…

Pensem a respeito. É isso que o Palmeiras quer ou é isso que o Palmeiras pode?

Na minha modesta opinião acredito que podemos mais.

Se dissesse para vocês que o valor do terreno público em frente ao estádio do Morumbi mais a construção do referido estacionamento ficaria na casa ou próximo dos R$ 100 milhões? Isso não daria o direito do Palmeiras pleitear investimento similar? Por exemplo:

  • Uma ligação subterrânea entre Estação Barra Funda – Shopping West Plaza – Arena Palestra – Shopping Bourbon ou;
  • Estacionamento em local próximo a Arena como na área do outro lado da avenida Matarazzo visando utilizar a área do estacionamento prevista no nosso projeto para outros fins como ampliação da própria Arena, para a construção de outras funcionalidades, áreas de entretenimento, etc…

Reflitam a respeito.

E agora vamos voltar ao documento da FIFA.

1 – Decisões preliminares.
2 – Segurança.
3- Orientação e estacionamentos.
4 – Áreas de jogo.
5 – Autoridades e jogadores.
6 – Espectadores.

7 – Hospitalidade.

7.1 – Instalações de hospitalidade para as empresas
7.2 – Exigências em matéria de hospitalidade: princípios diretores
7.3 – Condições necessárias para o programa da FIFA
7.4 – Espaços VVIP e VIP
7.5 – Direitos de hospitalidade comercial
7.6 – Condições especiais.

8 – Mídias.
9 – Iluminação e alimentação elétrica.
10 – Telecomunicações e espaços complementares.

7.5 – Direitos de hospitalidade comercial

Os serviços exclusivos de alta qualidade do programa de hospitalidade comercial da Copa do Mundo da FIFA (recepção, serviços de restauração, brindes, entretenimento, etc…) são destinados aos titulares de uma categoria especial de bilhetes. De acordo com as instalações disponíveis no estádio ou na proximidade, este programa de hospitalidade será colocado em obra no estádio dentro das salas e espaços específicos, ou no exterior em estruturas temporárias.

Todas as instalações e espaços de restauração, espaços técnicos, de divertimento e espaços públicos situados dentro do estádio sob o controle do COL (Comitê Organizador Local) devem se submeterem aos critérios de alocação de espaços como não estarem situados a distâncias superiores a 150m das tribunas do estádio. Devem ser ligadas a redes de água, energia, gás, etc…, e serem próximas a um estacionamento.

As estruturas existentes no interior do estádio, como salas de recepção e restaurantes, ou adjacentes como centros esportivos e salas de conferência podem ser utilizadas para reduzir ao máximo o número de novas construções. Espaços para estocagem e cozinhas são igualmente necessários. Os critérios de alocação do espaço de hospitalidade se aplicam igualmente a todos os stands e aos espaços de serviço.

Amigos. Em função de mais uma longa introdução o término desta 7ª parte foi prorrogado para a próxima semana.

Abraço,
Claudio Baptista Jr.