Categorias
Italiano

E agora? E a rodada do campeonato italiano

POR CARMINE PACIELLO

* Na coluna anterior fui
criticado (com amabilidade) pelo 3VVista Breno ao afirmar que um time que
pretende licenciar-se campeão não pode absolutamente perder, mesmo desfalcado
de 5/6 titulares, contra um time tão fraco como o Náutico. É verdade que, com
os nervos a flor de pele pela derrota (=eufemismo, o termo correto é “incazzato
come una bestia”; serve tradução?) o meu comento foi bastante duro, mas não creio
que cornetei, não, simplesmente afirmei uma evidência. Então vocês acham que um
time com o “Instinct killer”, jogando duas vezes em casa contra Avaí e Flamengo
e fora contra o Náutico, havia transcurado a ocasião de implementar a vantagem
sobre os adversários diretos? Não! Um time com a cara de campeão em esse ponto
da campanha teria o título já no bolso e, com dez/onze pontos a mais, administrava
tranqüilamente a “pratica” até o fim do campeonato.  Agora, depois da proeza de ser derrotado do “Real”
Náutico (que no jogo sucessivo tomou as três peras, assim como havia previsto)
e depois da anêmica prova do Verdão no dia da beatificação do vovô Petkovic que
na Itália seria o destaque só nos jogos entre casados e solteiros, ao ver esse
time acéfalo, incapaz de criar, sem conexão meio-campo / ataque e com uma
defesa que, ainda (problema antigo que a nova gestão prometia de resolver
prontamente) toma gols bobos e/ou com a bola parada, enfim um time que joga sem
garra, também o pequeno Santo André me deixa um instante preocupado.  

* Mesmo assim sou otimista: não creio
que assistiremos a outros fracassos, o navio não afundará, inverterá a rota
e entrará no porto. Confio no Palmeiras, confio no Presidente Belluzzo e no Sr.
Cipullo que, com certeza, nessas horas frenéticas, ofereceram a própria contribuição
a harmonizar o ambiente, a trazer ordem, a incentivar os jogadores; creio na reação
de orgulho e na experiência do técnico, confio no seu pragmatismo e no seu desejo
de ganhar o Brasileirão ao comando do Palmeiras, um título que sem dúvida terá
por ele um “sabor especial”. 

* Inverto a rota eu também e volto ao
campeonato italiano representando a 8^ rodada onde assistimos na estréia
vitoriosa de Mazzarri com o Napoli que, de virada, ganhou contra o Bologna (2 x
1 = Adailton, Quagliarella, Maggio aos 90°). O técnico evitou revoluções
escalando o time sempre com o 3/5/2 (desviando Datolo no meio campo e metendo um
defensor na lateral esquerda, uma posição pouco conforme ao argentino), mas pedindo
sobre tudo o máximo empenho, até o fim. Assim foi. Os jogadores lutaram como
nunca haviam feito, incluído Lavezzi que foi multado porque chegou da Argentina
apenas 24 h. antes do jogo (justificou o atraso com a perda do passaporte, uma mentira
que, claramente, ninguém acreditou). Importantes as próximas três rodadas
(Fiorentina e Juve, fora, Milan em casa) que nos dirão se o Napoli pode chegar
ao top, como pretende o seu presidente, ou vai ficar no limbo dos cactos.       

* Aproveitando do empate da Juventus
uma Inter cruel massacrou o Genoa (5 x 0) e se isolou na liderança do
campeonato. Sem Eto’o e os ex genoani Thiago Motta e Milito, Mourinho escalou o
time com um inédito 4/3/2/1: os quatro titulares da linha de defesa que
recebiam a cobertura de Cambiasso mais Zanetti e Muntari ao lado para bloquear
as alas do Genoa, ou seja, o ponto forte do brilhante time de Gasperini; enfim
Stankovic (que marcou um gol do meio-campo) e Sneijder com a tarefa de criar e
de suporte ao único atacante, Balotelli, autor de uma prestação excelente.

* Uma Fiorentina vivaz, tecnicamente superior a Juve
e em constante melhoramento empata a Turim contra uma Juve em flexão. Ferrara
optou por um meio campo  “muscular”  mas de pouco cérebro repetindo ainda o erro
de  por o Diego em uma posição demasiado atrasada
com a conseqüência de “banalizar” o jogador que,e a meu ver, mais avançado e
coadjuvado da jogadores mais técnicos de Poulsen e Sissoko, pode ser o homem
que faz a diferença.

 * Observei também que o casal Iaquinta
& Amauri vai divorciar-se muito cedo, eles não se completam, não existe
acordo entre eles. A recuperação próxima de Del Piero pode ser a arma vencedora
de Ferrara que agora (junto com o Leonardo) não é mais o êmulo de Guardiola.

* O Milan voltou a vencer. Em tempo!
Conselho aos torcedores “rossoneri” de ficar tranqüilos, de fugir da uma fácil
quanto inoportuna exaltação. O time continua péssimo, em eterno estado
confusional, longe de ser uma equipe compacta. Na verdade a vitoria foi um
presente da Roma que estava sem Capitan Totti, infortunado. Mesmo assim o time
de Ranieri jogou bem, o 1° tempo em particular, onde teve o completo controle
do campo, mas não conseguiu dar o golpe do K.O. definitivo, seja graças a duas
defesas importantes de Dida (que voltava ao gol porque o titular Storari estava
machucado) que por um pênalti não concedido do juiz a Roma com o placar já a
favor dos “giallorossi”.  Na 2^ etapa os
romanistas concederam mais espaços ao Milan que entrou mais motivado e, com
sorte ímpeto graças a um pênalti marcado por Ronaldinho (prestação razoável do
dentuço) e um gol de Pato sobre um lançamento do mesmo Ronaldinho, o gol da virada
que deu 3 pontos de oxigeno ao Milan, mas, sobretudo moral e entusiasmo na véspera
do importante jogo de Champion League contra o Real do sempre amado e saudoso Kaká.

Ciao, Carmine.

Forza Verdão.  

 

11 respostas em “E agora? E a rodada do campeonato italiano”

Carmine, desculpe a demora na resposta…

Então, eu concordo com a entrada do Sandro Silva. Vou além: nosso problema é, basicamente, no meio de campo. Não há marcação suficiente e isso expõe a nossa defesa e também não há força ofensiva suficiente, o que prejudica o nosso ataque.

Mas quer saber de uma coisa, Carmine? O Sandro Silva com o Muricy foi pouco aproveitado, acho que o treinador não foi muito com o futebol do nosso volante!

Abraços!

Claro que temos que apoiar e torcer, mas tá dificil…

efectivamente è pior!

voce, Alberto, conhece realmente a historia da Juve? acho que nao!

Carmine,

Não acho que o Sandro Silva seja a solução mas, em vista as péssimas atuações do Souza e do Edmilson creio que valeria a pena testar o jogador.
Mas, será que vale a pena testá-lo em uma situação tão conturbada? Jogar o cara na fogueira? Não sei, às vezes na pressão o cara rende.
Mas no desânimo que eu estou, só ano que vem. A não ser que o time me surpreenda de novo. Broxei total com o time.

Ao Edu, ao Joselito, ao Marco, ao Breno, a todos os “fratelli di fede” que leiam esses linhas: Help!
Nos jogos que viu na telinha com ele escalado , se deu sempre bem. Entao Xque agora ele nao joga mais? De quem falo? De Sandro Silva. Estou errando? Voces nao acham que, neste momento assim delicado, sem Pierre, com Edmilson em dificultade e com o jovem “ferrugem” Souza que è bom mas nao como 2° volante, ele poderia tornar-se util à causa? Quero entender, espero a resposta de voces. Carmine.

AH! NO! Assim nao Breno! Coragem: nao entregamos (quase conseguiram) o titulo mais ganho da historia. Um pouco de entusiasmo. Por isso digo 100% Palmeiras campeao. Porque? Simples: as cagadas acabaram! Como escrevei 1) Muricy vai corregir os erros; 2) com certeza a diretoria e sobre tudo o presidente Belluzzo, com a diplomacia e a inteligencia que o diferencia das outras cartolas, vao intervenir x “tratar” o time no lado emocional ; 3) por fim se os jogadores tens um bocado de dignidade (nao digo amor na camisa, excepto Marcos e, creio, os jovens da base Souza, Deola, Daniel, Mauricio, Bruno e, talvez Danilo , seria pretender de mais) nos proximos jogos o espectaculo serà diferente.
O titulo serà nosso com 69 pontos, apostamos?

Carmine,

Serei obrigado a concordar com voce. Os jogadores voltaram e nao resolveram. O time esta fazendo uma apresentacao pior do que a outra. Nao reconheco o Palmeiras mais.

Me equivoquei. Achava que esse time tinha forca de campeao…estava enganado…nao passa de frangalhos, nervosos e medrosos dentro de campo.

Estou muito triste com a equipe do Palmeiras, creio que todos nos palmeirenses estamos. E chato ver a equipe amarelar desse jeito na reta final.

Com 100% de sinceridade, nao acredito mais no titulo. Entregamos o titulo mais ganho da historia nessas ultimas 4 rodadas.

Parabens pela sua analise que foi correta e digna de todo elogio.

Torcamos para que ano que vem isso nao se repita.

Junta, unida, discutindo com amabilidade e coerencia essa torcida do Palmeiras e campea, ao contrario do time.

Um grande abraco,

Breno

Eu concordo em tudo com você.

As últimas 3 rodadas poderiam ter representado pro Palmeiras um aumento na vantagem sobre o segundo colocado. Desfalques? Ok… mas que tivéssemos obtido pelo menos 5 pontos e não apenas 1. Com mais 4 pontos estaríamos a 8, repito, OITO, do segundo colocado. Agora, apenas um ponto só fez diminuir nossa vantagem. Alguém aqui vai me dizer que era tão impossível conquistar míseros 5 pontos em 9?

Sobre o Calcio, lamento muito dois gols perdidos por Vucinic no primeiro tempo que dariam a vitória fácil (e merecida, sobretudo pela primeira etapa) ao time da capital que eu tanto aprecio.

Ciao, Carmine

Concordo, a partir de agora acho que vamos entrar nos eixos novamente, nada como um adversário fraco e praticamente nocauteado e logo depois “O” clássico, que serve para arrancar de vez ( pelo menos foi isso que aconteceu nos últimos 5 jogos )

Em tempo, oq acontece com a minha Juve?

Sempre perdendo pontos bobos e no sufoco. E o ataque? concordo 100%. Essa dupla não se completa… 2 trombadores juntos não dá…

Quando o Del Piero volta?

Abraços

É ISSO AÍ CARMINE. O DURO É O TAL DE MARCÃO. MAS MESMO ASSIM SEREMOS CAMPEÕES.

Os comentários estão desativados.