Categorias
Direto da Fonte

Ataque do Palmeiras espera ser ‘diferencial’

Precisando balançar às redes para conseguir a classificação para a
próxima fase da Copa Libertadores, o ataque do Palmeiras espera ser o
diferencial na partida da próxima quarta-feira, contra o Colo Colo,
em Santiago.

“A nossa meta é sempre marcar gols. Temos essa função e vamos
procurar manter a escrita, pois neste ano, só não fizemos gol em uma
partida. Claro que a responsabilidade é de todos e até um defensor
pode marcar, como aconteceu com o Marcão [contra a LDU]. Mas pelo
fato de estarmos ali na frente, pode facilitar”, afirmou o atacante
Keirrison, em entrevista coletiva concedida nesta sexta-feira.

Para o camisa 9 palmeirense, a equipe poderá ter sucesso caso consiga
jogar com inteligência.

“Não podemos partir para o ataque feito ‘loucos’. Se terminar o 1o.
tempo 0x0, temos que colocar na cabeça que podemos vencer. As
dificuldades serão imensas, mas já provamos que sabemos lidar com as
adversidades. Vai ser um jogo calculado e de inteligência. Não
podemos errar”, comentou.

O atacante Willians, que retorna à equipe, adotou o mesmo discurso e
também citou a boa média de gols na temporada.

“Em 28 jogos, só deixamos de marcar gol em uma partida. Já provamos
poder ofensivo, frieza e qualidade para marcar gols. Claro que não é
garantia que vamos marcar no Chile, mas é uma demonstração que
podemos corresponder.”

Willians acredita que o entrosamento do ataque palmeirense é uma das
armas para o jogo de Santiago.

“O time está sendo formado esse ano e ainda está crescendo. O ataque
já mostrou estar entrosado. Os jogadores se conhecem, sabem o
posicionamento de cada um em campo. Isso facilita e ajuda na hora de
fazer as jogadas de frente”, opinou.

O ataque do Palmeiras em 2009 é um dos melhores do século do clube.
São 55 gols em 28 jogos. A equipe só não marcou gol em uma única
partida, na derrota de 1×0 para o São Paulo.

Dos 55 gols, 33 foram de finalizações de dentro da área, 6 de fora da
área, 9 de cabeça e 7 de pênalti. Foram 36 gols com o pé direito, 10
com o pé esquerdo e 9 de cabeça.

Nessas 28 partidas, o quarteto formado por Diego Souza, Cleiton
Xavier, Willians e Keirrison foi o que teve melhor aproveitamento.
Eles atuaram juntos desde o início em 11 partidas, e o time marcou 32
gols. Foram 16 gols de Keirrison, 4 de Cleiton Xavier e Diego Souza,
e 1 de Willians. O time obteve 9 vitórias [3×0 Mogi Mirim, 5×1 Real
Potosí, 2×0 Real Potosí, 4×1 Santos, 3×2 Mirassol, 4×3 São Caetano,
3×0 Barueri, 2×0 Noroeste, 2×0 Sport], 1 empate [2×2 Portuguesa] e
apenas 1 derrota, por 3×2 para a LDU, em Quito.




Crédito: Fabio Menotti