Categorias
Arenas

Série Arenas – a localização do banco de reservas

POR CLAUDIO BAPTISTA JR.
 

Pessoal, gostaria de fazer um simples comentário e alerta técnico para nossa Arena em função de um equívoco, no meu ponto de vista, que os projetistas do Mineirão estão fazendo na revisão do projeto daquele estádio.

O negócio parece até singelo, mas as consequências podem ser grandes caso a FIFA resolva cobrar o que escreve em seus requisitos. Falo do banco de reservas.

Em grande parte dos estádios aqui no Brasil os bancos de reserva são instalados em uma espécie de fosso que parece mais uma trincheira. 

E a FIFA escreve em seus requisitos bem assim:

“Os bancos devem ser colocados ao nível do solo e não obstruir a visão dos espectadores em relação ao campo de jogo. Devem estar protegidos do tempo ruim ou de objetos que possam ser atirados por uma cobertura transparente em Plexiglas™.”

Ou seja, não pode ter fosso. Vejam a figura abaixo. 

Então, basta não fazê-lo. Tudo bem, só que em diversos projetos isso implica na necessidade de se eliminar diversos assentos do público atrás do banco de reservas e até mesmo rebaixar o gramado. 

No Mineirão, de acordo com as informações e figura abaixo, o gramado será rebaixado em 3,5 metros a fim de melhorar a visão do anel inferior e não prejudicar a visão dos anéis superiores, só que observem na figura abaixo a existência do bando de reservas ainda com o tal fosso. 

Para se respeitar o que pede a FIFA, caso os bancos de reservas sejam revistos e o fosso eliminado, acontecerá exatamente o que expus acima. A perda dos lugares mais baixos com visão obstruída. 

Utilizando esse exemplo, quero apenas alertar os projetistas da nossa Arena que os bancos de reserva sejam instalados AO NÍVEL DO SOLO e que permitam a visão desobstruída de todos os assentos atrás dos mesmos, de acordo com os requisitos da FIFA. 

E tem clube dono de estádio pensando que apenas aumentado a altura dos assentos do anel inferior bastará para eliminar tal problema. Vocês sabem de qual estádio estou falando. Espero que a FIFA não feche os olhos para isso. 

Abraço e até a próxima semana. 

Claudio Baptista Jr. 

Crédito Imagem: http://3vv.com.br/wp-content/uploads/2009/08/page0_blog_entry65_1.jpg

38 respostas em “Série Arenas – a localização do banco de reservas”

so uma pergunta..

sao 42mil pra jogos FIFA
e 45 ou 46 MIL pra outros jogos(liberta, BR, Paulista)

claro eu queria um estadio pra 60MIL sempre lotado como na Europa…

ate acho q com a Arena nivel FIFA com seguranca, coberta, ingressos com facilidade teremos sempre casa cheia…

exemplo… pra mim q sou de Santos e um calvario conseguir ingressos..

mas eu acho q nao teriamos espaço fisico para ampliar pra 60MIL…
pelo q andei lendo o estadio com 45mil ja esta nos limites do terreno…

para aumentar so comprando tudo em volta..

Vicente,acho que mais do que o televisionamento,o que afasta muito os torcedores dos nossos estádios são as condições deles.A violência,a truculência da polícia e dos seguranças,e as péssimas condições do local em si.

Quanto jogos televisionados,você,eu e todos aqui já não foram?Vários.E em TV aberta.

É que o estádio em si,é muito restrito e desconfortável.Hoje,a grande maioria que frequenta o Palestra é de gente que ama demais o time.Conheço um monte de gente que adoraria ir ao estádio mas não se sente segura.

Acho que seria uma questão de hábito,de acostumar o torcedo a ser bem tratado para que nosso estádio estivesse com uma média de pelo menos 40 mil pessoas.

Fico contente com o que você disse.A sua informação do estudo do Gotardi, e das idéias dele me deixam feliz.Como o Claudio falou antes,é melhor ficarmos com o pássaro que temos na mão e no futuro se possível pensar em alguma adaptação possível.

Abraço e obrigado.

Acompanhei todos os comentários desde quinta-feira. Claudio e amigo, parabéns pela discussão.

Como eu acompanho o projeto mais de perto dado o meu “emprego” no Palmeiras, posso dar uns pitacos também.

Realmente sobre a capacidade não há uma ciência exata. É uma projeção. Pode ser que a torcida palmeirense conseguisse manter bons níveis de ocupação com 50 mil ou mesmo 60 lugares. Nesse caso penso que a WTorre quis ser conservadora no business plan.

Mas há outro detalhe (já bem lembrado aqui nos comentários). A WT pegou carona no projeto pré aprovado na Prefeitura do final dos anos 90. E acreditem, essa aprovação está fazendo toda a diferença nesse momento de aprovação das mudanças. A lei de uso do solo mudou muito de lá para cá, e os índices de área construída (além de outras obrigações com meio ambiente) colocariam grandes empecilhos para a Arena passar de 42 para 60 mil lugares, por exemplo.

Cassio, seus comentários foram muito pertinentes (aliás, todos foram) mas a comparação com o mercado inglês é complicada. Por exemplo, imagine Palmeiras e São Paulo jogando na Arena Palestra num domingo como hoje. Se fosse sob as regras inglesas, esse jogo iria para o PPV (caríssimo) e os gols e lances do jogo só seriam passados na tv aberta duas horas depois de terminada a partida. Isso influi muito para o torcedor ir ao campo. Não quer dizer que essa regra não possa mudar, mas aí teríamos que peitar a Globo, o que convenhamos é complicado em qualquer cenário de tempo.

Não quer dizer que é inviável uma arena para 50 mil lugares. O Gotardi já estudou a respeito e tem algumas ideias sobre isso. Mas acho que nesse momento é bem complicada qualquer mudança a respeito.

Sobre o BNDES, o SPFC (e outros) dificilmente terão acesso. O Banco não pode emprestar dinheiro a clube. E se emprestar (nessa tal linha de fomento à Copa) vai exigir garantias reais e pagamento. Nenhum clube terá condições de bancar isso. Apenas empresas privadas conseguiriam criam um projeto econômico e oferecer garantias ao banco. Nós temos que exigir que a farra do dinheiro público (infelizmente deve acontecer) seja usada com estádios públicos. Esse será pelo menos um mal menor. Dinheiro público para estádio privado a fundo perdido, nunca!

Abs

Junior, você é do La Nostra Casa né?
Ainda seria possível uma mudança no projeto para aumento da capacidade, sem causar mais atrasos e problemas burocráticos com a prefeitura?

A conversa está muito inteligente e interessante! 😉

A minha visão é igual a do Claudio, o Palmeiras/WTorre poderia fazer um esforço e aumentar a nossa cpacidade para no mínimo de 55 mil pessoas, para que as pesssoas de poder aquisitivo mais baixo possam ter oportunidade de ir assistir os jogos na Arena Palestra Itália!

Vale a pena lembrar que o Sporting de Lisboa tinha uma média de 17 mil pessoas antes de construirem a sua Area(muito similar a nossa) e agora tem 37 mil torcedores de média! Pegando os portugueses como exemplo, o Palmeiras tem MUITO MAIS POTENCIAL do que eles e tenho a absoluta certeza que conseguiriamos uma média facilmente!

Com uma estrutura nova e condições decentes para o torcedro, tenho certeza que muita gente que deixou de ir ao estádioo, essas pessoas devem voltar a assistir jogos ao vivo e trazendo novos torcedores!

Temos que pensar para daqui 10 anos e não para hoje, esse é o problema desse estudo que a WTorre(eu não li ele) fez e que defende essa capacidade.

Tenho a esperança que a diretoria do Palmeiras/WTorre mudem de idéia e alterem esse problema no projeto da Arena!

Marco, infelizmente aquele antro do jd. leonor possivelmente vai ser aprovado para a Copa, com aquele famoso jeitinho brasileiro, mais um bocado do nosso dinheiro sendo jogado numa lata de lixo.

Falou tudo cara. Sao tantos detalhes hein. Duvido q o panetone vai ser FIFA !!

Daniel, espero que o meio termo não seja esquecido depois que a arena estiver pronta.

Cassio, acredito que a torcida não vá diminuir, ainda mais se o Palmeiras se consolidar novamente como um gigante do futebol, como sempre foi, e como parece que está voltando a ser. Aí a tendência é aumentar cada vez mais. E acho que algum impacto na procura por ingressos vai ser sentido talvez um ou dois anos depois da inauguração da arena, pois pode levar algum tempo para a torcida mudar o hábito e começar a adquirir ingresso antecipado, por carnês, programa de sócio torcedor, ou algo do tipo. E é aí que eu concordo com você que a questão da capacidade maior é importante, pois havendo crescimento da torcida e melhoria das condições no estádio, a procura será cada vez maior. Digo isso na base do achismo, pois também sou um leigo nesse assunto, e só o tempo mostrará as consequências.

Abraços

Daniel os mais abonados que gostavam do Palmeiras iam aos jogos de numerada.
Quando você fala em Setor Visa,acho ótimo também,mas discordo.Se tem algum lugar que vive cheio de espaços vazios no Palestra,é o Setor Visa.
Só lota de verdade em jogos muito importantes.

Todo tipo de torcedor sempre reclamou do Palestra.Tantos os com grana como os sem grana.A arquibancada é dura,a numerada descoberta tem um banco de praça,a coberta é coberta só no nome,com uma chuva de lado molha todo mundo.

Concordo que os melhores lugares sem mais caros,mas acho que até o mais barato tem que ter uma condição mínima de conforto.
Aliás,são os mais pobre que dão grana para o time,tanto no grosso do estádio quanto na compra em grande volume de produtos mais baratos do clube.Fora que o Palmeiras só tem 15 milhões de torcedores porque em sua maioria é formada por pessoas sem grana.É pequena a parcela de torcedores abonados de qualquer torcida neste país.Se o Palmeiras tem uma das cotas mais altas de TV aberta é em grande parte por causa destas pessoas.O consumo delas,é que fara com que a receita do Palmeras.Na compra em grande número de produtos licencidados e mais baratos.Não é só vendendo camisas caras que o clube obtém receita.

O futebol é popular e democrático.Todo mundo,independente de classe social tem que ser bem tratado.

Rodrigo,se sobrar para os torcedores de menos grana apenas jogos mornos.A torcida do clube vai se elitizar e diminuir cada vez mais com o tempo.
As pessoas vão procurar ir mais ao cinema e a outras opções de lazer mais baratas e que tenham o minímo de conforto e respeito.Consequentemente seus filhos,vão se desinteressando pelo futebol e pelo clube.

Abraço.

Acho que haverá um meio termo. É necesário que existam ingressos para todos os públicos, os “ricos” e os “pobres”…

Lembrem-se que, até pouco tempo atrás os mais abonados não iam no estádio. Com o Setor Visa, é possível comprar com o cartão de crédito, pela internet e se sentar no lugar que vc escolheu, com conforto e segurança. Ninguém reclamava antes quando o Palestra não oferecia espaço para esse tipo de público. E o Visa está quase sempre cheio, então não me venham com essa de que só torcedor pobre vai ao estádio, pq isso é mentira…Torcedor rico não ia pq não tinha um “produto” compatível…

Infelizmente, o mundo funciona assim: quem pode mais, consegue mais…é claro e faz sentido que os melhores lugares sejam mais caros…

E pensem no Palmeiras: não é vantajoso para o clube ter um programa de sócio torcedor, com venda antecipada de ingressos e tudo o mais? Antecipação de receita! Quem não quer isso?

E só pra completar meu ponto de vista, acho que o padrão FIFA para uma Arena sofisticado demais em alguns aspectos. Tem itens que eu acho que “não precisava tanto”.

Cassio – 22, esse é o meu receio e de boa parte da torcida, inclusive há entre palmeirenses quem seja contra o projeto. Eu não chego a tanto, sei da importância da Arena para o Palmeiras em todos os sentidos, mas é fato que ela favorecerá quem tiver uma situação financeira melhor.
Eu imagino que vá sobrar para o torcedor mais simples (e aqui eu me incluo) jogos contra equipes de menor expressão, e que os jogos contra times de tradição sejam quase que inacessíveis para aquele torcedor que gosta de ir ao estádio, mas não é sócio.
Eu pretendo me associar de alguma forma, mas hoje isso seria impo$$ivel.

Claudio,diante do que você expôs acima,não dá para contestar.Concordo com você.
Principalmente deixando a porta aberta para uma possível ampliação do projeto no futuro.Por enquanto é melhor segurar o pássaro que temos mesmo.

Abraço.

Marcio, acho mais viável a própria WTorre querer trazer para si esses benefícios.

Porque o Palmeiras iria querer abraçar os riscos de um financiamento altíssimo se já tem o acordo junto a WTorre?

Convenhamos, o Palmeiras hoje não teria capacidade alguma de gerenciar a Arena. Tenho até arrepios só de pensar em algumas pessoas do clube colocando as mãos na gerência desse equipamento.

Cláudio,
Só dando uma viajada: se, por acaso, a WTorre (Santander) começar a enrolar e se o governo confirmar os boatos de que o BNDES oferecerá crédito mais facilitado para construção/reforma dos estádios e também a isenção de impostos para este fim, você acha que seria viável o Palmeiras tocar o projeto sozinho?

Pessoal, tem um detalhe que nos escapa.

O Palmeiras teve que revalidar o antigo projeto que era previsto para 42 mil lugares (FIFA) e 46 campenatos normais (ex: BR, Libertaores). Essa foi a saída para não ter que entrar com um processo ainda mais burocrático e de maiores riscos junto a Prefeitura.

Conseguida essa revalidação, foi refeito o projeto incluindo as alterações no próprio estádio e clube social. Entrou-se em nova burocracia, mas como disse acima, já havia a revalidação de diversas premissas importantes para a continuidade do projeto.

Assim, até defendo o Palmeiras neste sentido. Talvez até fosse desejo do clube partir para algo maior, porém levando-se em conta os riscos envolvidos e os estudos de viabilidade pode-se ter chegado a um termo comum dentro do Consórico.

Tenho um sentimento, particular obviamente, que o importante nesse momento é aprovar integralmente o atual projeto. Depois e dependendo do cenário, o Consórcio pode até pleitear algo maior junto a Prefeitura .

Mais vale um pássaro na mão do que dois voando.

Abraço.

Rodrigo-19 Infelizmente,com essa capacidade projetada de 42000,o Palmeiras vai passar a ser um clube segregador.A maior parte da sua torcida não terá acesso a algo que deveria a casa de todo palmeirense.Inclusive os mais pobres.Só os donos de cativas,camarotes e sócios torcedores terão acesso ao estádio.

Acho que o projeto tem que ser repensado,mesmo que seja para,no futuro,deixar as coisas encaminhadas para ampliação da capacida de público.

Infelizmente vejo muito descontentamento e frustração de grande parte da torcida neste sentido.E muitas confusões.

Quando o projeto foi concebido o clube ainda era sequestrado pelo Musgambá.Aquele do bom e barato.Pra ele,quanto menos gente para encher o saco ótimo.

Para os dias atuais acho que o projeto teria que ser totalmente revisto.Não pela qualidade que parece ser excepcional,mas pela capacidade da arena.

Abraço.

Não considero 50 mil pessoas utópico.É tudo questão de planejamento.De tornar o complexo todo do estádio, em algo prazeroso para as pessoas.Não só pelo jogo em si.Acho isso facilitaria inclusive na venda antecida através de carnês.

Não falo em construir apenas para ser maior do que ninguém,falo pela grandeza da torcida do Palmeiras.Por que não dar oportunidade ao maior número torcedores possível, de ver um jogo do Palmeiras e desfrutar de tudo que envolveria a nova Arena?Fora as receitas de bilheteria que seriam maiores e permitiriam um preço de ingresso menor.
Temos profissionais competentes que poderiam fazer tudo isso de forma sustentável ambientamente,planejada e viável economicamente.E acomodando cada pessoa com o máximo de conforto.

Quanto a vender jogadores para sustentar estádio,acho que seria o contrário.Teríamos muito mais receitas e estrutura para manter os grandes valores.

Uma final de libertadores,comporta tranquilamente 60.000 pessoas.Já deixamos de jogar uma final no ano 2000 por nosso estádio não comportar, se não me engano, 45.000 pessoas.Não sei nem se a Arena vai chegar a isso.Pra mim,quanto mais torcida melhor.Mais gente com oportunidade de ver grandes jogos.

Claudio,acho que a W Torre tentou chegar a um meio termo.Como você disse,por ela ter que manter o estádio por 30 anos,ela tentou chegar ao máximo de receitas para ela,com o mínimo de gastos para manter a conservação da Arena e lucrar o muito bem.Isso tudo tentando não desagradar ao Palmeiras.

Aí é que acho que quem aceitou a proposta deveria ter questionado a capacidade de público.Com um bom planejamento acredito que seria possível um complexo esportivo,cultural e de consumo para acomodar pelo menos 50.000 pessoas.

Abraços.

Daniel o Palmeiras é clube grande.Não tem que se comparar com times pequenos da Inglaterra ou de qualquer outro lugar.Além do mais,6 estádios em uma liga disputada por 20 clubes é uma quantidade bem considerável..Além do mais,eu falei entre 50 e 60 mil.Em todos os campos da Inglaterra a torcida fica grudada.Inclusive nos grandes.

Seguem alguns exemplos de capacidade de estádios e que estão 99% das vezes cheios.

Wembley – 90.000

Millennium Cardiff, – 74.000

Anfield – Liverpool – 45.000 – em 2011 inauguram um novo para 60.000 pessoas.

Old Trafford Manchester 76.000

St James Park Newcastle 52.000

Emirates Arsenal 60.000

Everton FC – 40.000 em 2011 inauguram um para 55.000.

Manchester City – 48.000 vai expandir para 65.000 lugares

Santiago Bernabeu -Real Madrid – 80.000

Nou Camp – Barcelona – 98.000

Sevilla 52.000

Atlético de Madrid 54.800

Valencia 52.000

Roma 72.000

Tem um monte de outras opções.Não vejo o Palmeiras menor do que nenhum destes clubes.Falo em história e grandeza.Não financeiramente.

Tem duas coisas que me deixam com a pulga atrás da orelha desde que começou a ser divulgado o projeto da Arena: a capacidade e a procura por ingressos depois que ela estiver pronta. Eu sempre achei que para um time da grandeza do Palmeiras o mínimo de capacidade deveria ser em torno de 50.000 pessoas (daí pra mais), e até hoje, antes de ler os comentários deste post, achava que o projeto foi feito para 42000 por uma mera questão de falta de espaço. É lógico que esse detalhe da sustentabilidade é fundamental, deve ser levado em conta e ser bem planejado, mas o provável aumento na média de público depois que a reforma for concluída pode ocasionar dificuldades. Se fala em projeto de sócio torcedor, e vemos números como do Inter RS, que tem 100.000 sócios. Imaginem a dificuldade de um torcedor comum, que não tiver condições de ser um sócio torcedor conseguir um ingresso quando o Palmeiras alcançar um número de 50 ou 60 mil sócios?

Para a final da Libertadores a capacidade mínima é 30 mil (ou 35, mas não mais que isso e, certamente, menos de 45)…

Cássio, depois vc me diz quais são os estádios ingleses pra 60 mil torcedores que vc anda vendo na tv…eu só vejo estádios pequenos, com a torcida grudada no campo…tirando wembley e mais uns 4 ou 5, eu duvido que os estádios de lá comportem mais de 45 mil…

Abraços a todos, chega de lavoro por hj…

Além dessas bem colocadas questões, tem um detalhe recorrente em finais de campeonatos: a capacidade mínima para 50 mil torcedores.

Embora esse seja um antigo argumento das bonecas para levar jogos decisivos para o Penicão, parece que no regulamento da Libertadores existe essa exigência. Não sei se é nova, pois o Palmeiras já decidiu no Palestra.

A atual diretoria do Palmeiras, demonstrando a grandeza do clube, conseguir acabar com essas costumeiras mutretas da bambilândia, inclusive respeitando o mando de campo dos clubes pequenos, fato que há anos não ocorria no Paulistão.

Não faz sentido um clube com a grandeza do Palmeiras ser obrigado a decidir fora de sua casa, principalmente depois da Arena. Que tenha então força nos bastidores para não ficar refém de futuros regulamentos.

Cássio, mais uma vez você tocou em um ponto importante.

“Além do mais,precisa ver se estudo minucioso foi feito pendendo mais para o interesse do investidor ou do clube?”

Serão 30 anos de gestão da WTorre com os custos que colocam “terror” em todos quando pensam em viabilidade do negócio.

Podemos partir daí para analisar de como foram equilizado os estudos.

Adoraria que tivéssemos público médio de 50 mil torcedores, mas acho um número bastante utópico.

O grande lance de uma arena planejada, e não construída com o objetivo apenas de ser a maior, é que ela é sustentável. Sustentável do ponto de vista econômico, ambiental, social etc. Construir ou reformar um estádio apenas para ele ser o maior, para mim, não faz sentido no contexto em que vivemos hoje (sustentabilidade, bom uso de recursos naturais e financeiros, boa conivência com o “entorno” da arena etc.).

Eu não debocharia os bambis ou os corinthianos só pq o estádio deles seria menor que o nosso pq, honestamente, não vejo a menor vantagem nisso e, além de tudo, pode ser oneroso para o clube. Já pensou o Palmeiras precisando vender o DS-7 e o CX-10 só pra pagar custo de manutenção do estádio?

Assino embaixo Claudio.

Vamos ter N reclamações de torcedores que não vão ter como comprar camarotes,nem cativas dizendo que não conseguiram ingresso para a arquibancada.A muvuca para arquibancada continuará a mesma.A maior parte da nossa torcida que, vai de arquibancada,ficará frustrada.Isso é péssimo para conseguirmos futuros torcedores.Em um país em desenvolvimento como o nosso,não adianta negar,o grosso de qualquer torcida é formado por pessoas pobres.E estas deveriam ter oportunidade de frequentar nossa casa também.Eu sou uma delas.
Aliás,são esses que dão o maior lucro porque compram em grande volume.Mesmo que sejam coisas miúdas.Por que as Casas Bahia investem 1 bilhão de reais em propaganda por ano?Quem é o alvo dela ao parcelar em mil parcelas?São essas pessoas.Ela ganha no volume absurdo que vende para as pessoas com menos renda.Ela e o Bradesco que é quem financia as vendas à prazo.Quem tem grana vai lá pesquisa e compra.Mesmo sendo caro.É o caso dos camarotes e numeradas.

Daniel, eu entendo que você falou de porcentagem de ocupação.Mas como eu disse é tudo questão de hábito.De acostumar o torcedor a ser bem tratado e ter um lugar agradável para estar, independente de jogo.As pessoas não deixam de frequentar shopping´s,teatros por causa de chuva,frio ou sol.
Assisto campeonato Inglês,vejo estádio grandes de times que estão brigando pela oitava posição completamente lotados o ano todo.E são estádios com capacidade para 50 a 60 mil pessoas.
Não temos o hábito hoje porque as condições são péssimas.No futuro serão melhores.Consequentemente muito mais gente vai querer ir ao estádio.

Tudo isso reverteria em grana para o time,e ajudaria a melhorar nossos resultados em campo também.

Além do mais,precisa ver se estudo minucioso foi feito pendendo mais para o interesse do investidor ou do clube?Sei que se não for assim,dificilmente teríamos grana para construir uma arena,mas,não custa reestudar a capacidade do estádio.Inclusive em benefício do investidor.

Repito acho absurdo ter estádio menor que os bambis.A ocupação média baixa deles é porque a torcida deles é da moda.Tenho certeza,se o Palestra hoje,tivesse a capacidade que tem o Morumbi,nossa média de ocupação seria de pelo menos 50 mil pessoas.Basta olhar, hoje,a procura absurda de ingressos para jogos do verdão.

Sei lá,é minha forma de pensar.O prof.Belluzzo é economista,deve ter gente ao lado dele para assessorá-lo.

Eu não me conformo em uma arena com apenas 34 mil pessoas na arquibancada.

Abraço.

Pessoal, nesta questão de capacidade estou com o Cássio.

Vamos ver da seguinte forma.
Arena 46 mil lugares sendo:
2 mil em camarotes (WTorre)
10 mil em cativas (WTorre)
34 mil (Palmeiras)
Pensando em todas as formas e modalidades de torcedores, vejo 34 mil lugares pouco para o potencial da nossa torcida.
Podemos ter setores a exemplo do Visa para vendas antecipadas, internet, modalidades sócios torcedores, sócios do clube, torcedores de ocasião (bilheteria), torcedores populares, etc…

Fora que devemos pensar na flexibilidade da bilhetagem que nos procorcione um equilíbrio entre renda e lotação do estádio.

Desta forma, gostaria muito também que nossa Arena fosse maior. Até 60 mil acho um número bem interessante.

Porém, isso não passa de achismo e vontade particular, até porque quem se debruçou nos números foram WTorre e Palmeiras.

Grande abraço.

VALEU CLÁUDIO. FERRO NO GAYSON DOMINGO. ABRAÇOS PALESTRINOS.

Tem que acabar com essa picaretagem da meninada !!!
solta uma bomba naquela merda !!!

Cássio,

Eu também acho o penicão ruim, só usei de exemplo para falar de % de ocupação…

Qualquer projeto desse porte tem um minucioso estudo de viabilidade econômica, baseado em modelos de otimização de receitas e minimização de custos…certamente o comitê do projeto está muito bem embasado para dizer que o número ótimo é 42 mil…

Eu prefiro um estádio menor mas com uma taxa média de ocupação maior do que um estádio maior com uma taxa média de ocupação menor…

Abraços,

Daniel.

Daniel,como eu disse no texto anterior,acho que é questão de se fazer o hábito.ÀS vezes a pessoa não gasta tanto com o ingresso,mas,acaba deixando muito mais dinheiro de outras formas.Consumindo produtos do clube ou não.Se alimentando,visitando memorial,estacionamento,lojas e etc.

É questão de se criar o hábito no torcedor.Não entendo porque o verdão não pode ser o pioneiro nisso também.

Além disso,o Penicão não é parâmetro porque é longe demais para a maioria das pessoas.É péssimo em acomodações,transporte,estacionamento e opções de lazer.Fora a violência dos clássicos em um lugar que tem tudo para virar praça de guerra.

O Palestra é o estádio mais bem localizado de SP.Quantas vezes eu saí do jogo e fui a um dos Shopping´s ao lado?E quantas pessoas não fazem o mesmo?E eu moro em Guarulhos.Podia consumir dentro do Palestra e não fora dele.

Só mais um detalhe,tá cheio de jogo que você vê o anúncio de público,17 mil pessoas,aí você olha em volta e se pergunta: -Onde vão enfiar mais 11 mil pessoas?

Você nunca se fez essa pergunta?Eu tô cansado de ver isso em jogo do verdão.
Tem outras coisas que precisam ser melhor divulgadas e fiscalizadas.

Abraço.

Porque deixar dinheiro nos Shoppings ao lado do Palestra e não lá dentro?

Só mais um detalhe dentre ao “pequeno” texto acima.Se um estádio entupido com 42 mil pessoas faz uma pressão enorme,um com 50 ou 60 mil pessoas faz uma maior ainda.Tudo depende da acùstica do local e da forma como ele é projetado.

Cunio,como disse,sou leigo nesse assunto.
A Europa é outro mundo financeiramente,mas,não me consta que o Liverpool,o Chelsea,o Manchester,o Barcelona o Real e tantos outros clubes até menores que tem estádios com capacidade superior a 45 mil pessoas, não sejam inteligentes.

Por que o Palmeiras não pode ser pioneiro novamente e fazer do estádio um ponto de lazer para todos.Cansamos de ver jogos ridículos e que não valem nada na Inglaterra com 60 mil pessoas.Elas não vão ali só pelo jogo.Tem uma série de outras opções de lazer ao redor.O museu do clube,lojas,restaurantes,bares e o principal,não tomam chuva e são muito bem acomodados.
É claro que o valor do ingresso pesa,mas acho que aqui,os estádios não estão sempre lotados porque a pessoa vai para sentar no cimento molhado e tomar chuva,ou tomar um sol escaldante na cabeça.O cachorre quente que é ridículo custa 3 reais,o refrigente que só tem uma opção custa 2,50.Os banheiros são nojentos.

Se você me perguntar seu eu iria assistir a um América-RN x Palmeiras, com o verdão sem chances no campeonato?Se for a um estádio com as opções que te falei claro que iria.
Quantas pessoas vão ao Shopping só por causa do cinema?Vão porque tem um monte de opções de lazer além do cinema.Os banheiros são limpos,bem cuidados,os estacionamentos em sua maioria são bons e não tão caros.O do Bourbon pelo menos pago 5 reais para ver o jogo do verdão.

Tem a questão do turismo também.Às vezes as pessoas da grande SP não vão ao jogo,mas,tem tanta gente de fora,do Interior,do Litoral,de fora do estado, que quer ver o Palmeiras,como acontece com o Boca,e não vem porque vai chegar aqui e sabe que os ingressos serão poucos.

Acho que é tudo questão de se educar as pessoas.O torcedor como eu e você,vamos ao jogo de qualquer jeito.Mas é preciso dar um tratamento melhor a todos.Quantas pessoas deixam de ir ao estádio porque seus filhos são mau tratados e não o mínimo de conforto.

Não vejo o Metrô detonado.Porque é um bom serviço.Nem é espetacular,mas é muito bom.As pessoas em sua maioria respeitam.E os que não respeitam tomam porrada da segurança e da polícia e não vão mais desrespeitar.

Pra mim,lotar estádio não é uma questão de tamanho só,é questão de fazer as pessoas enxergarem ali,uma ótima opção de lazer e não só um jogo de futebol.E claro que tenha um custo decente.

Além de tudo isso,não vejo porque as bibas terem um estádio com capacidade maior do que a nossa.Elas tem fã clube.Torcida temos nós.
E os gambás,por mais piada que sejam,cedo ou tarde vão construir um estádio,ainda acho que o governo vai acabar construindo um para a Copa e “vendendo” ao Curintia.Tenho certeza que será para pelo menos 60 mil pessoas.
Não acho que o Palmeiras deve ter estádio menor que qualquer um dos clubes de SP.

Tudo bem,eu entendo que podem haver os estudos de viabilidade e tudo mais,mas considero ter um estádio menor do que times que não são maiores que o nosso uma vergonha.
Vamos ser zuados a vida inteira por bãmbis e gambás dizendo que jogos entre eles e nós mereciam um palco maior?Posso ser exagerado,mas é o que penso.E não gosto da idéia.O Palmeiras tem que ter um campo imponente à altura da sua torcida,do seu tamanho e da sua história.

Aliás,ano passado,fui a Arena Barueri.Achei uma porcaria, parece um campo de society grande.
E quando estiver terminada,a capacidade dela será quase igual à nossa.De arena só tem o nome e as acomodações da imprensa.A torcida continua sendo mau tratada e sem opção alguma de lazer fora o jogo.

Não é com esse tipo de campo que o nosso tem que parecer.

É só minha opinião.

Abraço.

Concordo com o Cunio…

Vale lembrar que hoje o Palestra comporta quase 28 mil, se não me falha a memória, e nossa média de público deve girar em torno de 15 ou 16 mil (não chequei esse número, escrevo apenas com base no que costumo ver por lá)…poucos jogos ultrapassam os 20 mil torcedores…no morumbixa, mesmo nos clássicos, dificilmente se chega a 50 mil torcedores…ah, e tem mais um fator: grana! Os ingressos certamente serão mais caros, o que limita bastante boa parte do público…

Claudio, eu estava em Curitiba no feriado de 9 de julho e fui ver Atlético X Inter na Arena da Baixada…Tirei muitas fotos e vídeos e estou devendo um pequeno “dossiê” ao Vicente, que por falta de tempo ainda não finalizei…

Tenho uma foto dos bancos de reserva de lá, vou enviar agora ao Vicente para ele te encaminhar…o esquema do fosso é mais comum do que se imagina…

Abraços a todos.

Cássio, pelo que me lembro de nossas extensas discussões aqui na época, se o Cláudio me permite, me parece que a Arena acima de 45 mil pessoas começava a se tornar inviável do ponto de vista de rentabilidade. Além do que, acho que um estádio com 42 mil pessoas “entupido”, faz uma pressão enorme, e é isso que os clubes inteligentes fazem. Se não for assim, vira “campo neutro”, que nem o Panetone. Capici?

Claudio,você não acha que a capacidade da nossa nova arena é pouca?
Tudo bem que existem limitações de espaço,não arquiteto,nem engenheiro ou qualquer outra coisa parecida.Mas acho que só 42 mil apequena nossa torcida.Além disso,muitas dessas 42 vagas serão de camarotes e cadeiras diferenciadas.Se formos contar,na verdade vamos ter apenas umas 30 mil vagas de arquibancada.

Acho que seria lindo se tivéssemos pelo menos umas 55 mil pessoas de capacidade na nova arena.
Viabilidades de todos os tipos à parte,acho que isso vai nos apequenar.Meu sonho sempre foi ver o Palestra lotado com 50 mil pessoas querendo engolir os bambis.

Ainda mais em um lugar com tantas opções,a pessoa pode chegar antes,almoçar,dar uma passeada pelas atrações que teremos por lá tipo memorial,lojas ou ir até algum shopping do lado, por que sabe que quando voltar não vai tomar chuva.Isso lotaria nosso estádio em 99% dos jogos.Daria até para vender carnê.

É só a opinião de um leigo.

Abraço

Joselito,
O Belluzzo deu entrevista essa semana dizendo que até o final do ano devemos começar.
Temos que confiar nele.
Abraço.

CLÁUDIO, QUANDO NOSSA ARENA VAI SAIR DO PAPEL? SERÁ QUE O BAMBI DO KASSAB EM CONJUNTO COM O JUJU PINGAIADA NAO ESTÃO OBSTRUINDO A CONSTRUÇÃO. ABRAÇOS PALESTRINOS.

Os comentários estão desativados.