Categorias
Notícias

Série Planejo, Logo Existo: vale quanto pesa?

POR VICENTE CRISCIO

Algumas semanas atrás a sempre excelente Máquina do Esporte de Erich Beting publicou uma matéria sobre o salário dos treinadores americanos da NBA (matéria baseada em lista dos mais bem pagos no esporte da Forbes).

O maior salário era o de Phil Jackson, o supercampeão de basquete, campeão com o LA Lakers. Jackson fatura por ano US$ 10,3 milhões.

O décimo colocado no ranking é o treinador do Seattle Seahawks, Jim Mora. Ele ganha, a cada temporada, US$ 5 milhões.

Outra curiosidade era que quando comparavam o salário dos técnicos com os jogadores. Os esportistas americanos mais valorizados faturam na casa das dezenas de milhões por ano. Phil Jackson, por exemplo, recebe metade do salário de Kobe Bryant, seu comandado no Lakers. Isso sem contar o que Bryant ganha a mais com contratos publicitários.

E NO BRASIL?

Muricy Ramalho se deu ao luxo de desprezar um salário de cerca de R$ 5 milhões por ano. Fora os bônus. Se fosse campeão de apenas um Brasileiro seu salário anual iria para perto de R$ 7 milhões !!

Mano Menezes parece que ganha algo como R$ 5 milhões anuais no Corinthians. Que (dizem) ainda não pagou o bicho do título paulista. Paulo Autuori, no Grêmio, parece que fatura perto dos R$ 4 milhões anuais. E o Grêmio está longe de ter uma receita gorda. E sem falar em Parreira no Fluminense

E veja, se você considerar que não fica claro na matéria da Forbes/Máquina do Esporte se os salários dos treinadores envolvem ainda imposto de renda (lá a coisa pega) em alguns casos a remuneração brasileira poderia ser até superior a dos top 10 treinadores americanos.

Mas tem mais uma: reparou que o maior salário americano ganha metade do maior jogador do seu time? Faz sentido! São espertos esses americanos!!

Os atletas são os donos do espetáculo. Tirando uma ou outra exceção, o que se vende é camisa de atacante, goleiro, zagueiro, volante (no caso do futebol no Brasil) ou de armador, ala, pivô (no caso do basquete americano). Aliás o Corinthians tentou vender a camiseta Sou Mano do Mano e mesmo com o badalado treinador para vender a camiseta encalhou.

Onde quero chegar: treinador é importante mas não chuta a gol, não faz grandes defesas, não dá o passe certeiro. Também não vende camisa, não vende produto, não gera receita direta para o clube. Então não faz sentido o treinador ganhar mais do que os ídolos. Essa é a lógica americana. Essa é a falta de lógica brasileira.

Uma vez estabelecida uma estrutura para um treinador trabalhar – condição básica para o profissional poder desempenhar – o profissional é parte de uma grande engrenagem, onde os atores principais – os jogadores – são remunerados e cobrados como tal.

Não falo em pagar salário de fome para treinador. Longe disso. Mas acho que o imbróglio Palmeiras-Muricy serve para uma reflexão em todos os grandes clubes brasileiros.

Saudações Alviverdes!

30 respostas em “Série Planejo, Logo Existo: vale quanto pesa?”

PARREIRA: Deus nos livre! Por enquanto deixa o Jorginho.

Mudando um pouco de assunto, mas falando ainda de técnicos, eu tava pensando: o Luxemburgo não é a cara do Fluminense?

Acho cedo efetivar o Jorginho. Deixa ele lá por enquanto !!!

Parreira e Marcio Bittencourt
Meu Deus…
Jorginho neles!

Deixem o Jorginho trabalhar… esqueçam um novo treinador… precisamos de 3 jogadores… até 2 serve.. um camisa 10 e um novo atacante…
ABRAÇO

Olá a todos.
Só quero dizer uma coisa:
PARREIRA NÃO!
Obrigado.
Abs!

Parreira é o mais novo treinador a disposição, junto com o Márcio Bitencourt.

As equipes de futebol ( inicialmente os chamados grandes e indiretamengte atingiriam as medias e pequenas equipes) deveriam se organizar e limitar o teto salarial de técnicos e jogadores, estabelecendo os valores por grau, acrescidos de ganhos por metas atingidas e premios por objetivos. Podem ter a certeza, o mercado externo não absorveria os treinadores x jogadores que quizerem sair para o exterior. Assim começaríamos uma nova era no futebol

Amigos verdes,

O trabalho do técnico acaba quando o juíz apita o início do jogo. O treinador posiciona o time, durante a semana, incentiva, dá informações sobre o adversário, mas não joga, portanto nem é tão importante assim.

A posição do prof. Belluzzo, de em vez de contratar um técnico caro, pegar esta grana e contratar jogadores é muito inteligente, já que na minha opinião com 02 ou 03 jogadores de nível, que venham para jogar, vamos brigar pelo título.

Acho apenas que com Jorginho temos um treinador sem experiência em grandes jogos, que na realidade são os mais importantes e equilibrados, onde os grandes técnicos fazem a diferença, mas se os jogadores estiverem comprometidos com o time(do jeito que estão hoje) penso que as chances continuam grandes.

E um pedido para a diretoria:

PARREIRA NÃO!!

ABRAÇOS!!

Vixi….

O Parreira foi demitido do Fluminense.
Ouvi um zum-zum-zum que ele era cotado para assumir o Palmeiras…..

O que acham?

Pois é Rodrigo #9, acho que o Palmeiras deveria fazer o mesmo que o time da marginal, ou seja, acabar com estes conselheiro vitalicios, acabar com estes feudos que existem dentro do clube.

Isto é possível Vicente? por que não sugere para o Beluzzo, uma vez que ele falou que iria arrumar a parte politica do clube também…

Outra coisa, a grande culpada pelo altos salários dos técnicos é a imprensa, que ficam endeusando estes caras. Vejam o caso do Jorginho, ele está como interino e o salário dele está compativel com o cargo que ele ocupa (tecnico do Time B). Se caso ele for efetivado, ai sim pode receber um aumento pela responsaabilidade do cargo.

Concordo que quem tem que receber um bom salário são os jogadores, porém eles devem ser respectivmente cobrados de acordo com ele. Se é competente, que mostre isso em 95% dos jogos…
Pois não é todos os dias que estamos bem… mas devem agir como profissinais, coisa que realmente é exigida no Palmeiras de hoje…

Vicente,
Acho muito cedo para efetivar o Jorginho.
Mas, essa idéia de trazer o Evair para compor a Comissão Técnica + duas contratações – é fantástica!
Há tempos atrás, cogitaram o nome do Valdívia na mídia. O Belluzzo poderia pensar nessa possibilidade, com vista para a “janela européia” (possível saída do Diego S. para o Werder Bremer). Bhremer).
.
Quanto ao post, perfeito! É preciso dizer “não”! Temos esse problema crônico no futebol brasileiro! A falta de qualidade nos elencos elevou o “status” dos técnicos. Contudo, se o elenco é de boa qualidade … há espaço para apostar em um “técnico revelação”!
“Sem riscos não há $$”.
.
Acho o momento do futebol brasileiro (também) perfeito para ajustarmos os salários dos jogadores. A mídia vem trabalhando com a idéia de que “não vale a pena ir para o leste europeu ou mundo árabe”, ou seja, destacando a visibilidade do nosso futebol! Está havendo disputa por espaço!

Abç.

E A GRANDE MAIORIA GANHA UM SALÁRIO MÍNIMO. ETA MUNDÃO INJUSTO.

No futebol europeu acontece o mesmo que a NBA. o atleta é muito mais valorizado que o técnico. não sei os numeros, mas certamente o técnico do Real Madrid não deve ganhar nem metade do que ganharão Kaká ou Cristiano Ronaldo. e aí chegamos talvez a explicação para essa supervalorização dos técnicos no Brasil: enquanto o futebol europeu e a NBA reunem os maiores atletas do planeta em seus respectivos esportes, aqui no Brasil conta-se nos dedos os craques e sobram jogadores medianos ou mediocres. aí nesse cenário de falta de craques o técnico acaba ganhando uma importancia maior do que deveria ter.

Pra mim, mega-salário só se for para um técnico excepcional como o Felipão. se for para trazer um técnico comum (como o Dorival Jr por exemplo) melhor manter o Jorginho e usar esse dinheiro para contratar jogadores que venham para resolver.

olha o seu Muricy recusando um salario desse… entao e melhor nao vir mesmo…. pra vir de ma voontade eu nao quero…

pra mim efetiva o jorginho e pronto.

Rodrigo, concordo contigo.
E com essa diferença pagamos o salario de mais uns 2 ou 3 bons jogadores e vamos rumo ao título.
É isso aí.

Pois é Yzquierdo , o que tem de boca aberta nesse tal de conselho é brincadeira.

#10 – Valter
Eu acho que clube que troca de treinador a todo momento é exatamente o retrato disto que você citou: falta de planejamento.
No caso do Palmeiras eu acho que foi meio que o contrário, o Beluzzo até demorou pra demitir o Luxemburgo. Ele tentou manter o manager até o fim do contrato, mas chegou um momento que a situação ficou insustentável. Esse momento coincidiu com a demissão do Muricy nos bambis, aí juntou a fome com a vontade de comer.

Na minha opinião, devemos ir de Jorginho até o fim do ano. Já que o Cosme Rímoli, que parece tão bem informado pelos fofoqueiros, citou o salário do Jorginho, o Beluzzo podia mantê-lo no cargo com esse mesmo salário mais “vintinho” por fora. Para o Palmeiras 40 mil não seria nada perto dos 400 ou 500 que iam pagar para o Muricy, mas para o Jorginho seria simplesmente o dobro, uma quantia mais do que suficiente para motivá-lo.

Recentemente abri um tópico no forum do PTD e a discussão foi a extremos, uns achando que técnico representa 70% e outros achando que é no máximo 30%.

É polêmico tentar chegar em algum número que ilustre a importância do técnico para um time de futebol.

O prórpio Muricy falou em certa ocasião, que o treinador representa apenas 25% no campo, o restante são os jogadores que resolvem.
Tomando isso como base, ele considera que o treinador representa bem menos do que 50%, portanto, salario de treinador deveria ser abaixo desta faixa.
O problema é que os mandatarios de clubes querem contratar um treinador de grife/estatus e esquecem o principal que é formar boas equipes.
E aí ficam trocando de treinador a todo momento.
É lógico que se tomarmos o nosso caso como exemplo, o risco é muito grande porque não temos aquele timaço.
Mas como o proprio Belluzzo diz, que essa equipe precisa de mais alguns reforços, quem sabe, podemos arriscar, ser mais ousado, e assumir esse risco.
Quem sabe também trazer o Evair como auxiliar do Jorginho.
Até aqui como estão Jorginho e jogadores? esta dando liga ou não?
As vezes temos que inovar, sair da mesmice, e como o campeonato brasileiro é longo, talvez seja a hora.
Abraço.

Esse conselheiro deve ser daqueles que adora dar assunto pra imprensa.

Vicente, no blog do Cosme Rímoli (aquele mesmo), tem uma entrevista interessante com o procurador do Kleber Gladiador, e uma matéria falando da possível efetivação do Jorginho no Palmeiras. Olha uma das frases:
“Um dirigente palmeirense acaba de dizer ao blog que o treinador interino palmeirense recebe R$ 20 mil.”
Dá uma olhada.

Interessante Vicente. Eu provavelmente nunca iria saber de uma curiosidade dessas não fosse o 3vv. Parabéns.

Eu concordo plenamente que o grande atrativo do futebol não é treinador, e sim os grandes jogadores. Eu acho que essa “inversão” de valores que ocorre no Brasil, com a supervalorização dos técnicos ao invés dos craques é devido à grande exportação de jogadores, que vem aumentando de uma forma impressionante desde a primeira metade dos anos 90, eu acho. Naquela época, um jogador jovem ainda sonhava em defender um Palmeiras, os gambás, um Flamengo por exemplo. Hoje em dia um moleque de 18 anos já quer sair dos juniores e jogar na Europa. Ou no máximo jogar num time médio, como um Coritiba por exemplo (pipokeirrison). Os craques saem cada vez mais cedo, e em maior quantidade para jogar no exterior, e isso faz com que os grandes times do Brasil tenham um nível mediano de atletas. Então se supervaloriza um treinador que se torna campeão com um time sem craques, bem armado, com um ou outro bom jogador, muitas vezes sem um craque sequer.
Um treinador campeão nessas condições acaba sendo visto como um gênio, e na verdade a coisa não é bem por aí.

Vale meu comentário nº 81 no pós jogo Palmeiras x Náutico.

Minha Teoria: ESQUEMA !!! Veja que são sempre os mesmos … sempre as mesmas figurinhas carimbadas … TODOS envolvidos nos esquemas de empresários. TODOS. Os novatos recebem chances de tempos em tempos. Se conquistam a confiança dos empresários, entram no esquema e ficam por aí trocando de time, senão somem pelas séries B e C.

Obs.: e clube que coloca técnico “integro”, que não faz o esquema dos empresários, fica sem jogador. Os empresários boicotam o clube e pronto.

Obs.: ESQUEMA leia-se, pegar um jogador bom e levar dois péssimos, com contratos de quatro anos …

[…]treinador é importante mas não marca gol[…]

Vicente,

nessa parte tem uma cacofonia … marca gol … hehe … sabe como é né … eu to com 17 anos … Novo Enem … vestibular … numa Redação da Fuvest acho q se deixar ” escapar ” uma cacofonia básica dessas perco 0,5 ponto … hehe ..

fica a dica

abs

Vicente…

falei isso aqui msm no 3vv já há alguns dias … os times pagam demais pros treineiros … hehe

Os comentários estão desativados.