Categorias
Resenha dos Jogos

Pós Jogo Palmeiras 1×1 Nacional: sem saber para onde ir


PALMEIRAS 1X1 NACIONAL

Por Vicente Criscio

Numa certa passagem de Alice no País das Maravilhas ela
encontra uma seta apontando para duas direções distintas. Quando ela pergunta
do por que daquele tipo de seta ser tão confusa o coelho responde: “quando você
está perdido qualquer direção passa a ser a direção correta”.

Parece que essa foi a filosofia do treinador Vanderlei
Luxemburgo para a partida desta quinta-feira contra o Nacional. Como ocorreu em
outras vezes, parece não ter sido muito produtivo ter passado alguns dias em Atibaia
treinando a equipe. Se foi alguém poderia explicar porque trocar dois jogadores
antes da metade do 1º tempo?

E essa é uma das três ironias que identifiquei nesta partida
em que o Palmeiras não cumpriu com sua obrigação de mandante frente ao Nacional
e cedeu o empate de 1×1: o Palmeiras da noite desta quinta-feira não teve um
padrão de jogo definido. Aliás, pergunto: o Palmeiras apresentou algum padrão
de jogo definido nesse ano?

Sacar Souza e Capixaba e colocar Obina e Marquinhos – o mesmo
Obina que 72 horas antes não sabia nem o caminho do Palestra Itália – parece ter
sido mais uma “opereta” deste Luxemburgo que às vezes quer provar
(desnecessariamente) que ainda é “o estrategista”.

Mas – ironia, das ironias – a mexida deu certo e o time passou
a atacar mais o Nacional. Tá certo que Marquinhos não lembrava que era ala e
não comparecia pela direita. Ou mesmo Obina era voluntarioso mas não sabia em
que posição se colocar no ataque. Mesmo assim o time fez 1×0 aos 10 do 2º tempo.
E poderia ter feito mais, pois o Nacional naquele momento percebeu que existe uma imensa
diferença técnica entre ele e o Palmeiras.

Mas – 2ª ironia da noite – Luxemburgo parecia querer provar
outra coisa: parecia querer provar que aprendeu o que é Libertadores e contra o que ele sempre defendeu (que a melhor defesa é o ataque) e faltando
15 minutos para acabar o jogo coloca outro volante e tira um Keirrison que hoje
parece mais vítima de um punhado de torcedores impacientes do que aquele
vibrante e confiante atacante de janeiro passado.

E aí esta a ironia. Na teoria a mudança poderia
fazer sentido. Mas na prática foi um desastre. A mexida revitalizou um moribundo
Nacional. Mas não a ponto de levar perigo. Entretanto – ah, ironias – em falha
de Jumar e Danilo, um gol torto, e o empate faltando 10  minutos para terminar o jogo.

Luxemburgo parece querer provar a muitos que é capaz. Se isso
for verdade, comete uma tremenda besteira, porque perde o foco e deixa de ser o
técnico que conhece muito bem dentro das 4 linhas. O Palmeiras desta
quinta-feira perdeu uma enorme chance de sair com uma vitória confortável, e se
Luxemburgo está perdido nos caminhos que traçou para o time, parece que
infelizmente está apontando a vaca no sentido do brejo.

E a 3ª ironia?

O leitor atento percebeu que falei em 3 ironias? Pois é, a terceira
ironia da noite é que com tudo isso ainda podemos sair classificados. Daqui a duas semanas serão vários os resultados possíveis. Como
por exemplo 1×1 (e disputa em pênaltis) 2×2, 3×3, … todos eles favoráveis ao
Palmeiras.

A rigor não podemos perder. E temos que fazer pelo menos um gol.

Para um time que insiste em resistir nessa Libertadores, seria
irônico classificar-se mais uma vez nestas circunstâncias. Mas para quem já teve gol aos 42 em Santiago e Marcos pegando três pênaltis, é perfeitamente possível. Só depende de se tirar a vaca do
caminho do brejo e apontá-la em direção a outro lugar.

Saudações Alviverdes!

Hoje não teremos DROPS. O 3VV foi ao jogo.

Das 19 às 22, concentração.

E a partir das 22, jogo.

O pós jogo será provavelmente breve e muito tarde da noite.
E esperamos que seja positivo.

Por enquanto, vai deixando seu comentário aqui! Este será o post do Pós Jogo.

Saudações Alviverdes!

Os comentários estão desativados.