Categorias
Notícias

O rigor do tribunal administrativo só pesa contra os times e atletas?

POR EMERSON PREBIANCHI

Correm boatos contando sobre um episódio ocorrido nos corredores do STJD que se forem verdadeiros colocam em cheque a lisura das decisões.

Não podemos confirmar a notícia e por isso ela vai ser tratada aqui como uma hipótese para que não acabemos por promover injustiças e falsas acusações, pois certamente não é essa a linha de conduta do 3VV!

Dizem as más (ou seriam boas?) línguas que um procurador do órgão administrativo teria vindo à mídia televisiva, em programa de visibilidade nacional, e antes mesmo de promover a denúncia contra um atleta com base na famigerada imagem de vídeo tape, já se pronunciou sobre a condenação que certamente seria imposta com aplicação de suspensão de até 120 dias.

Ocorre que formulada a denúncia, os encarregados por analisarem o processo entenderam por absolver o atleta, colocando assim o procurador em situação no mínimo constrangedora diante de sua afirmação dias antes do julgamento.

A partir daí, parece que o tal procurador andou soltando os cachorros sobre a (in)competência dos seus colegas do órgão administrativo aos quatro cantos e a notícia teria então chegado aos ouvidos destes que se sentiram ofendidos.

Até aí, nada mereceria ser ressaltado por aqui já que não tratamos de fofocas de bastidores, exceto pelo fato de estar previsto no Código Brasileiro de Justiça Desportiva que aquele que atentar contra os integrantes da chamada “justiça desportiva” deva ser punido com suspensão.

Art. 188. MANIFESTAR-SE DE FORMA DESRESPEITOSA, OU OFENSIVA, CONTRA MEMBROS do Conselho Nacional de Esporte (CNE); dos poderes das entidades desportivas ou DA JUSTIÇA DESPORTIVA, e contra árbitro ou auxiliar em razão de suas atribuições, ou ameaçá-los.

PENA: suspensão de 30 (trinta) a 180 (cento e oitenta) dias.

Art. 189. ATRIBUIR FATO INVERÍDICO A MEMBROS ou dirigentes do Conselho Nacional de Esporte (CNE), das entidades desportivas ou DA JUSTIÇA DESPORTIVA.

PENA: suspensão de 60 (sessenta) a 180 (cento e oitenta) dias.

Assim deveriam os imparciais membros do colegiado administrativo promover o competente processo ao tal procurador que assim como os atletas e clubes por ele muitas vezes denunciados, deveria ser punido exemplarmente.

Mas até agora a história não se confirmou e nenhum processo foi instaurado.

Confirmados esses fatos caberia uma pergunta: será que não existe rigor para os membros do tribunal administrativo?

Saudações Alviverdes!

7 respostas em “O rigor do tribunal administrativo só pesa contra os times e atletas?”

Esquece, Emerson. Os únicos que vão contra os pares e, o que é pior, em prejuízo da instituição, são os conselheiros do Palmeiras.

Ah, essa é uma pergunta que não ronda somente a Justiça Desportiva, mas a Justiça Brasileira.
Esse STJD é uma farça, uma milícia!! Só prestam o seu interesse e os de seus ‘aliados’! Eles são a vergonha do futebol brasileiro!

Ah, essa é uma pergunta que não ronda somente a Justiça Desportiva, mas a Justiça Brasileira.
Esse STJD é uma farça, uma milícia!! Só prestam o seu interesse e os de seus ‘aliados’! Eles são a vergonha do futebol brasileiro!

Meu Deus, Presi! Acreditar em STJD aqui no Brasil é piada! Isso não só deve ser verdade, como tantas outras passaram por lá sem que nós soubéssemos. Por isso que eu digo: para ganhar Campeonatos aqui no Brasil, é preciso passar por cima de 19 adversários, um tribunal e toda comissão de arbitragem. Esqueci da Globo.

O STJD é uma piada, um lixo !! Só atrapalha o futebol no Brasil, além de nao ser nada confiável e ser completamente tendencioso. Parece que vivemos numa ‘censura’, pq se o jogador ou técnico critica alguem ele já pode ser julgado e punido.

Esse é mais um dos casos parecidos com “Sarney e companhia” no qual certas pessoas são vistas “acima de qualquer lei”(ao meu modo de ver).

Os comentários estão desativados.