Categorias
Direto da Fonte

Diego Souza agradece chance na seleção e agora concentra forças no Verdão

Agência Palmeiras
Fábio Finelli

Apesar de ter atuado por apenas 45 minutos em dois jogos em que
serviu a seleção brasileira nas Eliminatórias da Copa, o meia Diego
Souza agradeceu a oportunidade e enalteceu o bom ambiente vivido por
ele junto ao grupo nos 10 dias em que ele serviu o time dirigido
pelo técnico Dunga.

“Sinceramente, fiquei muito feliz de ter sido lembrado pelo Dunga
para esses dois jogos [contra Bolívia e Venezuela]. Isso é o
reconhecimento do meu trabalho no Palmeiras. Apesar de ter atuado
pouco, foi importantíssimo estar aqui. O ambiente é realmente
maravilhoso e só aprendi coisas boas nesses dias que passei na
seleção”, comentou.

Apesar da consciência de não ter feito um bom primeiro tempo contra
a Bolívia, em La Paz, Diego Souza admitiu que aguardava uma chance
no duelo desta quarta-feira, diante da Venezuela, para poder mostrar
um pouco mais do seu valor.

“Sei que não fui tão bem como deveria contra a Bolívia. Realmente a
altitude atrapalhou, faltou um pouco de fôlego. Mas isso não
aconteceu só comigo e eu esperava por uma chance contra a Venezuela,
pois aqui tinha mais condições de apresentar meu verdadeiro futebol.
Mas estou tranquilo, já que o Dunga optou por uma outra postura
tática e também foi prejudicado com a expulsão na segunda etapa”,
analisou.

De volta ao Palmeiras, aonde vai se apresentar para o treino da
tarde desta quinta-feira, o camisa 7 deixou claro todo o seu desejo
de ajudar a equipe e demonstrou motivação total para brigar pelo
título do Campeonato Brasileiro.

“Quero voltar para o ‘meu’ Palmeiras e fazer o possível e o
impossível para brigar por este título. Sei das dificuldades, mas
conseguimos manter uma vantagem importante e agora quero retornar
com ainda mais vontade para ajudar meus companheiros”, disse o meio-
campista, esperançoso em retornar à seleção e brigar por uma das
vagas à Copa do Mundo.

“Se eu continuar produzindo e fazendo boas atuações pelo Palmeiras,
tenho certeza que o Dunga e a comissão técnica permanecerão de olho.
No Brasil, dispomos de excelentes atletas para uma mesma posição,
mas estou mantendo a mesma esperança de quando fui chamado pela
primeira vez.”

O craque do Brasileirão e do Palmeiras na temporada também
aproveitou para agradecer os torcedores que compareceram ao estádio
Morenão, em Campo Grande, e gritaram seu nome durante o empate em
0x0 contra a Venezuela.

“Fiquei até emocionado quando ouvi o estádio gritando meu nome.
Quero agradecer os torcedores pelo carinho. Dei muitos autógrafos
nesse período em Campo Grande, ainda mais para os palmeirenses, que
eram muitos aonde nós estávamos. E mais do que isso, enaltecer a
torcida por ter aplaudido a seleção mesmo com o empate. Isso dá
força para todos que estão nessa caminhada”, destacou.

______________________________

________________