Categorias
Arenas

Série Arenas Esportivas – Instalações para TV e credenciamento

Da Série Arenas Esportivas 
Recomendações e Exigências Técnicas FIFA
  
Por Claudio Baptista Jr.*


Pessoal,

Hoje terminaremos a 8ª parte do documento
falando sobre os itens do item 8.8 e 8.9 sobre instalações para televisão e
escritórios de credenciamento.

Antes, mais um breve comentário.

Entraremos no mês de maio, aquele prometido
pela FIFA para a divulgação das cidades sede para Copa do Mundo de 2014.

Chamo a atenção de vocês para a próxima subida
de marcha significativa do projeto global do Brasil para sediar a Copa. Procura
mais insistente em investimentos, aprovações de projetos, PAC da Copa entre
outras.

E em especial, para a cidade de São Paulo,
foco deste comentário, vocês notarão claramente o SPFC atuando em todas as
esferas de maneira ainda mais insistente. Será um tal de “o Morumbi como
estádio da cidade”, “o projeto mais realista”, “o projeto menos dispendioso”,
“o projeto de dinheiro privado (MENTIRA!!!! Pode até ser internamente, mas no
entorno, o biquinho estará aberto para a mamãe Governo regurgitar alimento
através de cessões e investimentos através do PAC da Copa)”, “o arquiteto de
renome”, etc… Vai ser pesado.

E enquanto eu me preparo psicologicamente fico
imaginando uma situação hipotética caso o Morumbi pertencesse ao Palmeiras e o
Palestra, com seu projeto em vias de aprovação, com contrato assinado, com
investimento assegurando, ao SPFC. Coitadinho do nosso Morumbi, não?

Neste sentido, damos méritos a eles que há
décadas enxergaram a importância de atuar em todas as esferas (mídia, política,
federações).

Quem poderia combater isso seriam os rivais,
porém acredito que do lado do Corinthians, este ainda estará atacado pela “fat
fever” enquanto nós ainda estamos lutando para desembaraçar o projeto na
prefeitura. Porque será que nossas aprovações estão demorando tanto? Divagando
um pouco, ah se fosse um projeto preto e branco, ah se fosse um projeto
tricolor.

Preparem-se, em maio o espetáculo vai começar.

Segue em negrito o posicionamento dos temas
desta publicação perante o conteúdo total:

1
Decisões .
2
Segurança.
3Orientação e estacionamentos.
4
Áreas de jogo.
5
Autoridades e jogadores.
6
Espectadores.
7
Hospitalidade.

8
Mídias.

8.1 – Tribuna de imprensa e postos de trabalho
dos comentaristas.
8.2
– Estúdios de televisão.
8.3 – Centro de mídia dentro do estádio.
8.4 – Sala de conferência de imprensa.
8.5
– Zona mista e postos de entrevistas rápidas.
8.6
– Instalações para fotógrafos.

8.7
– Dispositivos para a Copa do Mundo da FIFA.

8.8
– Instalações para a televisão.
8.9
– Escritórios de credenciamento.

9 –
Iluminação e alimentação elétrica.
10
Telecomunicações e espaços complementares.

 

8.8 – Instalações para televisão.

A primeira exigência para os fotógrafos são as
vagas de estacionamento e locais para armazenamento dos equipamentos. Um ponto
de recepção ao n

As exigências seguintes correspondem aos
padrões atuais dentro dos estádios de Copa do Mundo da FIFA. Contudo, as
capacidades e quantidades exatas serão determinadas caso a caso pelas
autoridades organizadoras, pelos serviços de mídia e pelos organizadores de
difusão. Para a televisão em particular, uma certa flexibilidade é necessária a
fim de satisfazer às novas tecnologias e de permitir uma ótima cobertura.

As exigências relativas à iluminação variam
com a evolução da tecnologia como a chegada dos televisores de alta definição
(HDTV). Para um estádio novo é recomendado consultar uma sociedade de televisão
de renome ou um consórcio de televisão do continente / região.

De
acordo com a importância da partida, várias infra-estruturas (como aquelas para
comentaristas de rádio e TV) podem ser temporárias sendo instaladas por breves períodos
e a seguir desmontadas. Portanto é essencial prever acesso fácil a esses
espaços bem como alimentação elétrica suficiente.

 

Cobertura multilateral.

Todas as posições de câmeras são submetidas a
um acordo em conjunto dos organizadores e difusoras. É conveniente se assegurar
que o público não possa passar na frente do campo de filmagem das câmeras. As
câmeras principais serão instaladas na tribuna central ao nível do meio de
campo. A posição exata das câmeras multilaterais será determinada no momento da
inspeção do estádio.

Vejam na figura abaixo as possibilidades de
localização das câmeras de televisão.



Tradução:
1-Plataforma para as câmeras de televisão
principais. Dimensões 9 x 2 m.
2-Plataforma para as câmeras de televisão
principais. Dimensões 9 x 2 m.

As câmeras não devem ser instaladas em frente
ao sol e devem possuir uma vista desobstruída do conjunto da área de jogo. Os
postos de trabalho dos comentaristas devem estar situados no mesmo lado do
campo. Cada câmera deve dispor de um espaço aproximado de 2 x 3 m.

Uma câmera deverá ser instalada atrás de cada
gol, sobre o eixo longitudinal do campo, a uma altura permitindo ver a marca de
pênalti por cima da transversal. A linha de visão deve formar um ângulo de 12 a
15 graus com o solo e um espaço de 2 x 3 m para cada câmera.

Segundo a importância da partida, entre três a
seis câmeras móveis de ambiente poderão ser utilizadas ao longo da linha
lateral e atrás dos gols. Elas deverão ser aprovadas pela instância do futebol
responsável pela partida.

Tive a oportunidade de assistir a um jogo de
futebol americano onde uma câmera suspensa por cabos de aço “passeava” pelo
campo de jogo possibilitando imagens dinâmicas e em detalhe das jogadas. Os
cabos de aço eram praticamente imperceptíveis aos olhos dos espectadores. Se
não me engano, na última Eurocopa também foram utilizadas câmeras similares.
Assim, segue a sugestão para termos na nossa Arena uma alternativa muito
interessante para a transmissão dos jogos.

Voltando ao documento. Tendo em vista a
evolução da cobertura televisiva, câmeras suplementares podem ser previstas,
compreendendo também câmeras opostas, a seis metros e algumas sobre trilhos.


Cobertura Unilateral.

Cada câmera unilateral instalada nas tribunas
principais e atrás dos gols devem ser capazes de captar o som ambiente. Um
espaço de aproximadamente 2 x 3 m por câmera deve ser previsto ao lado das
câmeras multilaterais. Os setores (2 x 2 m por câmera) devem ser claramente
definidos e separados atrás dos painéis publicitários situados atrás dos gols.
Nos dois casos, o número exato dos postos de trabalho deve ser determinado
pelos organizadores e difusores.

Segundo decisão dos organizadores e difusores,
outros postos podem ser disponibilizados ao lado ou atrás do espaço reservado
aos comentaristas. As cadeiras dos observadores sem mesa para o pessoal de
difusão também devem ser situadas dentro deste setor.

Na medida do possível, é conveniente prever
espaços precisos próximos à saída do túnel onde os jogadores entram no campo. A
localização e as condições de utilização destes espaços para entrevistas e
apresentações serão objeto de regulamentação.

 

8.9 – Escritórios de credenciamento.           

É conveniente prever procedimentos de
credenciamento. O escritório de credenciamento pode ser constituído de um
pequeno espaço de forma que as filas de espera não bloqueiem as passagens.

 

Na próxima semana entramos com a 9ª parte do
documento.

 

Abraço,

Claudio.

 

*Claudio Baptista escreve todas as 5as feiras; o post acima foi baseado
em documento da FIFA que fala sobre recomendações e exigências
técnicas para arenas esportivas e adaptado para a realidade do nosso
mercado; reprodução permitida mediante  explícita divulgação do autor
do post, do site da FIFA e do blog Terceira Via Verdão e seu link.

2 respostas em “Série Arenas Esportivas – Instalações para TV e credenciamento”

Cunio, valeu, mas não podemos pecar pela omissão e deixar de evidenciar, não apenas no aspecto moral, mas também técnico, que o projeto do Morumbi é uma vergonha para a cidade de São Paulo.
Grande abraço.

Claudio,

Antes de mais nada, parabéns pela Série. Tenho certeza que nossos leitores (como eu) não têm a menor idéia de como se constitui este documento da FIFA para credenciamento dos estádios para competições do nível de uma Copa do Mundo.

Sei que posso ser insistente e até teimoso, já que vou repetir isso pela enésima vez, mas acho que deveríamos tirar nosso foco do Panetone pois só se acontecer um terremoto de proporções devastadoras em São Paulo, o elefantão-branco deixará de abrigar a abertura da Copa 2014. Você sabe que “na hora do vamos ver”, milhões jorrarão com as Cataratas do Iguaçu para os cofres Leonores a fim de colocar em ordem o monstro de cimento armado. Enquanto isso, deveríamos lutar e muito (Criscio, você já disse isso, espero que não seja apenas retórica ouvida no Palestra) para que nosso projeto saia do papel e ergamos um colosso maravilhoso, para 42.000 pessoas e de fazer inveja a qualquer estádio do mundo. Só nosso, sem jogos da Copa e, se quisermos, ofereceremos “de grátis” para a Azzurra treinar, seguindo aí sim o nosso sonho de 2014, ano de nosso centenário. Tenha certeza que isto será o maior presente que ganharemos na comemoração dos 100 anos.

Os comentários estão desativados.