Categorias
Meninos Eu Vi

Campeões mundiais de 51 voltam para casa

POR JOTA CHRISTIANINI

Muito se diz da conquista do Mundial de 51 pelo Palmeiras.

Já escreveram, eu aqui já escrevi, páginas e páginas, contando a participação da FIFA, a trajetória do time, o gol do Liminha de bola e tudo definindo o jogo, o desespero dos italianos que tentavam, no dizer de seu treinador, o tri mundial – haviam ganho a copa do mundo de 34 e 38. Falavam do heroísmo do Fábio, estreante e vitorioso, do treinador interino, Cambon, que nos deu o título, do chute do Rodrigues; enfim já falamos sobre tudo isso. Mas e a torcida palmeirense? como compareceu? quantos? como se locomoveram?

Nada de chamar de invasão, ate porque não somos bárbaros, somos palmeirenses. Simplesmente inundamos a cidade do Rio de Janeiro com a alma palestrina.

A Via Dutra, recém inaugurada, era uma romaria de carros, ônibus, e motocicletas – uma dupla de jovens acidentou-se em Volta Redonda e ouviu o jogo pelo rádio, no hospital. Um deles hoje é pecuarista em Mato Grosso.

Os palmeirenses das cidades mais próximas foram até de caminhão, usavam a Estrada Velha Rio-SP.

E o retorno dos campeões?

Voltaram de trem, embarcaram no Rio na segunda pela manhã e só conseguiram chegar a Sampa na terça. Uma viagem que era feita em 14 horas durou mais de 25.

Cada cidade que o trem parava, e se não fosse prevista a parada os torcedores exigiam que parasse. O prefeito e demais autoridades estavam na estação, com banda de música e toda a torcida local.

Os jogadores desciam do trem eram homenageados ganhavam prêmios e presentes, e a viagem seguia até a outra cidade.

Chegaram!

Aparentemente mais da metade da população de Sampa foi às ruas; desde a Estação do Norte, lá no Largo da Concórdia até a Avenida Casper Libero, sede da Gazeta Esportiva, era um mar de torcedores.

As emissoras de rádio, que convidavam a torcida a ir para as ruas receber os campeões do mundo que haviam vingado a derrota brasileira em 50; os jornais, todos homenageavam o time do Palmeiras; o povo delirava, era a torcida palestrina mostrando o valor de um título mundial ganho no campo de jogo. Foram sete jogos – e contra adversários que representavam oito campeões dos mais importantes países que praticavam futebol na época.

As imagens falam mais que as palavras.

Crédito para as fotos: acervo do autor;

palestrinos.sites.uol.com.br







11 respostas em “Campeões mundiais de 51 voltam para casa”

seu trabalho é excelente meu caro Felipe, reuniu todas as materias e reportagens comprovando o alcance daquele torneio……..JOTA.

Jota, e o material que eu te enviei (já faz um tempo) sobre a Copa Rio?? Vc leu? Gostou?

Para quem quiser saber mais sobre a conquista, visitem meu blog e cliquem na parte “ESPECIAIS”, “MUNDIAL 1951”.

http://www.futebolismo.com.br

Abs.

A todos os palmeirenses que existem no planeta, deixo aqui a minha frase: HISTÓRIA NÃO SE INVENTA. SE CONSTRÓI.
O Palmeiras tem história. Quaalquer um pode negar, espernear, boicotar. Mas em 1951, quando as instituições do futebol ainda eram primárias em relação a hoje, nós escrevemos a história, ganhando o que na época era o primeiro título mundial interclubes. A FIFA não endossou? Problema dela. Ninguém reconhece? Problema deles. A história não se inventa. o Palmeiras não inventou a história. Os registros estão aí. SE APENAS NÓS RECONHECEMOS O QUE OS CEGOS NÃO QUEREM VER, ISTO É O MAIS IMPORTANTE. O troféu está lá. E é nosso. Parabéns, Palmeiras. Parabéns, palmeirenses. Enquanto os cegos que nos criticam engatinhavam, nós já escrevíamos nosso nome no livro de história do mundo do futebol.

Ótimo post, Jota! Nós palestrinos temos que conhecer nossa história, não pra viver do passado, mas sim pra estabelecer metas ambiciosas para o futuro, à altura de conquistas históricas como esse Mundial de 1951.

Nós palmeirenses temos extremo reconhecimento e orgulho deste título mundial. Quando meus filhos me perguntam se o Palmeiras já foi campeão mundial, eu digo sonoramente: SIM! JÁ FOMOS EM 1951!

O que me chateia é a extrema força midiática, que teima em querer jogar este campeonato ao esquecimento, assim como as Taças Brasil e Roberto Gomes Pedrosa, é uma pena. Alegam que um não tem a chancela da FIFA (mentira todos nós sabemos) e a outra não tem da CBF.

ORAM QUANDO É QUE TEREMOS O RECONHECIMENTO DESSE TÍTULO MUNDIAL? NADA MAIS JUSTO, POIS AQUI É PALESTRA.

e a FIFA q organizou tudo… politicamente nao reconhece esse titulo…

FIFA = CBF = FPF… tudo cambada de politico tranqueira…

Irineu, não sei o que aconteceu mas agora já estão aparecendo as fotos.

Abs

Marco, nunca se preocupe com o que dizem, ou disseram. Nós sabemos o que é e o que foi. Porisso temos a honra de sermos Palmeirenses.
Remember Joelmir, “O Pensador”: Para quem não é Palmeirense, não adianta explicar, para quem é, não precisa.
Jota, importantíssimo destacar o contexto do Torneio – Salvamos a honra do futebol brasileiro e lavamos a alma do povo, um ano após a perda da Taça do Mundo.
Este é um povo triste de coração e mente manipulados. Mas converse com um velho carioca sobre futebol e verá nele a reverência ao Palmeiras.
Bom dia e obrigado pelo Post. A foto da taça foi a única que abriu e já está no meu fundo de tela.

Jota, alguns links estão corrompidos, só consegui ver a última foto!!!

Tenho 17 anos. Nem era um espermatozóide na época, mas fico arrepiado só de ler e imaginar como foi esse título maravilhoso. O triste é q ainda há idiotas, estúpidos e canalhas q dizem q o PALMEIRAS não foi o 1º Campeão Mundial !!!

Os comentários estão desativados.