Categorias
Drops

DROPS 26/10/09: sobre a matéria da Placar

DA REDAÇÃO DO 3VV

SOBRE A MATÉRIA DA PLACAR

A revista que já foi sinônimo de esporte no Brasil está colocando sua última pá de cal na própria cabeça.

Em uma matéria tendenciosa e do tipo “matou a mãe e foi ao cinema” a matéria faz sua chamada com duras críticas sobre a SE Palmeiras.

AS CRÍTICAS

Dentre outras:

  • Clube gastou em 8 meses R$ 5 milhões a mais do que recebeu;
  • Love foi contratado com dinheiro que ainda não chegou;
  • Traffic já emprestou mais de R$ 10 milhões;
  • Pierre foi comprado duas vezes.

GASTOU R$ 5 MILHÕES A MAIS

Aqui a questão não é se gastou a mais ou a menos. Quem acompanha a coluna de Luis Fernando Tredinnick no 3VV – Futebol com Números – já aprendeu que o futebol é um negócio de baixas margens para os clubes. Esses clubes são obrigados a ter alto custo de “pessoal” (leiam, elenco) e disputam campeonatos que precisam pagar esse custo e, quem sabe gerar um superávit. Entretanto o que os clubes recebem – cota da tv do clube dos 13, patrocínio, bilheteria – não pagam a conta.

O problema não é o Palmeiras: é estrutural no futebol brasileiro. Nenhum clube – vou repetir o que o Tredinnick cansou de dizer aqui – NENHUM clube grande brasileiro gera superávit sem vender jogadores. Gostem ou não disso, essa é a realidade atual.

Os jornalistas da Placar não parecem entender isso. Se entendem, então foram mal intencionados, pois não levantaram essa tese na matéria.

VERBAS DE MARKETING

O Palmeiras mais que triplicou as verbas de patrocínio nos últimos três anos. Na camisa saiu Pirelli, veio Fiat e depois Samsung. A Adidas se manteve e triplicou o investimento na camisa do clube.

Esse ano de 2009 o Palmeiras terá crescimento de 3x de seu faturamento de produtos licenciados. A loja oficial da internet deverá gerar mais de R$ 1 milhão de faturamento para o clube (ano passado não havia essa linha de receita e o site gerava prejuízo).

Essas verbas de marketing, associadas às receitas de patrocínio e de bilheteria, deverão no médio prazo cobrir a despesa do futebol. E logo chegaremos ao ponto dos clubes europeus: não vender jogador para cobrir rombo de caixa.

Hoje, no Brasil, repito, só se faz isso. Vende-se jogador para pagar custeio. É a venda do almoço para garantir o jantar. Seria o mesmo que exportar o Mickey Mouse na Disneylandia.

Mas isso os jornalistas que cobriram a matéria não viram.

LOVE VEIO COM QUAL DINHEIRO?

Parece que ensinam na escola de jornalismo que para se vender é necessário ser superlativo. Há sempre um grande problema em algum tema.

No jornalismo esportivo não é diferente. A matéria afirmava que Love viria com um dinheiro de patrocínio não realizado (o tal patrocínio da Unimed).

Beira a imbecilidade… sigam o seguinte exemplo. Uma empresa prestadora de serviços precisa reforçar seu quadro de pessoal com um executivo. Ela tem um planejamento de receitas, algumas não asseguradas. E esse planejamento será mais factível se o executivo for contratado.

O que ela faz? Espera gerar a receita – mesmo com o risco de não realizá-la pela falta do tal executivo – ou contrata o sujeito apostando no seu sucesso?

A vinda de Love foi assim. Apostou-se em reforçar o ataque palmeirense, e esperava-se a realização de receitas. Não de apenas uma, a do calção. De várias. Há o sócio-torcedor, que será lançado no início de novembro. Há um amplo projeto de licenciamentos. Há discussões com patrocinadores para venda de outras propriedades diferentes da marca na camisa ou no calção.

Mas os jornalistas da matéria citada não entendem a dinâmica da gestão de um negócio desse tipo.

E O PIERRE?

Pierre foi adquirido. Depois o jogador teve parte de seus direitos federativos negociados com o parceiro. Para evitar a perda do jogador o Palmeiras recomprou a parcela que havia negociado.

Qual parte os jornalistas não entenderam dessa transação?

E A TRAFFIC?

O modelo de relacionamento Palmeiras e Traffic apresenta oportunidades de melhoria. Como em tudo na vida. Entretanto isso não quer dizer que o modelo seja ruim para alguma das partes, principalmente falando aqui do Palmeiras.

O que a matéria também não quis explorar é que o modelo Traffic começa a permear vários clubes brasileiros. E a própria Traffic passa a trabalhar com outros times.

E se o Palmeiras não tem mais jogadores “próprios” no elenco é muito mais por problemas nas suas categorias de base – essa sim uma área que precisa melhorar muito no Palmeiras – do que a relação com a Traffic.

CONCLUSÃO

Conclusão? não sabemos se há, mas vale a pena um comentário. O futebol não é uma ciência exata. Você investe, o time disputa títulos, às vezes perde, às vezes ganha. Não sabemos se o Palmeiras será campeão de 2009 mas com toda certeza com a manutenção dessa mentalidade o Palmeiras será campeão em algum momento (2010, 2011).

Essa mentalidade foi resgatada no Palmeiras. Começou com Affonso Della Monica e passa atualmente com o Presidente Belluzzo.

Há várias coisas para mudar e melhorar na atual gestão? Váaaaaaarias… nós poderíamos aqui passar horas falando sobre elas.

Mas nenhuma dessas necessidades de mudança foi relatada na matéria da Placar. Ou seja, aquilo é uma perda de tempo enorme para quem é palmeirense e para quem gosta de temas inteligentes sobre o futebol.

Mas se mesmo assim você quiser ler, baixe o aquivo clicando no link aí embaixo.

Saudações Alviverdes!

53 respostas em “DROPS 26/10/09: sobre a matéria da Placar”

Vicente, aproveitando o gancho, em breve vou te ligar pra gente se encontrar pelo bairro e te apresentar uma proposta (“novidade no que se refere ao jornalismo esportivo”).

Abraços.

Concordo com o Fabiano,o Palmeiras deveria se candidatar a este financiamento.

Amigos, atrasei completamente o drops. Excesso de trabalho.

Já está em produção. Abraços,

vicente

Alvaro (#46) também acabo de ler o fato. Já que é pra ficar gastando o meu dinheiro com estadio da copa e a minha empresa ter que pagar 40% de juros ao ano (porque pra mim, o BNDES disse NÃO e eu tinha de onde tirar o dinheiro), estão que o Palmeiras / WTorre se candidatem a estádio sede. Oras, se o dinheiro é meu, eu quero investir onde eu quero, ou seja, na ARENA!!!

É muito triste e lamentável isso. Sinceramente, estou muito feliz com o momento de organização pelo qual o Palmeiras vem passando na última gestão e na atual. Muito feliz. Algo muito diferente do que vemos no Brasil e nunca visto antes no Palmeiras. Esse com trabalho precisa continuar, ser valorizado, pois deveria ser um caminho a ser seguido por todos os clubes. Claro, tem defeitos, mas o profissionalismo que essa gestão vem passando é inegável. Uma vergonha parte da imprensa. Muricy tem razão em não ter paciência com isso ai..abcs

Estou com o Cunio, me recuso a ler essa reportagem. Esses estagiários do Lance já mostraram ser da pior espécie. E não me admira falaram tantas imbecilidades como essas.

Só tem o meu desprezo.

Nao sei se voces viram, mas a mamata foi finalmente decretada…

http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2009/10/27/ult59u202431.jhtm

A linha do BNDES eh de 400mm. A TJLP esta a 6% ao ano. Com esses juros absurdamente baixos (7.9%), o gasto anual com juros e amortizacao seria de 33 milhoes assumindo que elas tomem 250 milhoes por exemplo. Isso eh absolutamente fora da realidade delas, elas nao tem absolutamente nenhuma condicao de arcar com isso. Elas teriam que arrecadar quase 3 milhoes LIQUIDOS por mes apenas para pagar essa divida, por 12 anos. Isso eh um absurdo e me embrulha o estomago.

Aliás, falando em Muricy, gostei de suas palavras para a imprensa bambi-gambá sobre nossa situação: “Antes fosse crise extra-campo. Já teríamos resolvido.”. Espero que não seja mesmo, ao contrário do que falamos na Corneta de sexta.

Continuo me recusando sequer a abrir tal reportagem. Esta Revista marrom é um veículo pernicioso, tendencioso, maldoso e me dá nojo há décadas. Uma pena, pois chegou a prestar um dia. Não percam seu tempo nem ataquem seus estômagos lendo reportagens que visam unicamente denegrir e causar crise no Palmeiras. E por que será que fazem isso? Alguém imagina quem as escreve? Eu que não sou.

edison #38 – e acrescente a tv Band nessa lista, domingo quase vomitei e desliguei a tv, ja estao dando o SPFW como campeao de novo…
A imprensa em geral é gamba e bambi, tirando poucos que sao isentos, os demais sao paus mandados dos clubes…
Mas contra tudo e contra todos seremos campeoes se Deus quiser

Que bom Raul.Espero que não seja mesmo.Seria bem triste.

Concordo com o Alvaro(39) o maior trabalho que o Presidente pode deixar para o Palmeiras é uma forma de termos nas próximas eleições isenção.Sem aquele monte de vitalício com carteirinha dada pelo Musgambá.

Se o NEFASTO voltar ao comando do Palmeiras eu prefiro que o Palmeiras vá à “falência”, e se torne desinteressante para aquela raça de safados.
Aliás seria a melhor coisa do mundo que o futebol se torne completamente independente do clube.

Os comentários estão desativados.