Categorias
Direto da Fonte

Souza elogia convocação de palmeirenses e nega comparação com Pierre

Agência Palmeiras
Fábio Finelli

 
As perguntas sobre a convocação de Diego Souza e Cleiton Xavier para
a seleção brasileira foi o principal assunto na Academia de Futebol
durante a tarde desta terça-feira (08). Uma das promessas do atual
elenco palmeirense, o volante Souza comemorou a ida de seus
companheiros para vestir a camisa amarelinha, mas deixou claro que
ainda falta muito para ele atingir esse objetivo.

“Fiquei muito feliz. É legal a gente ver os nossos companheiros
defendendo a seleção e isso nos motiva, pois dá para ver que o Dunga
está de olho em quem joga no Brasil”, disse. “É claro que eu penso
em seleção, mas acho que ainda não é o momento, preciso aprender
muito mais”, completou o volante, ciente de que sua chance pode
chegar após a Copa do Mundo de 2010.

“Eu acho que para chegar à seleção, é preciso primeiro viver um
grande momento no Palmeiras. Eu ainda estou me firmando na equipe,
sequer titular absoluto eu sou ainda. É verdade que outros atletas
jovens e promessas já chegaram à seleção com o Dunga, mas vou
esperar. Acho que depois da Copa da África, dependendo de como eu
estiver, posso alimentar esse sonho. Mas vamos calma, pois quero
primeiro me firmar no Palmeiras”, explicou o atleta.

Substituto de Pierre – Souza foi perguntado sobre a função de
substituir Pierre e afirmou que poucos podem substituir o camisa 5 à
altura. Mesmo assim, disse que pretende dar conta do recado na
ausência do ídolo palmeirense.

“O Pierre é um cara quase insubstituível. Ele é um dos melhores de
sua posição no país. Eu tenho as minhas características e sei que
posso corresponder jogando na função dele. O time vai se ajeitar.
Temos tempo para treinar e, com isso, vamos procurar entrosar a
marcação e o posicionamento.”

2 respostas em “Souza elogia convocação de palmeirenses e nega comparação com Pierre”

é isto ai Souza humildade é a escada para o sucesso, continue assim que vc vai longe.

Na posição do Souza a confiança do treinador prevalece até mesmo sobre a melhor técnica. Prova disso é o Magrão. Um dos melhores segundo volante do Brasil e nunca teve chance. Lembrem-se que em 2018 ele estará com 29 anos, ou seja, no ponto para a seleção.

Os comentários estão desativados.