Categorias
Você manda o Recado

Fala que eu te escuto: novas diretrizes no departamento de futebol

POR ANDRÉ LUIZ MARTINS OLTEMARE

No futebol de hoje contratar jogadores é muito complicado,
pois há que se priorizar um equilíbrio entre a capacitação técnica e o
potencial financeiro.

Em nosso clube que, como tantos outros atravessa problemas de
caixa, tenho a impressão que esse tema foi pouco explorado. Dificilmente
encontramos algum bom jogador jovem que nos dê retorno técnico e financeiro.
Cito como exemplo o Caio que veio do Barueri e foi vendido para a Alemanha e
rendeu aos nossos cofres cerca de 6 milhões.

Ao mesmo tempo que precisamos de categoria de base forte, podemos
sim encontrar jogadores jovens no mercado.

O que me parece errado é contratar jogadores de idade
avançada, com pouco retorno técnico e financeiro e jogadores emprestados com
passe estipulado e que possivelmente não teremos $ para contratar.

Em um elenco como o nosso, com cerca de 30 atletas no time
principal, acho que o clube deve ser dono de no máximo 10. 

Isso é preocupante. No fim do ano precisaremos vender algum
jogador para fazer algum caixa e não teremos quem vender. Ao mesmo tempo não
teremos $ para contratar os emprestados e provavelmente os parceiros vão querer
fazer o seu lucro. 

Também me parece que o Palmeiras tem que aprender a exportar
jogadores, com parcerias e convênios com clubes de outros mercados. Hoje em dia
existem clubes compradores em todas as partes do mundo. Então a idéia é simples:
acredito que todo ano cerca de 40 jogadores estouram a idade do sub-20 e do Palmeiras B. Muitos
não têm condições de jogar aqui, mas podem gerar receitas para nós. Nada como
estimular esse intercâmbio através de parcerias desse tipo. 

Mande 30 garotos para fora com empréstimo de 1 ano. Se no
fim o clube conseguir vender 30% dos direitos federativos destes meninos por 1
milhão de euros – convenhamos que é uma pechincha – veja o potencial da receita
que poderíamos realizar. 

É O PRÓPRIO CLUBE FAZENDO O PAPEL DO EMPRESÁRIO. 

Acho que esse pode ser um caminho para uma revisão do modelo
de gestão do clube na relação com clubes de fora e formação de jogadores.

André Luiz Martins Oltemare



A seção Fala Que eu te Escuto é uma nova seção do 3VV.
Todo mês leitores e comentaristas que se destacam em sua interação
com nosso blog serão convidados a publicarem um post sobre o Verdão.
Esse é um espaço democrático. Podemos não concordar com todas as
ideias aqui apresentadas mas defenderemos arduamente o direito do palmeirense se fazer ouvir.

10 respostas em “Fala que eu te escuto: novas diretrizes no departamento de futebol”

André, é tambem por aí o caminho, temos que pensar em alternativas, não podemos ficar somente criticando a diretoria.
Li qualquer coisa, não sei precisar aonde, que o Palmeiras junto com o Brunoro irão dar uma revolucionada muito grande nas nossas categorias de base.
Tambem vi algo que o Palmeiras escolheu a Bittencourt empresa de licenciamento para espalhar em 2 anos cerca de 60 escolhinhas de futebol.
Então, se isso for verdadeiro, dentro de alguns anos iremos ter na nossa base muitas revelações.
E é disso que precisamos, da nossa base forte.
Um abraço.

Oltemare, dá seu CV para o Vicente entregar no Palmeiras. Quem sabe eles queiram um consultor de como fazer ALGUMA COISA com categorias de base. Santa incompetência…

Com certeza André temos que investir mais nas categorias de base pra ter um lucro lá na frente. Otima a sua materia

E PENSAR QUE O KID MADUREIRA TROUXE O MARCÃO COM TODA ESSA IDADE, É BRINCADEIRA.

Excelente sugestão, André.

Pelas (poucas) informações que chegam sobre as categorias de base do time, nós temos uma safra muito boa de jogadores do sub-17 para baixo.

Tenho certeza que o Felipe e o Anselmo, que já estão treinando com os titulares, vão dar muito certo no Palmeiras.

Aliás, este ano, o Souza deve ser eleito a Revelação do Brasileiro/2009. Faz tempo que isso não acontece com um jogador do Palmeiras, hein?

A idéia proposta é boa, mas, para ser adotada, as categorias de base teriam que gerar jogadores de melhor qualidade, pois os clubes de fora não iriam aceitar qualquer porcaria só por ter um convênio com o Palmeiras.

Eduardo é por aí aperfoiçando a idéia…..quantos jogadores saem do País sem nunca ter jogado aqui e vira grande jogador lá e rende uma grana muito boa para seus empresários.
Ex. Daniel Alves agora no barça,Ederson no Lyon,o Tadei e o Paulo Asunção sairam daqui e deram certo lá e não são jogadores com primor tecnico.
O Palmeiras poderia firmar convênios com times intermediários e grandes tambem,imagine mandando nossos garotos para o Sporting,Totheram,Psv,Fiorentina,Lyon e tantos outros clubes.

Uma modalidade nova de negócios poderia ser o empréstimo por 2 anos de jogadores jovens nossos para times europeus. Eles vivem emprestando jogadores para nós e compram jogadores nossos por valores baixos com a desculpa de que mtas vezes os jogadores não se adaptam. Pois os times grandes teriam o jogador por 2 anos em experiencia ou nós teriamos nossos jogadores em evidencia na Europa, jogando por times médios e pequenos. Os jogadores teriam o ano de adaptação e o ano de provar o seu valor. Não deu certo? Nínguem quer comprar? ÓTIMO, temos um jogador pro time com experiencia internacional e melhor noção tática.

Não acho que seja uma coisa facil de se fazer e nem acho que vá dar certo em todos os casos. Mas, talvez, nos rendesse otimos frutos.

André, gostei da idéia do intercâmbio para os jogadores que não serão aproveitados. O pessoal do Palmeiras pode pensar em colocá-la em prática. Parabéns.

Os comentários estão desativados.