Categorias
Arenas

Série Arenas Esportivas – Iluminação (1/6)

 
Da Série Arenas Esportivas 
Recomendações e Exigências Técnicas FIFA
  
Por Claudio Baptista Jr.*


Pessoal,

Chegamos na 9ª parte do documento da FIFA que
fala sobre Iluminação e Alimentação Elétrica.

Este é um capítulo mais técnico, porém
apresentado pela FIFA de forma clara e objetiva de modo que todos poderão
compreender o conteúdo.

A iluminação e alimentação elétrica são de
importância significativa porque enquanto que o primeiro interfere diretamente
na qualidade do evento tanto para os profissionais que atuam como também para o
público presente no estádio ou em frente a tv, o segundo está ligado
diretamente a confiabilidade e segurança do evento.

E de acordo com o que acabei de mencionar, a
FIFA inicia esta parte mencionando ser conveniente instalar um sistema de iluminação
que corresponda às necessidades dos difusores, dos espectadores, dos jogadores
e dos oficiais, e também que evite difusão da iluminação ao exterior do estádio
e não cause incômodo a vizinhança.

Mantenho o que fazemos em cada publicação, segue
em negrito o posicionamento dos temas desta publicação perante o conteúdo
total:

1
Decisões preliminares.
2 –
Segurança.
3 –
Orientação e estacionamentos.
4
Áreas de jogo.
5
Autoridades e jogadores.
6
Espectadores.
7
Hospitalidade.
8
Mídias.

9
Iluminação e alimentação elétrica.
9.1 – Alimentação Elétrica.

9.2
– Exigências de instalação.
9.3
– Especificações e tecnologia de iluminação.
9.4
– Impacto sobre o meio ambiente.
9.5
– Colocação em serviço da instalação.
9.6
– Glossário de iluminação.

10 – Telecomunicações e espaços
complementares.

 

9.1 – Alimentação Elétrica.

Um atraso ou cancelamento de um evento em
razão de falta de rede elétrica é inaceitável. Uma avaliação criteriosa e
detalhada das linhas de alimentação disponíveis é crucial e necessária em
conjunto com alimentações duplicadas (redundâncias), auxiliares e sem cortes. A
rede duplicada após a alimentação deve ser dimensionada para assegurar
completamente a operação do estádio dentro das condições de competição.

A rede de alimentação pode ser ligada em um
dispositivo tipo preferencial / auxiliar (ver figura 1 abaixo) ou como recursos
“vivos” em serviço (ver figura 2 abaixo) tratando as cargas de instalação
separadas com comutadores manuais e automáticos. Em caso de falha na rede de
alimentação, a linha de segurança deverá entrar imediatamente, porém produzirá
uma temporização o que gerará a necessidade de uma certa capacidade que
impossibilite o corte durante no tempo em que o alternador entra em operação.
Esta carga será destinada a iluminação do campo de jogo que compreendem as
lâmpadas de alta intensidade (HID) que em caso de corte, necessitam de vários
minutos para que possam novamente se acenderem.

Esta alimentação sem cortes pode ser fornecida
de diversas maneiras como geradores especiais e sistemas de alimentação sem
cortes (UPS). A alimentação de segurança deve ter a capacidade de funcionar
durante ao menos três horas em caso de cortes de energia.

Figura 1

 

 

 

Vejam acima em azul claro as linhas auxiliares
e preferencial. No canto superior esquerdo em azul e cinza um grupo gerador que
entra em ação no caso de falha das linhas auxiliares e preferencial para
alimentação. Linhas em laranja, de segurança para a competição e a linha de
alimentação (que não pode sofrer cortes) responsável pela iluminação e serviços
de difusão.

 

Figura 2

 

A única diferença em relação a figura 1 é a
presença de comutadores que podem ser manuais ou automáticos.

A delimitação e separação das cargas
principais da competição e do sistema de segurança são necessárias, pois a
capacidade sem corte é necessária antes de tudo para a continuação da
competição e não para evacuar a instalação em casos de urgência.  Um plano suplementar é necessário para
oferecer ao estádio os equipamentos dos recursos de alimentação de segurança. A
manutenção da separação e da criação de pontos múltiplos de distribuição com
algumas duplicações são recomendadas.

Até a próxima semana.

 

Abraço,

Claudio Baptista Jr.

 

*Claudio Baptista escreve todas as 5as feiras; o post acima foi baseado
em documento da FIFA que fala sobre recomendações e exigências
técnicas para arenas esportivas e adaptado para a realidade do nosso
mercado; reprodução permitida mediante  explícita divulgação do autor
do post, do site da FIFA e do blog Terceira Via Verdão e seu link.



8 respostas em “Série Arenas Esportivas – Iluminação (1/6)”

Claudio,

vi em algum blog(nao me lembro qual) o projeto do Tottenham para uma nova arena..

se vc nao tiver e quiser eu te passo.. so preciso de um email..

seria legal comentar apos o fim da serie da arena Palestra… achei muito interresante o projeto deles…

abracos

Acho que isso é um dos piores fatores no palestra, que ate alguns chamam de boate devido a fraca iluminação e com muito reflexo tb, mas é facilmente reparada esse ponto !!

Acredito que a ideia de luzes que acendem e apgam facilmente seja uma boa! Vejo isso em shows, pq não em um estadio.

E parabens Claudio, muito bom o post, e muito bom saber que o Palmeiras terá um estadio pra ninguém botar defeito!

abs,

Marcio, acredito que o projeto da Arena Palestra Itália prevê essa funcionalidade, porém ainda não sei em qual nível ela iria atingir.

gostaria de saber se nao eh viavel em um estadio de futebol ter placas com captacao de energia solar, pois moro no exterior e aqui tem varios predios com sistema de captacao de energia solar, se tiver axo que seria uma boa para o nosso novo estadio.

Boa, Marco.
Se existirem alguns exemplos não vou esquecer de propor ao Palmeiras dentro dos textos da Série Arenas.
Abraço.

Cláudio…..

Preciso pesquisar, mas vejo que alguns estádios possuem a iluminação com lâmpadas que apaga e acende facilmente. Isso ajuda no entretenimento com “jogo” de luz, apresentação de times, aquele “show” que proporciona a iluminação.

Esse tempo gasto para acender uma lâmpada é um tédio.

Os comentários estão desativados.