Categorias
Notícias

Chovendo no molhado

POR
EMERSON PREBIANCHI  

Não há duvidas
de que vamos chover no molhado, mas é nossa obrigação por aqui cobrar atitudes
dignas do imparcial tribunal desportivo brasileiro. A nova onda refere-se à
punição imposta à Portuguesa de Desportos pela invasão de conselheiros (armados
ou não) ao vestiário depois de uma derrota e a total falta de noticias /
denúncia / punição ao time do SPFC que da mesma forma não promoveu a devida
segurança em seu estádio.

Para que o
amigo do 3VV entenda, a Lusa teve seu estádio preventivamente interditado por
“DEIXAR DE TOMAR PROVIDENCIAS CAPAZES DE PREVENIR E REPRIMIR DESORDENS EM SUA
PRAÇA DE DESPORTO” conforme preceitua o ARTIGO 213 DO CBJD, que prevê como pena
a perda de até 20 mandos de jogo além de multa, assim como por “DEIXAR DE
MANTER O LOCAL QUE TENHA INDICADO PARA REALIZAÇÃO DO EVENTO COM INFRA-ESTRUTURA
NECESSÁRIA A ASSEGURAR PLENA GARANTIA E SEGURANÇA PARA SUA REALIZAÇÃO” conforme
preceitua o ARTIGO 211 DO CBJD, que prevê multa e interdição do local.

Até aí nenhuma
novidade, pois também já sentimos o “rigor” do tribunal que nos impôs pena de
interdição do estádio pelo ainda mal explicado episódio do gás nos vestiários
da equipe visitante no Palestra Itália. E neste caso da Lusa sou obrigado a
concordar com a medida do tribunal para prevenir maiores danos já que da
entrada armado no vestiário para um crime, dadas as circunstancias emocionais
que envolvem um jogo de futebol, é um pulo, ou melhor, um disparo.

Em relação à
equipe tricolor, foi noticiado no portal UOL, com a inclusão de imagens
(http://esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/brasileiro/serie-a/ultimas-noticias/2009/09/01/ult5895u8541.jhtm)
que uma ÁREA RESTRITA AO PÚBLICO E SEM QUALQUER INFRA-ESTRUTURA PARA RECEBER
TORCEDORES FOI INVADIDA POR TORCEDORES DURANTE A PARTIDA ENTRE SPFC E PALMEIRAS.

A área em
questão está passando por uma reforma para tentar adequar o estádio às
determinações da FIFA, e lá encontram-se inúmeros materiais de construção –
como tijolos e blocos – que podem ser utilizados como armas em caso de
confronto de torcedores ou ainda arremessados no campo podendo causar
ferimentos em atletas em demais envolvidos no espetáculo desportivo.

Não bastasse a
simples invasão de área restrita ao público que por si só já bastaria para uma
denúncia uma vez que medidas preventivas como determina a Lei não foram
cumpridas, nem tampouco medidas para remediar o inconteste descumprimento da
Lei foram tomadas, já que do que consta do artigo, os seguranças do clube
“durante a primeira etapa ainda tentaram retirar os torcedores”, mas devido ao
grande número, desistiram da empreitada.

Pior ainda foi
a justificativa do dirigente Marco Aurélio Cunha que indagado sobre o assunto,
segundo a matéria, respondeu: “Não sabíamos que isso estava acontecendo. Está
errado e vamos cuidar para que não aconteça novamente. Mas também É PRECISO QUE
SE DIGA QUE AS PESSOAS QUE FICARAM ALI DURANTE O JOGO NÃO SÃO TORCEDORES
COMUNS. MUITOS DEVEM SER ATÉ SÓCIOS QUE PASSARAM PELO LOCAL E ACABARAM FICANDO
POR ALI”, como se a melhor condição social ou a condição de sócio do clube
daqueles que infringem a Lei os exima de responsabilidade ou amenize a
aplicação punitiva da Lei.

É de
conhecimento geral que conselheiros do SPFC fazem parte da procuradoria
desportiva paulista, motivo pelo qual a maioria das infrações da equipe sequer
tenha denúncia, mas nesse caso a infração é grave e esperamos que os
procuradores do STJD atuem de modo a denunciar o ilícito para que o tribunal possa
aplicar a punição prevista. Contudo, se necessário seria interessante a
diretoria alviverde atuar de forma a pressionar pela denúncia já que a infração
se deu em partida em que estava envolvida a SE Palmeiras.

Será que
alguma coisa vai acontecer??

***

Outra
interessante dessa semana vem da Europa, onde pelo visto nossos tribunais
desportivos estão fazendo escola.

O jogador
brasileiro Eduardo da Silva, atleta do Arsenal da Inglaterra, foi suspenso por
duas partidas pela UEFA por ter simulado uma falta que induziu a arbitragem ao
erro em marcação de penalidade máxima que resultou em gol.

Já pensou se a
moda pega?

Saudações
alviverdes!

14 respostas em “Chovendo no molhado”

Qto a uma eventual denúncia contra a escória leonor, a diretoria do Palmeiras não fará nada à respeito pelo simples fato de ser omissa e covarde nos bastidores. E qto ao jogador que foi suspenso por simular uma falta, e diria que estão querendo transformar o futebol num espetáculo de balé. Tanto dentro qto fora do campo. É aquela velha história, “pra um bom entendedor, meia palavra basta.”

Esses descalabros acontecem e vão existir sempre a favor do SPFC. Enquanto não houver uma profissionalização dos meios do futebol, com arbitragens e tribunais imparciais, continuaremos a testemunhar estas coisas. Como eu disse, depois aqueles tijolos matam alguém, vão dizer que a culpa é de quem os colocou lá, não de quem evitou a entrada de torcedores. Tenham certeza que isto no Palestra Itália já teria dado multa, perda de mando, prisão do Belluzzo, entre coutras coisas.

Pois é, tem coisas no futebol que não mudam nunca. Quanta sujeira! Muito triste isso. Teria vergonha de torcer para os bambis.

– Nao confio nesse Stjd !! Nada mesmo!!
– o Eduardo ser punido foi um Absurdo !! !

Se o MAC tivesse ficado calado, as coisas seriam melhores pra ele…dizer que as pessoas que ocupavam aquele lugar eram sócios, e não era ‘qualquer um’ foi a pior besteira que ele poderia dizer.
É responsabilidade do clube interditar aquela área e supervisiona-la. É esse estádio que a FIFA quer pra abertura da Copa? Acho que essa é mais uma questão, das muitas, pra impedirem o Panetone de abrir a Copa.

Complementando, realmente há tempos deixei de me preocupar com as deslealdades no futebol. Gostemos ou não, é da própria cultura bambi o sentido que que eles são o clube oficial do Estado, acima do bem e do mal. E, nada foi feito pelos “co-irmãos” para mudar a situação. Mas, aos incomodados, recomendo uma análise mais aprofundada do estatuto do torcedor. Acho que algo pode ser feito por essa via. Pode demorar, mas uma hora tem que começar.

Indignados, nós Palmeirenses perguntamos:

CADÊ AQUELE PROCURADOR DO STJD QUE ADORA O DIEGO SOUZA????????????
VAMO TRABALHAR SEU VAGABUNDO!!!!!!!!!!!!!!!!!!

O título já diz tudo: “Chover no molhado”. Dois pesos / duas medidas.

nossa depois de ver o video q tem na reportagem ate voltei aki…

pelo video parece q se eles quisessem invadir o gramado fariam isso com extrema facilidade

como sempre respostas dos bambis para maquiar as coisas erradas delAs…

como pode um tribunal ter a grande maioria de torcedores bambis…

assim fica facil acusar os outros…

lembra na epoca do caso do gaz ?? o anao foi a todos os jornais reclamar…

e a diretoria do palmeiras nao vai fazer nada??

eram os torcedores do Palmeiras q sofriam risco… e se um sem noção Bambi resolve atirar algo la pra cima??

É UMA VERGONHA EMERSON, ADEMAIS NOUTRO DIA O PRESIDENTE DELAS JUJU PINGAIADA DEU UMA ENTREVISTA NA RÁDIO DELAS (JOVEM PAN), DIZENDO QUE NÃO VIA MAL NENHUM EM PEGAR DINHEIRO “EMPRESTAD” DO BNDES. É UMA VERGONHA, DINHEIRO PÚBLICO PARA BANCÁ-LAS NOVAMENTE. OLHO NELAS.

E se o jogador do Arsenal foi suspenso por simular um penalti, que punição deveria receber o Bosco pelo caso da pilha? Na época ele pegou UM jogo.

É assim, os bambis vêm no Palestra, simulam que uma pilha foi atirada no chifre de uma delas, jogam gás de pimenta no vestiário e nada acontece. Ou melhor, quem é punido é o Palmeiras, apesar do laudo da polícia ter comprovado que o gás foi jogado por alguém que estava dentro do vestiário.
Agora, esperar uma pressão da diretoria do Palmeiras exigindo punição por essa irresponabilidade que aconteceu no morumbicha, é melhor esperar sentado. Ou melhor nem esperar, vai passar batido como sempre.

Os comentários estão desativados.