Categorias
Direto da Fonte

Mostra Julinho Botelho chega ao fim


Crédito: Depto. de Acervo Histórico e
Memória da Sociedade Esportiva Palmeiras

Terminou neste último sábado (06) a “Mostra Júlio Botelho”,
exposição que reviveu e contou a história de um dos maiores craques
do Palmeiras e futebol brasileiro, o ex-jogador Julinho Botelho.

A exposição aconteceu no Salão de Troféus do Palmeiras e, durante 20
dias de demonstração, recebeu a visita de mais de 5 mil pessoas,
entre associados, convidados e jornalistas.

“Foi uma experiência bastante positiva e esperamos repetir isso com
outros atletas que fizeram história no nosso clube”, contou José
Ezequiel Filho, um dos diretores do departamento de história do
Palmeiras.

“Nós não esperávamos tantas visitas. Foi um sucesso o que aconteceu.
Além dos associados, recebemos torcedores e amantes do futebol, do
Brasil inteiro. Muitos deles eram apreciadores do Julinho e, entre
uma visita e outra, contaram histórias brilhantes daquele que foi um
dos principais atletas da nossa história”, completou Ezequiel.

A exposição mostrou quadros, pôsteres, fotos e recortes de jornais
da época, as faixas de campeão pertencentes ao ex-jogador, e 50
honrarias pessoais de Julinho, como troféus, medalhas e placas.
Também estavam expostas 13 camisetas originais, do Palmeiras,
Seleção Brasileira, Fiorentina, Juventus e Portuguesa, além de um
raríssimo exemplar do uniforme da Seleção da Inglaterra, que o
craque ganhou no histórico jogo de 13 de maio de 1959.

“Muito do que aconteceu se deve à família do jogador, que cedeu
todos os pertences para fazermos a exposição. Foi uma exposição que
resgatou um pouco da história do nosso futebol”, afirmou outro
diretor do departamento de história do clube, José Roberto
Christianini.

A “Mostra” do ex-ponta foi uma homenagem aos 50 anos do dia em que o
estádio do Maracanã ‘parou’ para aplaudir Julinho. No dia 13 de maio
de 1959, ele foi anunciado como titular pelo técnico Vicente Feola
na partida amistosa entre Brasil e Inglaterra. 120 mil pessoas que
lotaram o ‘templo’ carioca se curvaram e vaiaram a escalação, já que
queriam ver Garrincha na equipe principal.

Mas Julinho calou os críticos como num golpe de mágica. Além de um
gol, marcado logo aos 3 minutos do primeiro tempo, o ex-craque
palmeirense fez uma linda jogada que resultou no segundo gol, feito
por Henrique. Ao final da partida, todo o estádio do Maracanã
aplaudiu de pé o ponta, que havia acabado de deixar a Fiorentina-ITA
para atuar pelo Palmeiras.

O Palmeiras foi buscá-lo no final da década de 60, e Julinho fez
parte do super time campeão Paulista de 1959, em cima do Santos, na
Academia formada por Filpo Nuñes. Para coroar sua passagem pelo
clube, representou o Verdão com a camisa da seleção brasileira, na
vitória de 3×0 sobre o Uruguai, em 1965, no estádio do Mineirão.

Com a camisa palmeirense [entre 1958 e 1965, e depois em 1967],
Julinho participou de 269 jogos e marcou 81 gols. Conquistou o
Campeonato Paulista de 1959 e 1963, a Taça Brasil de 1960 e o
Torneio Rio-São Paulo de 1965.

Julinho faleceu aos 73 anos de idade, no dia 11 de janeiro de 2003,
vítima de problemas cardíacos.

Para entrar em contato com o Departamento de História do Palmeiras,
basta enviar um email para: historia.palmeiras@gmail.com

3 respostas em “Mostra Julinho Botelho chega ao fim”

Eu estive lá, muito legal, esse resgate da nossa história, de nossos maiores craques, a abertura do Palestra Itália aos seus torcedores deveria ser mais frequente, essas ações é que tem potencial para aumentar a nossa já imensa torcida.

Na exposição do Julinho levei minha esposa e meus três filhos, todos adoraram. E no dia tinha o Sêo Manuel fazendo a vigilância no local e, claro, sabia tudo sobre a nossa história. Abraços Sêo Manuel!

NÃO TIVE O PRAZER DE VÊ-LA, MAS É COM SATISFAÇÃO QUE VEJO QUE AMOR O JULINHO TINHA PELO VERDÃO, COISA QUE NÃO ACONTECE MAIS NOS DIAS DE HOJE. ABAÇOS.

Os comentários estão desativados.