Categorias
Arenas

Série Arenas Esportivas – Iluminação (3/6)

Da Série Arenas Esportivas 
Recomendações e Exigências Técnicas FIFA
  

Por Claudio Baptista Jr.*

Pessoal,

Cidades sedes escolhidas e não tivemos grandes
surpresas. Se houve alguma foi o fato de certas cidades não terem importância
dentro do futebol nacional. Fato é que a FIFA não olha muito para esse lado e o
foco principal é em cima dos projetos apresentados e na questão turística sendo
que esta última talvez justifique a quantidade de sedes presentes no Nordeste
do país.

Outro ponto importante é que os projetos agora
passarão por uma sabatina técnica e finalmente estamos presenciando o projeto
do Morumbi ser questionado.

Vocês já devem ter lido as matérias, porém
seguem abaixo alguns links.

http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/0,,MUL1179215-9825,00-PROJETO+DO+MORUMBI+TEM+ERROS+E+PODE+FICAR+SEM+ABERTURA+DA+COPA+DE+DIZ+JORNA.html

http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2009/06/02/ult59u198745.jhtm

Na leitura notem que em princípio a reação da
direção do SPFC foi a esperada. Indignação. Como pode alguém questionar o
superlativo Morumbi? Só pode ser coisa orquestrada.

Observando as críticas feitas, tenho alguns
comentários a respeito.

  • Talvez aumentem os custos do projeto, hein,
    SPFC?
  • Podem mudar o projeto. Criar novas áreas de
    imprensa, zona mista, área de transmissão para TV, etc… O estádio continuará
    com seus problemas estruturais como a péssima visão de campo e enclausuramento
    do anel inferior e intermediário, distâncias excessivas do público em relação
    ao gramado para ser um estádio que deseja receber a abertura da Copa, etc…

O assunto irá evoluir e o 3VV ficará atento
aos próximos passos.

E já posso dar um recado: Arena Palestra,
atenção para a oportunidade que está surgindo! Nos encontramos em momentos
importantes para o futuro do nosso clube.

Agora voltamos ao documento da FIFA. Segue em
negrito o posicionamento dos temas desta publicação perante o conteúdo total:

1
Decisões preliminares.
2 –
Segurança.
3 –
Orientação e estacionamentos.
4
Áreas de jogo.
5
Autoridades e jogadores.
6
Espectadores.
7
Hospitalidade.
8
Mídias.

9
Iluminação e alimentação elétrica.
9.1 – Alimentação Elétrica.
9.2
– Exigências de instalação.
9.3
– Especificações e tecnologia de iluminação.

9.4
– Impacto sobre o meio ambiente.
9.5
– Colocação em serviço da instalação.
9.6
– Glossário de iluminação.

10 – Telecomunicações e espaços
complementares.


9.3
– Especificações e tecnologia de iluminação



Uniformidade horizontal


Iluminação Horizontal

A iluminação horizontal é uma medida de luz
atingindo um plano horizontal, um metro acima da superfície de jogo. Uma malha
de 10m x 10m sobre o campo de jogo é utilizada como base para as medições e
para o cálculo de iluminação máxima, mínima e média sobre o campo de jogo.


Variação

O futebol é um esporte rápido e a manutenção
de uma iluminação uniforme sobre o campo de jogo melhorará as performances dos
jogadores e assegurará uma excelente qualidade para a televisão de alta
definição. Os métodos de cálculo da uniformidade estão expostos abaixo. Cada
método, CV ou UG, pode ser utilizado para calcular a uniformidade.


Coeficiente de Variação (CV)

Partidas televisionadas. CV < ou = 0,13 a
0,15

Partidas não televisionadas. CV < ou = 0,3
a 0,4

 

Gradiente de Uniformidade

Partidas televisionadas. UG = 1,5 a 2,0

Partidas não televisionadas. UG = 2 a 2,5

 

Iluminação Vertical


Câmera de campo, vertical


A iluminação vertical ao nível do campo é a
parte da iluminação que atinge a superfície vertical dos jogadores. Esta
iluminação ajuda a mostrar os detalhes em plano geral dos jogadores, em
particular suas expressões nos momentos críticos do jogo. As imagens são
captadas pelas câmeras de campo fixas ou móveis. As variações de iluminação
vertical produzem uma qualidade média das imagens numéricas. O projetista deve
levar em consideração o equilíbrio de iluminação a fim de reduzir a sobre
exposição ou sub exposição das zonas durante o trabalho das câmeras de campo.

 

Câmera Fixa, vertical


A iluminação vertical acima do campo de jogo
captada pelas câmeras situadas sobre as linhas laterais e linhas de fundo é
qualificada de iluminação de câmera fixa vertical. Estas câmeras cobrindo o
campo de jogo devem captar a totalidade das ações durante a competição. As
variações de iluminação vertical produzem uma qualidade média das imagens
numéricas. O projetista deve levar em consideração o equilíbrio de iluminação a
fim de reduzir a sobre exposição ou sub exposição das zonas durante o trabalho
das câmeras de fixas.

 

Cor de Temperatura


A cor de temperatura descreve a sensação ou
aparência de calor (vermelho) ou de frio (azul) de um tipo de iluminação sendo
medida em Kelvin (Tk). A tecnologia atual das câmeras numéricas permite ao
vídeo ser modificado para “ganhar” cor ou contraste a fim de produzir a
qualidade de cor desejada. Uma cor de temperatura aceitável para estádios
externos para todas as classes de competição é Tk menor ou igual a 4000.

Renderização de Cores

A renderização de cores é a capacidade de um
recurso de iluminação artificial de reproduzir a iluminação natural. A escala
prática de renderização de cores varia de Ra20 a Ra100 onde o valor é mais
elevado, melhor é a qualidade da cor. Uma boa cor produzida por uma iluminação
artificial será maior ou igual a 65 tanto para competições televisionadas ou
não.

 

Resumo das especificações de iluminação
para
competições televisionadas

A tabela a seguir é um resumo dos critéios a
serem levados em consideração para competições televisionadas. Ele fixa as
recomendações para iluminação vertical e horizontal, uniformidade e
propriedades das cores das luzes para cada classe de atividade.


Observações:

  • A iluminação vertical se refere a iluminação
    no sentido de uma posição de câmera fixa ou de campo;
  • A uniformidade de iluminação vertical para
    câmeras de campo pode ser avaliada de câmera a câmera e serão consideradas as
    variações a partir deste padrão;
  • Todos os valores de iluminação indicados são
    de manutenção. Um fator de manutenção de 0,7 é recomendado e os valores iniciais
    serão aproximadamente 1,4 vezes aqueles indicados acima;
  • Em todas as classes, a taxa de ofuscamento é
    de GR menor ou igual a 50 para os jogadores em campo no ângulo de vista
    primário do jogador. Esta taxa de ofuscamento é satisfatória caso os ângulos de
    vista dos jogadores estiverem satisfatórios;
  • A tecnologia das luzes à iluminação
    constante é aceitável e encorajada.


Resumo das especificações de iluminação
para
competições não televisionadas

A tabela a seguir é um resumo dos critérios a
serem levados e consideração para as competições não televisionadas. Ele fixa
para cada nível de atividade as recomendações para iluminação horizontal,
uniformidade e propriedades dês luzes.

 

Nível de atividade

Iluminação Horizontal

Uniformidade

Cor de Temperatura da luz

Renderização das cores da luz

Classe

Eh ave (lux)

U2

Tk

Ra

Classe III Partidas Nacionais

750

0,7

> 4000

> ou = 65

Classe II Liga de Clubes

500

0,6

> 4000

> ou = 65

Classe I Treinamentos e Lazer

200

0,5

> 4000

> ou = 65

 

Observações:


  • Todos os valores de iluminação indicados são
    valores de manutenção;
  • Um fator de manutenção de 0,7 é recomendado
    e os valores iniciais serão aproximadamente 1,4 vezes aqueles indicados acima;
  • A uniformidade de iluminação não deve
    ultrapassar 30% para cada 10 metros;
  • Os ângulos de vista primários dos jogadores
    devem estar ausentes de ofuscamentos diretos. Esta taxa de ofuscamento é
    satisfatória caso os ângulos de vista dos jogadores estiverem
    satisfatórios. 

Abraço e até a semana que vem.

Claudio Baptista Jr.


*Claudio Baptista escreve todas as 5as feiras; o post acima e as imagens foram baseados  em documento
da FIFA que fala sobre recomendações e exigências  técnicas para arenas esportivas e adaptado para a
realidade do nosso  mercado; reprodução permitida mediante  explícita divulgação do autor  do post, do
site da FIFA e do blog www.3vv.com.br.


11 respostas em “Série Arenas Esportivas – Iluminação (3/6)”

e Rodrigo..
as loucas estao em dessesperoooooooooooooo..

obvio q foi comprado isso..

pq como sempre a ultima palavra e delas..

e nosso projeto nem faz parte da copa…
pq toda essa birrinha..

coisa de bambi, nem se irrite amigo

Caramba, Rodrigo.
Não vi o JN. Claro que é matéria direcionada.
Abraço.

Taí, vejam até o fim e tirem suas próprias conclusões:

http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1050959-7823-COPA+CONHECA+OS+PROJETOS+DOS+ESTADIOS+PARA+O+MUNDIAL,00.html

Citaram o Palestra Italia, sendo que ele não foi o estádio indicado para ser o estádio da cidade de São Paulo para a copa (pelo menos ainda não foi indicado). E citaram justamente um fator negativo, sendo que este fator não corresponde com a verdade. Estou indignado

Galera, alguém assistiu ao Jornal Nacional hoje? Eu nem assisto pra não passar raiva, mas como anunciaram uma matéria sobre os estádios das cidades-sede da copa 2014 resolvi assistir até o fim.
Pra quem não assistiu um resumo: citaram o fato de a maioria dos estádios serem estaduais, os planos de cada governo estadual de fazer parcerias publico privadas para fazer as reformas necessárias, mais ou menos tudo o que vem sendo divulgado. Deixaram por último a cidade de São Paulo, e quando foram falar sobre o jd leonor até citaram os problemas que o panetone tem, a dificuldade em transformar aquilo em um estádio com as condições exigidas pela FIFA, mas colocaram um trecho de entrevista com o arquiteto que é responsável pelo projeto (Rui Ohtake, acho que é isso), falando que o estádio está 84% no padrão exigido, e blablabla, aquele discurso furado que a gente tá cansado de escutar. A edição da matéria deu a entender que a última palavra, do arquiteto valia como uma verdade, e que seria questão de tempo a bambinera estar em 100% de condições para a copa. Ainda citaram que os investimentos seriam também de PPP, mas se esqueceram de citar que o morumbixa não é um estádio público, e que seria um absurdo colocar dinheiro público ali.
Pra fechar com chave de ouro, mostraram imagens da rua Turiassu em dia de jogo do Palmeiras. E citaram “em dia de jogo no Palestra Italia, estádio do Palmeiras, os moradores tentam resolver as dificuldades por conta própria. Mostraram um cara que se dizia morador da Turiassu e que alugava a garagem da própria em dias de jogo. E o repórter, na narração editada da matéria dizia algo do tipo: ” Enquanto não se resolvem os problemas como dificuldade de estacionamento, os moradores da região tentam resolver por conta própria”. Aí mostrou o cara cedendo a garagem e falando que aluga cada vaga por 15 reais, e dizendo “enquanto não resolvem o problema a gente ganha um dinheirinho!”. Todo mundo aqui sabe que estacionamento não é problema ao redor do Palestra, sendo que temos dois shoppings, além de estacionamentos particulares próximos ao estádio. Mas a matéria foi totalmente manipuladora, dando a entender que é uma dificuldade estacionar próximo ao Palestra em dia de jogo. E nem sequer mencionaram o projeto da Arena Palestra Italia. Lamentável.
Mais alguém assistiu? Fiquei com a nítida impressão de que foi uma matéria encomendada pelo SPFW para desmoralizar de vez com o Palmeiras.
Vou ver se acho a matéria no site da globo.

Olha, fiquei espantado em saber que o professor Belluzzo assinou mais de 80 plantas que fazem parte do projeto da Arena do Palmeiras.
Agora resta aguardarmos a boa vontade dos governandes da Prefeitura.

Estou torcendo para que a Prefeitura aprove o nosso projeto o mais breve possivel, pois, acredito que a liberação ja servirá de garantia para a Fifa.
Tenho quase certeza que por mais que melhorem o projeto do Morumbi, não vai ficar padrão Fifa porque tem muita coisa pra acertar.
É como você bem disse, temos que ter atenção para a oportunidade que esta surgindo.
A Fifa não vai tolerar eles reapresentarem o projeto Morumbi e não solucionar todos os pontos falhos ja levantados, depois dessa, acho que serão excluidos.
E aí, com a nossa Arena ja aprovada… tudo fica mais facil.
Quanto as cidades escolhidas, discordo em parte, porque queria a minha Florianopolis como uma das sedes, mas como teve o peso político, acabamos ficando de fora, uma pena.

Novelini, não sei quanto a abertura, mas realmente as notícias que vemos não são nada animadoras para os lados do sp.

Eles acabaram de contratar uma consultoria americana para auxiliá-los na revisão do projeto do Morumbi, ou seja, mostraram para o renomado arquiteto deles que o negócio ficou feio.

E no final da revisão, o projeto deve ficar mais caro. Vamos aguardar as consequências.

Se você pegar o projeto de todos os estados, verá muito bem que o de São Paulo com o Morumbi está muito, muito distante. E para quem quer ser sede e abertura, o brejo está cada vez mais perto.

Você tem notado a postura arrogante a cada declaração de dirigentes do spfc?

Abraço.

Cláudio Baptista,

Você já está no 9º tema e sempre vemos que a FIFA exige muito dos estádios para realização de uma Copa do Mundo.
Não existe um meio termo. E os responsáveis da FIFA já estão alertando: Morumbi não dá!

É praticamente impossível adequar o Morumbi a todas as exigências.

Mas acredito que se o Ricardo Teixeira bater o pé, tudo pode mudar. Mas por quê ele faria isso? Por quê ele exigiria a Abertura no Morumbi?

Eu vejo o Ricardo Teixeira muito calmo e tranquilo a isso. Acredito que ele possua MUITOS outros motivos além dos técnicos para barrar a abertura no Morumbi.

Cada vez está mais claro que a abertura NÃO será aqui.

Cladio você falou tudo neste post, se as obras de nossa Arena forem aprovadas na burocrática Prefeitura, e se iniciarmos as obras até o começo de 2010, tenho certeza que o Panetone será esquecido pela FIFA e nossa Arena vai sediar pelo menos um grupo na Copa de 2014.

Vamos esperar e torcer

Os comentários estão desativados.