Categorias
Notícias

Quem agride e quem provoca

Por Emerson Prebianchi 
 
Hoje o tema jurídico a ser discutido é complexo e pouco
explorado, pelo menos pelos lados do Palmeiras. Vamos falar sobre agressões,
quem agride, quem provoca e quem ameaça.

Mas antes vamos a uma cobrança pública, pois ontem na Vila
Belmiro, Germano e Chicão trocaram socos e até agora o nosso ágil procurador
são-paulino não se pronunciou.

Vale lembrar que na mesma noite do infeliz episódio
envolvendo o atleta Diego Souza e o boxeador santista ocorrido no Palestra Itália,
o membro do TJD/SP apareceu  na mídia
televisiva afirmando que requisitaria as imagens da partida e que promoveria a
denúncia do atleta na primeira oportunidade, vez que o tribunal estava fechado
pelo feriado daquela semana.

E então nobre procurador, não vai se pronunciar?

As imagens são tão fortes quanto aquelas do descontrole de
Diego Souza e não tiveram o mesmo peso na mídia, e pelo que vemos até aqui
também não vão ter o mesmo rigor do procurador.

As agressões de ontem são inquestionáveis, assim como a
agressão promovida por DS e devemos exigir o mesmo tratamento de modo que a
pena imputada a Diego Souza deve ser a mesma aplicada a Germano e a Chicão.

A AMEAÇA DE JUAN


Crédito: André Durão/Globoesporte.com; http://3vv.com.br/wp-content/uploads/2009/04/0,,20560476-EXH,00.jpg

Outro caso deste fim de semana, na mesma linha do tema proposto,
foi a atitude do atleta Juan, do Flamengo, que depois de atingir de forma
indiscutível um atleta do adversário Botafogo, ainda se debruçou sobre o
adversário caído e com o dedo em riste intimidou rispidamente o oponente.

Não se pode afirmar que a atitude de Juan tenha sido uma
agressão, mesmo sabendo que a agressão não precisa necessariamente ser física
para causar prejuízos a outrem. Entretanto, para minha surpresa, a punição
imediata do árbitro foi um questionável cartão amarelo.

Assim como a atitude do boxeador santista que
deliberadamente entrou em campo com a ordem de provocar a expulsão de Diego
Souza e de forma inquestionavelmente contrária ao princípio do desporto causou
prejuízo não só ao clube como também a toda sua torcida, e entenda-se aí
consumidor, a postura de Juan ao intimidar o atleta botafoguense também foi
temerosa do ponto de vista dos resultados possíveis após o fato.

Naquele momento a confusão não se tornou generalizada por
muito pouco já que vários atletas dos dois clubes trocaram empurrões bem diante
do árbitro da partida que nada fez.

Independente do resultado final da provocação, a questão a
ser discutida é…

QUAL ATLETA BRASILEIRO JÁ FOI PUNIDO POR INCITAR
A VIOLÊNCIA
NUMA PARTIDA DE FUTEBOL?

Esse é um ponto importante a ser estudado, pois assim como o
atleta que promove uma agressão deve ser punido, o atleta que provoca uma
situação de descontrole por meio de uma provocação não deveria sê-lo também?!?!

Saudações Alviverdes!
  

17 respostas em “Quem agride e quem provoca”

Bom vimos mais uma vez que esses tribunais do nosso Brasil é palhaçada !!
graças a Deus o DS7 não pegou nada, mas tenho certeza que se ele faz isso la fora pega pelo menos 3 meses !!
Mas as vezes é bom ter esses palahços em nosso brasil !!

Caramba, esse tema é complicado. Mas acho que o Diego vai tomar uma punição. O tamanho dela dependerá do advogado Luir Roberto de Castro.

chibatada em quem errar!!!!
Mas que seja em todo atleta que errar e não só nos atletas do palmeiras!

Presi e Cia, acho que vocês estão querendo impor um tribunal talebã no STJD. No Afeganistão se a mulher mostrar o cotovelo está se oferecendo então deve ser apedrejada ou tomar 100 chibatadas. Dar cotovelada, soco, empurrão, num esporte de contato é uma coisa. Brigar é outra.

como vc vê Emerson ai tem dois pesos e duas medidas, acho que nos bastidores ainda estamos muito fracos o verdão já foi mais forte nos bastidores. Incrivel como perdemos quase todas no Tjd e Stjds da vida? Puxa ficou muito puto da vida com isto ano passado no Brasileirão foi daquele jeito acho que tem times como os bambis e gambas sempre são mais ajudados e agente só se ferra com isto. Acho que ta na hora da nossa diretoria chegar junto com estes caras do tribunal pois este ano quero o Brasileirão e que os homens pilantras do STJD não prejudique o verdão e ajude os bambis e os gambas ou quem quer que seje, ano passado o Dagoberto pisou em um cara da Lusa e não aconteceu nada e o Kleber subiu em uma bola que não aconteceu nada e levou amarelo e acabou sendo denunciado espero de coração que esta palhaçada acabe e nosso time não venha ser prejudicado, pois já faz 15 anos que não levamos o Brasileirão e este ano temos que conquistar de qualquer jeito.

Claudião e Rogério, nesse lance do derby, o TJD se pronunciou dizendo que evitaria a utilização de imagens e utilizaria apenas os relatorios de arbitragem, mas depois do lance do Christian eles mudaram de ideia e abriram precedente pra esse procurador requisitar as imagens do DS e daí pra frente vai virar Brasil……
Presi e Diego, agressão é agressão e deve ser punida igualemnte em qualquer condição! Se vale usar o video tape para apurar uma possivel agressão, que se utlize em todos e se punam todos os que cometerem esse ato.
Ana tô contigo nesse ideal! Mayara por vezes sou visto como sonhador por defender essa bandeira de que as coisas precisam ser mudadas!

Rocha, o caso do Christian foi típico de falta de espírito esportivo, deve sem dúvida ser imputada alguma pena a ele. Mas não é caso de se ficar fazendo estradalhaço por isso. O pessoal exagera um pouco porque se trata de um acusado do time queridinho da imprensa, contra o acusador queridinho dos tribunais.

Pois é pessoal, esse negócio de agressão durante a partida é algo bastante complexo.

Claudio, no caso do Chicão contra o Sandro Silva, fica evidente que o cara estava sendo seguro e quis se desvencilhar, aplicando uma cotovelada. Lance claro de agressão, cartão vermelho, sem dúvida. Não foi aplicado, porém, porque o juiz não viu. Agora te pergunto: você acha que o distinto procurador deveria punir TODO caso similar que não fosse observado pelo juiz numa partida de futebol? Sei que estou metendo o bedelho na área de Emerson e Claudio, leis e arbitragem, mas eu acho isso um lance de jogo, claramente. Não se constitui uma agressão deliberada, em que o jogador esqueceu o esporte e partiu para cima do oponente com o intuito único de agredi-lo. Existe uma diferença ENORME entre as duas situações. No futebol, a agressão é passível de punição e se for o caso, aplicar-se-á uma suspensão proporcional. Mas é um esporte de contato extremo, de vigor, em que há “combate” pela posse de bola e pela obtenção de espaços. Não creio que se deva confundir uma agressão de jogo, como esta do Chicão (e mesmo aquela do Kléber no André Dias, que custou alguns pontos na cara do sujeito), com aquela por exemplo do Danrley em 1995, que saiu correndo atrás do Válber para lhe aplicar uma “voadora” atrás do gol! Isso sim é briga generalizada, caso de agressão até para a justiça. Ou também lances claros em que o jogador aproveita uma circunstância de desatenção da arbitragem e sai da jogada para desferir um soco na cara do adversário (vide Válber-Zagueiro no Antonio Carlos em SP X Palmeiras, anos 90), o que claramente foge ao “contato” e “luta” normal do esporte.

Portanto, acho que devemos ser coerentes com o esporte e ter muita calma na hora de falar para o procurador leonor denunciar este ou aquele sujeito.

Acho que este tribunal não tem respeito nenhum primeiro foi a cotovelada de Chicão em Sandro Silva no Derby que o procurador não disse nada, e ontem adiaram mais uma vez o julgamento do Christian sera que eu que estou errado? Ou o tribunal ta certo! porque tudo que é pró-gamba o SJD se esconde e não pronuncia nada e já o verdão sempre se ferra com isto

Grande Emerson,
Segue o link da agressão do Chicão no Sandro Silva. A imagem é inquestionável, mais grave do que a rasteira aplicada pelo D. Souza e tão grave quando o soco do Germano.

http://www.youtube.com/watch?v=sTvLBaZGe-I

TJD e procurador leonor …. silêncio.
Abraço

Sei que já deixei aqui um comentário imenso,rs, mas só + um adendo: Fábio Costa ñ encheu a boca pra falar como o Diego Souza tinha que ser punido pra DAR O EXEMPLO? Pois é…que o exemplo seja dado…que Germano seja suspenso com a mesma intensidade! Foi uma agressão vista por todos e se por um lado ñ teve um jogador voltando ao campo para agredir o outro – expulso, diga-se de passagem -, por outro teve uma agressão partida de um jogador em cima de outro ainda atuando em campo, atrapalhando-o. Pois é, vamos ver se vai servir de exemplo mesmo…só kero ver…

Olha, eu havia discutido sobre a mesma coisa com o meu namorado outro dia…acreditamos que o atleta que provocasse a violência ou quebrasse um cara, deveria ficar um tempo fora igualmente -por ex.-, afinal ele causou esse prejuízo. Vamos supor ‘ cara fica 3 anos afastado por ser quebrado por outro, esse outro fica 3 anos afastado tb; um cara toma um gancho de 1 mês por causa da provocação de outro, esse outro ficaria fora 1 mês tb. É só um exemplo, de qualquer forma concordo com o q você diz e acho q assim iriam mostrar d fato o qto essas atitudes – provocar, kebrar o cara maliciosamente por ex., tb – são anti-futebol. Talvez esse tipo de coisa diminuisse mas evidente q usariam algum kra ñ mto importante pra continuar provocando algum jogador e tal, como o Mancini fez, mas acho q seria o + justo. Essas coisas atitudes cretinas são comuns no futebol? Infelizmente são, mas o futebol teve suas regras alteradas para u melhor jogo, para um jogo + honesto, justo e é disso que se trata.

Diego, até concordo com vc quando diz que provocação faz parte do jogo. Mas há provocações que, nitidamente, incitam a violência e é isso que precisa ser combatido.

Essa merda de STJD só “funciona” de acordo com seus interesses escusos, é uma tremenda de uma safadeza.

Eu acho o seguinte, provocação, faz parte do jogo, não podemos esquecer que Futebol é um jogo e como tod jogo, existem várias maneiras e meios de se buscar a vitória, uma delas é a provocação.
Com relação as punições, acredito que os membros do STJD estão sendo muito rigorosos… acredito que uma agressão é uma expulsão comum, lógico que ao invés de um jogo, deveria pegar 7 ou 10, por exemplo. Porém a questão da agressão deveria ser julgado na justiça comum, pois seria assim com qualquer outra pessoa. Não cabe ao Tribunal desportivo acabar com a carreira profissional de uma pessoa. Mas como tudo, o brasileiro adora inventar e complicar. Acho que nem deveria existir STJD, mas os membros perderiam suas boquinhas e tudo no Brasil funciona assim, invenar cargos por questões políticas, apenas uma boa comissão de árbitragem poderia dar de 1 à 10 jogos de suspensão e o STJ cuidaria de questões como agressões físicas ou morais.

Se não há provocação, as chances de ocorrerem uma briga diminuem e muito! É uma vergonha que isso não seja levado em consideração! Uma vergonha!

É claro e evidente que os atletas provocadores tem uma parcela de culpa muito grande e devem ser punidos severamente também. Isso já inibiria essa tramóia vergonhosa que vem ocorrendo.

Quem tiver meios eficazes de cobrar uma postura coerente por parte desse STJD, faça! Vamos lutar contra essa palhaçada!

Os comentários estão desativados.