Categorias
Arenas

Cenários das Sedes Particulares – Copa 2014


POR CLAUDIO BAPTISTA JR.

Pessoal, conforme mencionado na última semana, hoje faremos um breve e geral paralelo entre as sedes para a Copa de 2014 cujos projetos estão lastreados em estádios particulares.

Acho que está claro para todos a minha opinião que ao escolher estádios particulares, os governantes das respectivas sedes e os organizadores da Copa acabaram abraçando riscos que poderiam ser evitados em nome do “algo existente”, do “menor investimento público” e da frágil justificativa do “ganha-ganha” onde ao mesmo tempo que investimentos públicos são direcionados no entorno e funcionalidades para bens particulares, a Copa trará inúmeras outras vantagens para a cidade como um todo.

Colocada essa premissa, vamos dividir os assuntos em alguns tópicos.

Questões Técnicas dos Estádios

– Curitiba – 41 mil torcedores

Sem falar no tamanho do estádio e comparando com os demais particulares, vejo na Arena do Atlético Paranaense o melhor destes em função de proximidade de campo e visão do gramado. Ao contrário dos demais, esta Arena não tem sua construção como um estádio olímpico, o que deixa os torcedores mais próximos da ação. Vejam nas fotos no final dos textos.

O projeto de reforma do estádio prevê a eliminação de alguns pilares que sustentarão a cobertura a fim de diminuir a quantidade de pontos cegos.

Um ponto de destaque que considero é a instalação de cadeiras com assento retrátil permitindo uma melhor circulação entre as fileiras. O preço de aquisição e manutenção são maiores, porém do ponto de vista de utilização é uma solução interessante.

Sobre as instalações para camarotes, VIPS, o que tenho são as imagens gerais do estádio (veja ao final do texto).

O projeto também prevê a construção de um estacionamento em um terreno do próprio Atlético, porém existe a previsão de vagas em uma área da prefeitura sobre a qual falarei no item mais abaixo a respeito da participação pública em infra-estrutura.

– Porto Alegre – 60 mil torcedores

Diferentemente do estádio acima, este possui uma distância maior do público ao gramado, porém não tão prejudicada quando comparada ao Morumbi.

Existe a previsão de instalação dos camarotes e áreas VIPs entre a arquibancada superior e inferior, solução mais adequada sob o ponto de vista de conforto e visão do campo.

– São Paulo – 63 mil torcedores (?)

Esse é o pior de todos, vocês conhecem minha opinião. A começar pelo anel inferior de péssima visão do jogo. Veja o estudo abaixo da revista Trivela:

http://www.trivela.com/ckfinder/userfiles/files/fiscalizo_Morumbi.pdf

Não é necessário acrescentar muito mais sobre a questão técnica deste estádio.

Projetos Rivais

– Curitiba

O clube do Coritiba acenou com um projeto de reforma do Couto Pereira para rivalizar com a Arena do Atlético, porém não evoluiu na questão financeira. Seu projeto e a vontade dos dirigentes do clube se reativaram depois que o Atlético Paranaense declarou que sem ajuda externa, não fará os investimentos necessários para a Copa do Mundo.

– Porto Alegre

A exemplo do Coritiba, o Grêmio também tem um projeto e acena com um investidor, a OAS, porém, ainda não conseguiu tirá-lo do papel.

– São Paulo

Até o momento não existe um projeto rival na cidade em função da mesma pleitear a abertura da Copa. Contudo, uma eventual perda da abertura ou uma negativa da FIFA quando a capacidade do estádio superior a 60 mil lugares para a primeira partida da Copa, pode colocar a Arena Palestra Itália como concorrente direto.

Participação Pública – infra estrutura

– Curitiba

Apesar de considerar o estádio em si o mais promissor destes três, o clube depende de intervenções públicas na região e entorno para cumprir as exigências do caderno de encargos da FIFA, a começar pelo uso de uma praça pública para área dedicada a afiliados comerciais e vagas de estacionamento. O clube alega que esta área após a copa será totalmente desmobilizada e destinada a um projeto para a população de quadras esportivas e entretenimento diverso.

Essa questão nem é, digamos, tão desavergonhada como no projeto do estacionamento do Morumbi, porém fica clara a importância pública na aprovação do estádio.

Também existem algumas áreas que deverão ser desapropriadas a fim de minimizar os problemas de circulação no entorno do estádio. Essa é responsabilidade do Atlético Paranaense, porém o mesmo já ensaia colocar o encargo no colo da prefeitura.

Ao menos uma estação de metro, ainda não existente, é prevista para operar nas proximidades do estádio.


– Porto Alegre

O entorno do estádio do Beira Rio é muito bonito e o clube projetou a revitalização da área prevendo investimentos privados. Porém se o cenário atual aponta que o próprio estádio vem sofrendo para reunir investidores privados, o que diríamos do entorno onde a exploração seria bem menos atrativa?

– São Paulo

Este é o projeto dos três que demanda maiores investimentos públicos, a começar pelo estacionamento previsto em área pública com orçamento estimado em R$130 milhões (http://morumbi2014.wordpress.com/2009/08/17/conheca-os-projetos-de-estacionamento-para-o-morumbi/) . Alguma empresa privada se interessaria em investir esses valores para ter o retorno com a operação do estacionamento?

Isso sem contar com um trem de superfície que o escopo do projeto é a integração do Aeroporto de Congonhas a malha viária da cidade, que poderá ser desvirtuado com uma extensão da linha até a porta do estádio do Morumbi.

Vocês sabiam que no projeto da Arena Palestra Itália o estacionamento é previsto para ser construído no próprio terreno no clube e com dinheiro privado? E que o estádio se encontra a menos de um quilômetro de terminal integrado existe e operacional de trem, ônibus e metrô não demandando em seu projeto maiores investimentos públicos?

Dinheiro

Como vocês acabaram de ver, nenhum destes clubes tem capacidade de responder ao o caderno de encargos da FIFA sem a participação pública.

Para piorar, sabemos que nem para os estádio os proprietários estão conseguindo os investidores privados conforme discursos iniciais e de convencimento público.

E se disser para vocês que todas as obras destinadas a Copa de 2014 terão isenção de determinados impostos? Isso não é subsídio do governo para benefício de alguns projetos privados?

E se disser também para vocês que em função de todas essas dificuldades de se encontrar investidores privados para os estádios o Governo também acena com financiamentos do BNDES a taxas menores às praticadas pelo mercado? Isso também não é subsídio do governo para benefício de alguns projetos privados?

Preparem-se, meus amigos.

Abraço,

Claudio Baptista Jr.

Fonte das fotos: fórum da internet http://www.skyscrapercity.com

Estádio da cidade de Curitiba pertencente ao Atlético Paranaense

Estádio da cidade de Porto Alegre pertencente ao Internacional



10 respostas em “Cenários das Sedes Particulares – Copa 2014”

Esse sujeito é mesmo um falastrão…
“Morumbi é o melhor para a abertura da Copa”
Presidente do SPFC, Juvenal Juvencio, reitera vantagens do estádio paulista

Marcos de Sousa – São Paulo
postado em 25/08/2009 09:41 h
atualizado em 25/08/2009 10:23 h
Em sua estratégia para consolidar o São Paulo Futebol Clube como futura sede da Copa de 2014 na capital paulista, o presidente do clube, Juvenal Juvêncio, lançou ontem (24/8) parceria com a Cia Athlética para a construção de uma academia de ginástica no anel inferior do Morumbi. Na coletiva de imprensa, Juvêncio defendeu a abertura da Copa no Morumbi e aproveitou para soltar farpas conta a Fifa e suas exigências.

“Os representantes da Fifa foram muito duros (na reunião realizada sexta-feira no Rio). Pediram cuidado com a pista de atletismo e com possíveis pontos cegos. Apesar disso, o Morumbi mostra a cada dia que é o melhor estádio para receber a abertura. Em breve todos estarão convencidos disso”, disse Juvencio.

O presidente revelou ainda que vai solicitar recursos do BNDES para concluir as obras de adaptação do estádio para 2014. No encontro, Juvenal Juvencio confirmou que a futura cobertura do Morumbi está sendo estudada com três projetistas da Alemanha, mas não revelou nomes nem detalhes do projeto. Disse apenas que a Fifa aguardará até o mês de setembro as mudanças solicitadas na última reunião.

Fifa pede modificações no Morumbi
Entidade pede mais espaço para setor VIP e imprensa
Da redação
postado em 22/08/2009 21:45 h
atualizado em 22/08/2009 22:05 h
Reunidos no Rio de Janeiro na sexta-feira passada, os representantes da Fifa reiteram suas exigências aos responsáveis pelo projeto do Morumbi para a Copa do Mundo de 2014. Segundo o jornal “O Estado de S. Paulo”, as recomendações visaram especialmente ao setor destinado à imprensa, áreas vip e zonas de hospitalidade destinadas aos patrocinadores da Fifa e ao público que vier pela empresa de turismo da entidade.
“Foram apontadas todas as correções que temos de fazer, desde as adequações ao espaço da imprensa até a questão da hospitalidade”, disse ao “Estadão” o presidente da São Paulo Turismo (SP Turis) e coordenador do Comitê de São Paulo para o Mundial, Caio Luiz de Carvalho. “A área que eles exigem (para as zonas de hospitalidade) é de 85 mil metros quadrados. Já temos 35 mil metros quadrados dentro do clube para isso. Vamos arrumar alternativas”, prometeu. Até 4 de setembro, o comitê paulista tem de enviar para a Fifa a planta com todas as alterações solicitadas nesta sexta. Carvalho afirmou que as mudanças serão possíveis, mas cobrou que o governo federal “diga rapidamente quais são as regras do jogo do BNDES”, que financiaria a construção ou a reforma dos estádios para a Copa.
“Precisamos saber o que vai acontecer com os empréstimos do BNDES ao setor privado. Qual o tempo de carência? Garantia real ou evolutiva? Quantos anos para pagar? Isso é fundamental” acrescentou Caio de Carvalho. A reforma do Morumbi, cuja previsão de gasto é de R$ 200 milhões a R$ 250 milhões, será paga pelo São Paulo.
Fonte: O Estado de S. Paulo

Cláudio, boa noite. Qual ação pode ser efetivamente tomada no sentido de se evitar o uso do dinheiro público em benefício privado?Exemplificando: (i) impedir a construção de estacionamento na Pça. Roberto Gomes Pedrosa (área pública) para mais de 3.000 veículos, integrado com o Panettone; (ii) Impedir que o Metrô aloque recursos em obras não prioritárias para a população da cidade de São Paulo como por exemplo na linha 17 – Ouro, cujo “estudo preliminar” do estacionamento foi entregue pelo SPFW à Cia. do Metrô e à Prefeitura de São Paulo com o objetivo de integrá-lo à rede metroviária através de uma estação denominada Estádio. Isso mesmo, entidade particular , no mínimo petulante, elaborando projeto que extrapola os limites de sua propriedade; e (iii) obrigar o SPFW a construir estacionamento e parque infantil público no terreno recebido por doação em 1952 cuja escritura já foi publicada nesse espaço.
Com quem podemos tratar esses temas visando impedir o uso de dinheiro público em benefício privado? Acredito que o melhor caminho seja através do Ministério Público. Pensei também nas associações amigos de bairro do Jd. Leonor e do entorno pois já ouvi dizer que são completamente contra qualquer medida que venha a aumentar o movimento na região (pessoas, veículos, camelôs, etc). Temos algum advogado palestrino disposto a capitanear esse processo? Contem com a minha colaboração.
Um abraço, Ricardo Galassi (rgalassi@uol.com.br)

1- assim q a CBF definiu estadios particulares para a Copa ela ficou refem dos clubes…. como o Atletico PR que disse q nao fara as reformas sem grana do estado…

2- esse trem de superficie q vai ate a porta do morumbi e uma vergonha… como e vergonhoso tbm o uso do terreno publico para estacionamento.

3-

Muito bom. Duvido que o panetone vai ficar pronto com as normas da FIFA. Só se for com a ajuda do $$$ publico !!

No exemplo colocado pelo Gilberto, acredito então que interessaria muito mais a construção de um novo estádio para ser destinado ao corínthians do que a reforma do morumbi.
Seria um pacote completo. $$$ para todo e estádio e para toda uma infraestrutura.
Abraço.

O Gilberto tem razão: o Panetone-Penicão é muito mais atraente às “otoridades” do que o Palestra. O ganho para a sociedade pode ser bem maior. Afinal, político também é gente…

Que me perdoem os bem aventurados puros de espírito, mas a grande vantagem que o Penicão leva sobre a Arena Palestra é, justamente, a possibilidade de aporte de verbas públicas onde todos os envolvidos vislumbram a possibilidade de mamar nas tetas do Erário.
Quem se interessaria por um projeto privado que não serviria à política que, enxerga na abertura da Copa um trunfo nas eleições municipais. Quem lucraria com um projetos desses, além dos investidores e do proprietário do imóvel?
De que serviria uma Copa do Mundo aqui se não fosse a evidente possibilidade da tal hemorragia descontrolada e impune?

é claudiao !!!

acho que no final das contas vai acabar sobrando pra nois mesmo, pq nao vai ter muita coisa boa…

A copa da Africa do Sul nunca foi tao bem copiada !!!

Claudião, em resumo, quando vai começar a sangria de dinheiro público? Só espero que seja logo, pois se chegar em 2013 e nada estiver pronto, vai ser uma hemorragia descontrolada, não uma sangria.

Os comentários estão desativados.