Categorias
Italiano

Campeonato Italiano R3 e a Lanterna Mágica

POR CARMINE PACIELO  

         *   No passado, a última coisa que os imigrantes
 vieram da própria Pátria era o farol de
Genova, que (com Nápoli) era o porto onde partiam  para “las Americas” milhares de navios cheios
de italianos em busca de um destino melhor de aquele que deixavam para trás.

         *    Desta
vez esse símbolo da cidade (no slang genovese lanterna é  farol ) é motivo de muita alegria devido ao
contemporâneo 1° lugar em Campeonato dos dois times da cidade, Genoa e
Sampdoria,  um evento nunca verificado até
agora. 

         *   Com 3 vitórias
em 3 jogos eles detêm o primado em coabitação com a Juventus que sem merecer
venceu  contra uma Lazio que jogou na
emergência  e sem Rocchi &  Zarate, ou seja o ataque titular (considerando
que  Pandev  é ainda afastado). Da apontar a “invenção” do
inexperto juiz que  anulou um legitimo
gol da Lazio no final do 1° tempo e o acidente ao Diego que ainda no 1° tempo
deixou o lugar à “formiga atômica” Giovinco autor de uma linda prestação.

         *   
Uma Sampdoria agressiva e em 10 em consequência da expulsão do meio campo
argentino Tissone, ganhou 1 x 0  contra a
Atalanta com um gol da ex ala do Nápoli, Mannini que recebeu um  “assist” de Cassano, um  jogador 
extra e que  merece ser titular
absoluto em uma Nazionale tao carente de espessura tecnica  mas,  hostilizado por Lippi, suo antigo desafeto e
pouco agradavel a velha guarda, certamente  nao serà selecionado para o proximo Mundial.  

         *    O
jogo entre Genoa e Nápoli foi um lindo “spot” publicitário do campeonato italiano:
um jogo brioso, empolgante,  sobretudo
graças ao Genoa que,  nao obstante a
consistente reformulação manteve a mesma força e personalidade do ano passado
quando jogava com excelentes atletas como Milito e Thiago Motta que, por
sinal,  muitos esperam ver no meio campo
da Itália apesar da resistencia de Lippi (sempre ele, serà que Thiago Motta é penalizado
por jogar na Inter e nao no seu time de coração, a Juve,  como Amauri, que nao tem uma gota de sangue italiano
mas serà a camisa 9 da Azzurra?). Voltando ao match é preciso elogiar os 2
times que jogaram aberto  e com muita
intensidade: no Genoa, com Crespo que realizou o seu 140° gol na Itália,  o destaque do jogo foi  o lateral Mesto que tambem marcou  um lindo gol. Jà o Nápoli nao conseguiu
aproveitar  da vantagem (Hamsick) e de
estar em superioridade numerica pela expulsão do lateral genoano Criscito.
Um  time  sem temperamento que praticamente desapareceu
no 2° tempo permetindo a goleada do Genoa.
A parcial desculpa o penalty “fantasma” com a expulsão do zagueiro
Campagnaro  que o juiz deu de presente ao
Genoa  para compensar  o precedente 
cartão vermelho, no final do 1° tempo e o feito de jogar sem  os sul-americanos Zunica, Lavezzi e Gargano
(apesar que  o argentino e o uruguaio jogaram
boa parte do 2° tempo)  por  não ter 
uma  apropriada condição atlética depois 
do  voo intercontinental voltando
das respectivas  Seleções.

3 pontos após
3 rodadas:  muito pouco pelo apaixonado
povo napolitano e sobretudo depois  50
ml. de €uro  de investimento e a pretensão
de chegar na Top 4 em Itália.

O elenco é limitado apesar da presença de bons
jogadores como Hamsick (considero ele um craque e destinado a jogar em um clube
d’elite), Quagliarella, Lavezzi, Maggio, Campagnaro,  mas ainda da aperfeiçoar: falta um
lateral/ala esquerdo (grave erro foi não fechar o negocio com Dossena  do Liverpool) e um meio-campista potente
(outro erro nao compensar a saida de Blasi com Dzemaili que o Torino ofereceu
ao Nápoli mas que em fim parou no Parma).   

         *    Milito’o! 2 gols de Eto’o e de Milito dao a
vitória a Inter em um jogo lento e de poucas emoçoes  onde o Parma se defendeu  em 9 deixando no ataque só os interessantes jovens
Paloschi e Biabany (ex juvenil da Inter; o passe desse jogador  é ainda ao 50% da Inter).
A supremacia territorial foi sempre dos nerazzurri mas a entrada de
Balotelli no 2° tempo foi decisiva: ele perforou a defesa do Parma e procurou os
gols.  
Agora é tempo de Champions com  Ibra
que volta a Milão pela 1^ vez como adversário no todo poderoso Barça.

         *    Em Siena, linda cidade da Toscana famosa
pelo “Palio delle Contrade” (
www.ilpalio.org ) com muita sorte a Roma conquistou os
primeiros pontos, de virada, graças a Riise, o lateral goleador que em esse mes
fez 5 gols (2 com a Roma e 3 com a Noruega). Ranieri escalou o time na base do
velho módulo de Spalletti, o 4/2/3/1, mas sem a potencia do original pois
escalou um zagueiro (Burdisso) na lateral esquerda e um volante (Pizzarro) como
ponta de lança tendo Totti  como único
atacante.  Humilde, corrigiu os erros no
2° tempo inserindo Vucinic e Riise, iniciativa que mudou o jogo a favor da
Roma  deixando  a lanterna do campeonato ao Catania e a  Atalanta, ainda a 0 pontos.

         *    Iniciei essa coluna com Genova e vou  terminar falando de Genova. O amigo Emerson que conduz a seção sobre o
futebol argentino lembrou, na apresentação dos times argentinos,  que  o
Boca jr. foi criado por italianos.
Verdade. Mais precisamente a proveniência desses italianos
era Genova donde o termo “xeneises” com quem são ainda conhecidos os torcedores
do CABJ, ou seja  “ genovesi” na deformação
da palavra  em espanhol.

 Um abraço, Carmine.

4 respostas em “Campeonato Italiano R3 e a Lanterna Mágica”

Roma? O clube è afogado em dividas atè ao pescoçO: sacrificou Aquilani (Liverpool) X sobraviver . Com a familia Sensi dono do clube isto è o futuro enquanto a fanatica torcida quere uma nova propriedade com tao dinheiro para sanar as dividas e tambem fortalecer o elenco. Em pratica quere um sujeito como o sheik do Manchester City: uma fabula!

Sim Marco, Leonardo fica! E’ uma aposta da diretoria rossonera (que quere repetir a gestao-Capello, que, passou da diretor a tecnico com successo e agora è o tecnico da England, proxima a ganhar o titulo mundial) e sò sairà se fazer erros incriveis. Por sinal acho que o time vai melhorar pouco a pouco, è matematico pois è impossivel continuar a jogar assim feio. Enquanto ao dentuço corre o risco , atè ele nao fazer uma apropriada vida da atleta, de nao jogar. Leonardo o afastou no jogo de Champion, o time venceu e o seu reserva, Seedorf, jogou bastante bem. Ele è a grande delusao de Berlusconi & cia que apostavam em ele no 1° ano post-Kakà.

Será que o Leonardo fica no Milan ?!?! E o Ronaldinho Gaucho, vai recuperar ou nada ?!?! E a Roma… q pena q nao vai bem !!

Para variar, Juve começa disparando. Sampdoria e Genoa são os cavalos paraguaios da Itália. É nóis!

Os comentários estão desativados.