Série Arenas Esportivas – estúdios de TV e centros de mídia

Da Série Arenas Esportivas 
Recomendações e Exigências Técnicas FIFA
  
Por Claudio Baptista Jr.*

Pessoal,

Hoje daremos continuidade ao item 8.2 e 8.3 sobre estúdios de televisão e centro de mídia dentro do estádio.

Antes, os tradicionais comentários sobre algo que consideramos relevante e que pode ser comentado em paralelo a apresentação do documento da FIFA.

No início da semana foram definidos de forma surpreendentemente rápida os locais das semi-finais do Campeonato Paulista. Para esta escolha eu observava dois aspectos que eram a igualdade de condições técnicas e comerciais bem como a segurança para o recebimento dos jogos.

Em primeira análise, a igualdade de condições técnicas e comerciais foi respeitada visto que os clubes receberão seus adversários dentro dos estádios onde têm mais familiaridade técnica e onde seus parceiros comerciais possuem maior liberdade de ações.

Já na questão da segurança, lembremos do que disse na última publicação da série Arenas quando falei que na maior parte das vezes uma tragédia é desencadeada quando uma sucessão de fatores eleva os riscos e que os mesmos podem ser minimizados através da organização detalhada do evento e da escolha de um local o mais seguro possível pra recebê-lo. Contudo, sabemos que nenhum, absolutamente nenhum estádio aqui no Estado e talvez no Brasil está suficiente para minimizar ao máximo os fatores de risco de uma tragédia tornando a organização do evento o foco principal.

Da mesma forma, sabíamos que o “imaculado” Morumbi não seria questionado, mesmo sendo palco constante de conflitos no seu entorno e agora existindo aquele absurdo corredor construído para segregar a torcida visitante. Vejam a foto abaixo. Esse corredor é previsto para receber a circulação de aproximadamente 5 mil pessoas. A foto foi tirada pelo amigo Junior Gottardi do blog “La Nostra Casa” http://www.lanostracasa.com.br.

Interessante notar que esse corredor foi citado em vários meios de comunicação, mas a foto realmente foi algo difícil de ser divulgada. Sem receio de carregar na expressão, eu chamo aquilo de “corredor da morte”.

Portanto, mesmo trabalhando-se bem na organização e segurança dos jogos, ainda permanecerão os riscos das instalações físicas dos estádios.

E já que não possuímos estádios adequados, enxergo apenas uma forma de minimizar um pouco mais os riscos que seriam jogos com torcida única. Vejam bem, não é uma solução, mas já ajudaria um pouco mais. Essa é uma opinião bem particular e tenho plena consciência que não agrada a um grande número de torcedores.

Vamos torcer para que tudo ocorra bem nesta fase final do Campeonato.

E agora voltamos ao documento da FIFA.

Segue em negrito o posicionamento dos temas desta publicação perante o conteúdo total:

1 – Decisões preliminares.
2 – Segurança.
3 – Orientação e estacionamentos.
4 – Áreas de jogo.
5 – Autoridades e jogadores.
6 – Espectadores.
7 – Hospitalidade.

8 – Mídias.

8.1 – Tribuna de imprensa e postos de trabalho dos comentaristas.
8.2 – Estúdios de televisão.
8.3 – Centro de mídia dentro do estádio.

8.4 – Sala de conferência de imprensa.
8.5 – Zona mista e postos de entrevistas rápidas.
8.6 – Instalações para fotógrafos.
8.7 – Dispositivos para a Copa do Mundo da FIFA.
8.8 – Instalações para a televisão.
8.9 – Escritórios de credenciamento.

9 – Iluminação e alimentação elétrica.
10 – Telecomunicações e espaços complementares.

8.2 – Estúdios de televisão.

É conveniente prever ao menos três estúdios de televisão para as partidas mais importantes. Cada um com aproximadamente 25m² e altura de ao menos 4 metros a fim de permitir a instalação de uma plataforma de televisão e de iluminação. Eles devem estar situados de maneira que os jogadores e treinadores os acessem facilmente a partir dos vestiários no final das partidas. E ainda, o estúdio de televisão deve oferecer uma vista panorâmica do gramado. Para as competições internacionais mais importantes podem ser necessários até quatro destes estúdios.

8.3 – Centro de mídia dentro do estádio.

A capacidade do centro de mídia dentro do estádio deve ser em função da tribuna de imprensa. Por exemplo, para uma partida com 600 lugares na tribuna de imprensa, o centro de mídia do estádio deve poder receber por volta de 200 pessoas. Dos 600 jornalistas, aproximadamente 150 permaneceriam trabalhando na tribuna, 150 na zona mista e 100 em seus próprios escritórios. Sobraria, portanto 200 no centro de mídia do estádio. Para uma tribuna de imprensa de 200 pessoas, por volta de 80 postos de trabalho podem ser necessários no centro de mídia do estádio. Nestes locais devem ser instalados banheiros para homens e mulheres.

O espaço de trabalho deve ser dividido em dois: um espaço permitindo a restauração (descanso) tipo buffet e um espaço de trabalho com os escritórios possuindo cada um duas tomadas elétricas e conexões com a Internet. Também é recomendado prever um escritório de operações (agente de viagens, transporte, banco, etc,…) para as competições mais importantes.

Os espaços e serviços seguintes devem ser previstos no centro de mídia do estádio:

– escritório de recepção.
– escritório de serviços.
– espaço de conferência de imprensa.
– serviço de reparação (preparação / manutenção) de câmeras.
– fotocopiadoras e fax.
– cafeteria.
– locais de armazenamento de materiais e equipamentos.
– escritório de informação sobre hospedagem.
– espaço de trabalho das mídias.
– espaço de trabalho dos fotógrafos.
– armários com chave.
– dois escritórios de credenciais (um para os fotógrafos e outro para a imprensa escrita).

Um espaço suficiente deve ser previsto para a distribuição dos bilhetes e credenciais de modo que as filas de espera não bloqueiem as entradas.

Monitores com tela tátil como recursos de informações padrão deverão tornar-se mais usuais em um futuro próximo.

Na próxima semana continuamos com a 8ª parte do documento.

Até lá.

Claudio Baptista Jr.

—-

*Claudio Baptista escreve todas as 5as feiras; o post acima foi baseado
em documento da FIFA que fala sobre recomendações e exigências
técnicas para arenas esportivas e adaptado para a realidade do nosso
mercado; reprodução permitida mediante  explícita divulgação do autor
do post, do site da FIFA e do blog Terceira Via Verdão e seu link.


Posts antigos, Por Onde Anda, e Links Patrocinados