Categorias
Italiano

Após a 4ª rodada, Juve e Sampdoria lideram

POR CARMINE PACIELO 

         *   A  4ª rodada  se  desenvolveu normalmente, com os times grandes (pelo “Status”, entenda-se  Juve, Milan, Roma, Inter) vencedores …  com fadiga,  mas  vencedores,  e também com loucura e barbarização que sempre acompanha o Campeonato Italiano: erros  dos juízes como aquele que, fenomenal, ao não validar um gol legítimo de Di Natale, não somente  impediu ao “bomber” de subir a 7 gols na classificação dos marcadores quanto proibiu a  Udinese de obter  3 pontos contra o Napoli;  um dos porteiros do estádio do Napoli, preso por deter material explosivo no interior do estádio, bombas que deveriam  ser usadas pelos “ultras” durante o mesmo jogo; os habituais insultos racistas  (com magnanimidade  extensivos desta vez  também a  Eto’o) contra o “negro italiano” Balotelli  e as vaias e os cantos grosseiros  dos “ultras” que sujaram  a  curta cerimônia comemorativa  em honra dos  6 soldados do batalhão Folgore (Raio), mortos em Kabul.

         *   Todos os times empenhados na Champions ou na Europa League (a ex-Uefa)  acusaram um certo cansaço, mais mental do que atlético, ao voltar ao torneio nacional: o brilhante Genoa, que venceu por 2 x 0 os tchecos do Slavia, caiu sem misericórdia (3 x 1) frente ao mais modesto Chievo ( que é um bairro da linda Verona, veja aqui : www.tourism.verona.it/ ); uma desgraçada Fiorentina sofreu  contra uma Roma impecável, diferente daquela naufragada contra o Basilea (2 x 0),  enquanto  a Lazio só empata contra o lanterna Catania, repetindo a prova opaca do Olímpico, onde foi derrotado (1 x 2) contra os austríacos do Salisburgo.

         *   No seu 1000° jogo,  a Roma por uma vez voltou a ser “Mágica” ao vencer  uma “presumida” grande, uma Fiorentina quase resignada ao sacrifício, um time que jogou sem alma, onde é evidente a  falta que faz Felipe Melo, que com a sua personalidade comandava o meio-campo tanto na parte defensiva quanto no ataque. Um time fantasma, que simbolicamente o técnico Prandelli fez voltar imediatamente ao gramado, após o término do 1° tempo, para evidenciar que um time que não jogou NADA  não tem necessidade de descansar.
 
         *    A bronca de Ranieri (romano de nascimento) em Roma foi excelente. Depois da brutal derrota na Europa League, Ranieri provocou o time pedindo 11 gladiatores no gramado e o time correspondeu: sobre todos se ergueu Totti, que com 2 gols mais uma assistência  a De Rossi foi sublime, exercitando uma liderança absoluta.  Fundamental, agora, será obter pontos nos próximos  2 jogos fora contra os times sicilianos do Palermo e do Catania.

         *    Depois da vitória na Champions League no estádio Velodrome de Marselha contra o time francês, o Dj Galliani havia prometido fazer ouvir o hino da Champions (evidentemente um som benéfico nas orelhas rossonere) ao time também no Campeonato. Assim foi, e o efeito da musica deu ao Milan outra  vitória. Uma vitória complicada devida à tática do Bologna, que jogava com 8 homens no bunker , mas merecida e, novamente, sem Ronaldinho, que agora é um “caso diplomático”. Sim! Parece evidente que o grupo (apesar das palavras  de estima,  como de costume) recusa o brasileiro. Então, com Seedorf que assegura mais espessura e disciplina tática ao time, não seria uma surpresa para mim se Ronaldinho pedir para sair do Milan na tentativa de convencer Dunga a levá-lo à África do Sul.

         *   Como no jogo da Champions contra o Bordeaux (1 x 1), mais uma vez Buffon foi determinante na  vitória  (2 x 0) contra o fraco Livorno. Ferrara, 6 vitórias em 6 jogos  (4 nas rodadas atuais e 2 no Campeonato passado), no comando da Juventus reclamou muito com o time querendo maior raciocínio e concentração,  evitando assim deixar espaços e iniciativa aos rivais. Todavia o time, invicto, goza nesse instante de glória e de popularidade.

         *    Com a derrota do Genoa, a Sampdoria está no paraíso: em 1°, porque  é líder  (mesmo em coabitação) do Campionato,  deixando  arqui-rival citadino atrás e, além disso, o time faz sonhar os torcedores por jogar um futebol rápido, eficiente  e encantador , arrastado de um craque como FantAntonio Cassano.

         *    O time “nerazzurro” sofreu na linda ilha da Sardegna, mas venceu de virada graças a 2 gols  de Milito contra um  Cagliari que merecia empatar. Mourinho foi muito criticado pela tática adotada no jogo da Champions contra o Barcelona, por sinal a mesma estratégia usada do Chelsea de Hiddinck no ano passado e que “quase” eliminou o Barça (que também  beneficiou-se da cumplicidade do juiz): parar o ataque do Barça e sair no contra-ataque. Então como enfrentar o time mais forte do mundo? Jogar aberto, assim como fez, 3 dias depois na Liga,  o Atlético de Madri, que depois da primeira etapa já perdia 4 x 1? Não creio! Futebol é resultado! Se a Inter jogava para frente, o Barça iria marcar uma goleada, então Mourinho, no 1° jogo do grupo, preferiu  agarrar 1 ponto do que arriscar e sair sem nenhum.

        *    Caiu a primeira cabeça: Gregucci não é mais o técnico da Atalanta; no seu lugar Conte, ex-técnico do Bari, que foi cogitado pela Juventus antes de escolher como técnico Ferrara.

Força Palmeiras !

Abraços, Carmine

3 respostas em “Após a 4ª rodada, Juve e Sampdoria lideram”

Veremos. Só não pode dar Inter de novo, né. 5 seguidos não dá !!

Será, sim, Marcão. Juve não passa muito tempo em branco. Já não é sem tempo.

Muita gente fala que esse ano dá Juve… Será ??

Os comentários estão desativados.