Categorias
Opinião

Superação: a hora da arrancada para o título


POR VICENTE CRISCIO

A paixão nos faz passar sentimentos contraditórios. Na maioria das vezes pouco compreendido pelas pessoas.

Essa semana foi assim. Após a terceira derrota consecutiva do Palmeiras muitos jogaram a toalha. O colunista inclusive.

Dentre os mais de 300 comentários do pós jogo, um deles sugeria que eu vestisse uma roupa cor de rosa. Ofensa prá lá de séria; pode xingar minha falecida mãe – que Deus a tenha – que eu até entendo mas não me confunda com “fãs do futebol”. Sou palmeirense, e ponto.

Mas basta uma noite de sono, um dia ocupado no trabalho, atenção aos detalhes e às explicações dos palmeirenses e chega-se ao estado de puro palestrinismo: vamos lá, nossa missão não é torcer, é acreditar. Ser palmeirense é uma profissão de fé. Senão, vejamos:

  • 1999, Palestra Itália lotado. Libertadores, decisão por pênaltis. Zinho bate o primeiro, para fora. O Deportivo Cali bateu três pênaltis consecutivos e converteu todos. Mas errou os dois últimos. Palmeiras campeão!
  • Ainda em 1999; semi-final da Copa do Brasil. Palmeiras perdia por 2×0 para o Flamengo no Maracanã. No final do jogo consegue um gol achado; assim precisava vencer apenas por 2 gols de diferença no Palestra. Na segunda partida, metade do 2o tempo, o Flamengo ganha por 2×1 aos 35 minutos do 2o tempo. Galvão Bueno, narrando a partida, já dá o jogo por encerrado. O Palmeiras vira: 4×2 (nota; quem tiver o endereço dessa partida no Youtube passa prá nós).
  • Libertadores, 2000: Palmeiras e Corinthians fazem um grande jogo, quando o Corinthians vence a primeira partida com um gol “mandrake” de Vampeta. A imprensa alvinegra delira. Felipão entra em crise. Gravam sua conversa com os jogadores no treino seguinte. Felipão aos berros cobra empenho do time. “Como é que ninguem dá uma catarrada na cara desse Marcelinho? Como é que ninguém enfia o dedo ….. nele?”
    • O Palmeiras venceu a partida 2. Galeano é o herói. Pênaltis. Dida do outro lado era enorme. Tomou 5 gols em 5 chutes. Último pênalti, Marcelinho na cobrança: Marcos pegou!

São várias histórias. 270 minutos de jogos extras para vencer o Santos em 1959; invicto em 72 contra o São Paulo, isso só para ficar nas histórias de dentro de campo.

E qual a situação agora? dependemos da derrota dos adversários? Não! Dependemos de uma combinação de resultados? Não!! Dependemos da ajuda do Sobrenatural de Almeida? Não!!!

O Palmeiras – elenco, comissão técnica, diretoria e torcida – dependem de si mesmos. De mais ninguém. Tem 7 jogos para fazer. Em condições normais poderia contabilizar 7 vitórias. Não precisará de tanto. Basta vencer o adversário certo – Atlético MG  em casa na R37 – e ganhar os pontos necessários contra os demais adversários.

E quem é responsável por essa arrancada? Todos nós!! Repito, todos nós! Elenco, comissão técnica, diretoria e torcida. O Palmeirense precisa fazer uma corrente positiva. Precisa pensar no título não como algo que está escapando pelos dedos, mas como uma conquista que – se confirmada – será mais valorizada pelas dificuldades que estão se apresentando. Temos a oportunidade de fazermos uma arrancada épica! Goiás, Corinthians, Fluminense, Sport, Grêmio, Atlético MG, Botafogo. Deus do céu, quem tem medo do lobo mal? Qual desses times pode se impor ao Palmeiras? Com ou sem todos os titulares?

CONFIANÇA

Essa coisa de confiança está intimamente associada ao nosso modelo mental. No tênis, é comum grandes tenistas principalmente em partidas decisivas terem um problema de desconcentração e perderem games e sets importantes. Mas o verdadeiro campeão passa por esse processo e se recupera rapidamente. Vamos esperar que é exatamente isso que aconteceu com o Palmeiras. A desconcentração do campeão. A gordura perdida no momento certo. E vamos juntar todas as forças – emocionais, exotéricas, racionais – para empurrar esse elenco a um merecido título.

Ontem, sábado, vi vários palmeirenses de diferentes condição social vestindo a camisa. Agora cedo, domingo, em um evento perto de casa, conheci um garoto de 12 anos, palestrino, vestino nossa camisa azzurra. Seus ídolos? Marcos, Diego Souza e Love. Perguntei: vamos ser campeões? Vamos!

Nos últimos dias: Cocão, Pasqualini, Cunio e colunistas, amigos próximos, sabe o que passa na cabeça deles? Vamos ser campeões!! Esqueçam as últimas rodadas. Olhem prá frente. O campeonato começou agora, são sete jogos, e o Palmeiras larga com a vantagem de um ponto.

Cazzo! Isso é ser palmeirense.

Por isso conclamo: palmeirense vamos lotar o Palestra Itália na próxima quinta-feira. Vamos apoiar cada batalha desta corrida. Que seja vitória por 1×0, tomando bola na trave, com ou sem sufoco. Não me importa. Vamos faturar os 3 pontos e partir para o nosso maior rival (e freguesão em Brasileiros). Lá vamos buscar mais três pontos. E de três pontos em três pontos vamos construir a conquista mais importante do Palmeiras nesta década.

E que a imprensa, os adversários, a torcida alegre, que vão ao inferno. Aqui é Palmeiras!!

OFF TOPIC: SUPERAÇÃO

Por falar em superação, o leitor Sergio Mauro fez uma brilhante alusão do momento atual do Palmeiras ao automobilismo. Releiam!

Sérgio de Mauro
23/10/2009

Um corredor de F-1 tem 4s de vantagem sobre quem vem atrás, faltam 07 voltas para o fim da prova. Confortável, até, hein?
Aí o cara erra a troca de marcha, faz qualquer besteira, a vantagem cai para 1s. O que ele faz?
a) Fica com medo de perder a prova e erra mais ainda?
b) Fica com dó de si mesmo, lamentando o azar?
c) Pára nos boxes para discutir com a equipe o que aconteceu?
d) Promete para si mesmo e todo mundo que na próxima prova estará mais concentrado?
e)
Não pensa em nada (não tem tempo para isso), continua com o pé na
tábua, olhando para a frente e fechando a porta para o segundo colocado?

Assim lembrei de uma vitória de superação. De um piloto que era gênio nas pistas mas também passava pelos seus momentos de dificuldade, quando até a vitória que estava no papo corria perigo.

Leiam sobre a vitória de Ayrton Senna no GP Brasil de 1991 (a fonte é http://www.ayrtonsenna.kit.net/interlagos.html).

Senna
já era bicampeão mundial (1988 e 1990), e ainda não havia vencido em casa. A
vitória era um objetivo fixo do campeão. As Williams, pilotadas por Nigel
Mansell e Ricardo Patrese eram mais rápidas, impulsionadas pelos motores
Renault, que começavam a despontar como concorrentes sérios aos até então
imbatíveis Honda que equipavam a McLaren de Senna. A disputa pela pole
position foi um prenúncio do que seria a prova. Senna conseguiu a pole na
última volta, marcando 1m16s392, contra 1m16s775 de Patrese. A corrida
começou com Senna na liderança e Mansell em segundo. Os pit-stops seriam
determinantes. O da McLaren foi perfeito, assim como o da Williams. Mas
Mansell com um pneu avariado teve que fazer uma segunda parada, o que deu a
Senna alguns segundos de vantagem sobre Patrese, que assumiu a segunda
colocação. Neste momento, os problemas mecânicos começaram a aparecer no
carro do brasileiro. Primeiro
Senna perdeu a quarta marcha, tendo assim, que passar da terceira direto para
a quinta. Depois, nenhuma marcha funcionava sem que o piloto brasileiro
tivesse que segurar a alavanca de marchas para que ela permanecesse engatada.
Senna teve que segurar a alavanca de câmbio com a mão direita e pilotar com a
esquerda. Respirou fundo e aí rezou
“vai dar, vai dar”. Percorreu mais duas voltas e quando viu a placa
a notícia não era boa + 4-L3. Tinha perdido três segundos para Patresse. Com
isso Senna não olhou mas para a placa e desligou o radio.
Mas,
subitamente, a sete voltas do final, Senna  passou a perder sete segundos por volta, já
que nenhuma marcha mais entrava. O brasileiro, desesperado, tentou engatar a
sexta marcha e, por pura sorte, ela entrou. Foi aí que Senna percebeu que
teria que terminar o GP Brasil de 1991 com apenas uma marcha, a sexta,
enquanto a Williams de Patrese se aproximava velozmente. O italiano,
informado que Senna tinha problemas, tentou aproximar-se, mas seu carro
também não estava em condições ideais. Ele tirava de dois a três segundos por
volta, mas isso não era o suficiente para chegar em condições de ultrapassar
Senna. Faltando duas voltas para o final, começou a chover em Interlagos, o
que acabou decidindo a corrida. Patrese preferiu não se arriscar e tratou de
garantir o segundo lugar. Mas Senna não sabia disso, e, com um esforço
imenso, levou o carro à bandeirada de chegada. Após cruzar a linha final,
Senna permaneceu no carro, sem forças para sair. Depois, auxiliado, entrou em
um carro da organização e foi para os boxes. No pódio ficou evidente seu
esforço para obter a vitória. Ele mal conseguiu levantar a taça(FOTO),
precisando da ajuda de Ron Dennis, para delírio da torcida.

“Se esse era o preço de ganhar no Brasil, foi barato. Valeu”  Ayrton Senna

Do alto da minha insignificância vou repetir Ayrton Senna: se esse for o preço para o Palmeiras ganhar esse título, vai ser barato!

Vamos Palmeiras, vamos buscar esse título!!!

34 respostas em “Superação: a hora da arrancada para o título”

Lucélia, obrigado.
Túlio, a vitória do Senna foi épica assim como será a nossa.
Marcio, fazia tempo hein? Vamos lá meu caro, apesar dos pesares, vamos torcer.

Abraços a todos e bom dia.

Diretamente de Michigan – USA – EU ACREDITO!
Bota essa faixa la no Palestra na proxima quinta-feira que vou estar ligado na Justin TV.
Efusivas saudacoes alviverdes.

Criscio, maravilhoso! MARAVILHOSO! Fiquei muito emocionada com o seu texto…estou arrepiada.
Concordo com cada letra, com cada linha escrita. Gostaria que os jogadores tivessem acesso a esse artigo. Realmente, muito emocionante. Tanto as lembranças de jogos históricos, como os exemplos com a história do Senna.
Estou realmente muito emocionada, e confiante nesse titulo. Pois eu ainda acredito que dá. Minha fé empurra. Minha confiança está muito forte.

E vou salvar esse texto, para no final do campeonato, eu ler novamente. Mas, quero ler sendo campeã, e lembrar desse momento difícil, e dar risada, rs.

Parabéns.

Sensacional, tanto a sua análise quanto a historia do Senna – já tinha ouvido falar sobre ela, mas não tao detalhadamente. Valeu!

Daniel#15 e Danilo #26

Não precisavam humilhar….

Ia tecer um rosário de lamentações, ainda não me sinto disposta a procurar a toalha que joguei…Principalmente depois da rodada de ontem, quando depois de ter passado toda a era do gordo sem derramar uma lágrima (porque desenvolvi um certo traquejo sarcástico), chorei durante 10 minutos…

Não quero repetir a experiência.

Daniel (#15) quando coloquei meu comentário não tinha lido o seu. Fantástico.

Xavier (#26) , do cacete!

Vicente

Daniel (#15), seu depoimento é de f.!
Sobre o próximo jogo, até acho, atualmente, nosso time mais fraco que o do Goiás. Mas e daí? No nível que estão os times nesse campeonato, o que conta é a garra, a união e a superação quando a bola rolar. Se os jogadores acreditarem que podem vencer e derem as mãos, vão vencer!

É NECESSÁRIO QUE OS JOGADORES LEIAM ESSA MATÉRIA, NOTA 10.

Para vc Vicente:

Eu sou Palmeiras.
Eu sou devoto de São Marcos.
Eu sou aquele vai ao estádio porque ama, não porque está na moda.
Eu sou aquele que xinga, mas que não admite que os outros ofendam nossa paixão.
Eu sou aquele que chora na vitória, por amar demais.
Eu sou mais um daqueles que bate no peito e diz: aqui é palmeiras! (mesmo na derrota).
Eu sou o penalti do Zapata batido para fora.
Eu sou o gol de placa do Alex.
Eu sou a garra desmedida de Galeanos, Pierres e Dudus.
Eu sou a cabeça abençoada de Leivinhas, Césares Malucos e Oséas.
Eu sou o tempo que pára nos pés de Evair, Ademir e Djalmas de tantas gerações.
Eu sou uma tarde de domingo no Palestra.
Eu sou aquele que tem história.
Eu sou aquele que xinga em italiano mesmo sem ascendência.
Eu sou aquele que sabe que o destino premia uma paixão assim, sem limites.
Eu sou aquele que vai ser campeão brasileiro de 2009.
Porque esse negócio de ganhar campeonato com “x” rodadas de antecipação é para bambi!
E, principalmente, porque agora sim é que vai ser gostoso ser campeão. Depois de ver todos proclamarem (tolos!) a morte de um imortal…
Eu sou o Palmeiras. Antes de mais nada, eu sou a fé.

Vicente,

Acredito que a frase mais importante desta semana que os jogadores devem houver é:

“E o Palmeiras no ardor da partida
Transformando a lealdade em padrão
Sabe sempre levar de vencida
E mostrar que de fato é CAMPEÃO”

Ela está em nosso hino e não é por coinscidencia, não é mesmo??

Aliás nada mais apropriado do que o nosso hino pra levar nosso Verdão pro título. Tudo que estamos falando está lá.

Recomendo que no jogo ele seja cantado o tempo todo para os jogadores lembrarem onde estão e honrarem nossa camisa

abs

Com a paciência dos amigos, me permito repetir um comentário meu de sexta-feira, atualizado.

Terminada a 31ª rodada, a nossa vantagem na liderança é de 1 ponto. PONTO.

2ª feira é dia de TODOS (JOGADORES, COMISSÃO, DIRIGENTES E TORCEDORES) passarmos uma borracha em tudo o que aconteceu até aqui.

Esquecer o que foi feito de bom e de ruim. Não interessa mais. Não vai voltar, nem para o bem, nem para o mal.

Botar na cabeça que faltam 07 jogos, Palmeiras à frente. Dane-se se poderiam ser mais pontos de vantagem, isso é passado.

E jogar a reta final dando tudo, olhando apenas para frente. Pro inferno com todo o resto!

Desculpem a insistência, mas a hora dos profissionais do Palmeiras se atentarem à nossa situação exata é agora.

A partir de amanhã, trabalho sério, pouco falatório e concentração no Goiás, apenas. Esquecer os 31 jogos anteriores e o seguinte.

A torcida vai estar lá e vai apoiar muito, com certeza! Que mostrem desde o início toda garra e brio, os torcedores jogarão junto desde o apito inicial.

Já pro treino, Palmeiras!!

7 jogos , 3 deles no nosso estádio , quem é o vai para ganhar essas partidas ? NÓS !!!! vão restar 4 jogos, clássico contra o Corinthians, quem é ganahr ? NÓS !!! Restam só 3 !!! Botafogo na última rodada rebaixado , quem vai ganhar ? NÓS !!! Será que é algum bixo de 7 cabeças esses jogos ?? E os jogos contra Flu e Gremio fora de casa, qual a dificuldade de ganhar do rebaixado Fluminense e do Gremio, que não estará em busca de mais nada ? Vamos tratar um jogo de cada vez, mas o Palmeiras é favorito pra ganhar as 7 partidas… EU ACREDITO !!!!!

Cássio, respondo já: apenas suspensão automática.

Criscio, parabéns pela coluna. Maravilhosa.

Se o V.Love pegou dois jogos de suspensão,quantos jogos merece o BambiCeni depois de tudo que disse para o juiz hoje?

Vamos aguardar.

Esta história do Senna é sensacional.
É inspiradora.Ele sabia que pela máquina perderia a corrida,mas a superação dele foi recompensada pela chuva.

Danem-se os adversários.É a hora de empurrar o time até o último segundo do último jogo.Os adversários continuam atrás de nós.Se nós deixarmos o psicológico do time cair.Os outros times vão perder pontos ainda.

É possível uma arrancada com 7 vitórias.É hora do psicológico entrar em campo.

Quinta-feira estarei lá.Espero um jogo épico.Espero ainda mais um Palestra com um clima diferenciado.
Vai ser na base da superação de todos,mas vai ser.

SDS.

Vicente que boa notícia essa do Pierri, e nesse meio tempo tambem deve retornar o Maurício Ramos.
Pelos resultados até aqui, não nos resta outra alternativa, temos que ganhar do Goiás na quinta-feira para mantermos a dianteira.
Estou confiante nestes 3 pontos contra o goiás.

Fabiano, Allan, Marcelo, Daniel, enfim todos os amigos: vamos lá. tem que dar caramba…

Sobre Pierre: apenas entre nós e a turma do 3VV. Grandes chances de voltar em 3 ou 4 rodadas. E não prá ficar só no banco.

E já que a rodada foi boa pros adversários todos, que ganhe o Flamengo. Desgraça pouca é bobagem.

Vamos em frente…

Vicente

Vicente, vou aproveitar e contar o meu relato sobre essa partida.

Sempre estudei no Colégio Rio Branco e tive a sorte de pertencer ao Grupo de Teatro Rio Branco, que já revelou alguns bons atores que vemos hoje na TV e nos palcos. Para citar dois: Dan Stulbach foi do grupo, e o repórter da Sportv, Marcos Peres, também.

Nesse dia heróico, havíamos acabado de encenar uma peça educativa (sobre HIV) para os alunos do ensino fundamental, escrita, dirigida e encenada por alunos e ex-alunos do colégio (na época eu já era um ex-aluno, havia terminado o colegial em 1998, mas ainda arrumava tempo para participar do Grupo).

Uma das tradições do Grupo era comer pizza depois das apresentações. Nesse dia, eu e um grande amigo, Luis Fernando (que Deus o tenha, pois nos deixou ao final de 2004 – uma grande perda), palmeirenses e fanáticos, não aceitamos comer pizza ao lado do Colégio:

– Estamos indo para a Papa Genovese, do lado do Palestra! Quem quiser, nos acompanhe!

Como alguns de nós já tínhamos habilitação e, nessa fase, qualquer voltinha de carro é um delírio, todo mundo aceitou.

Paramos o carro na Papa Genovese e enquanto o jogo não terminou, não entramos para comer. Ouvimos a explosão da torcida nos três gols da virada lá da Rua Turiassu.

Já tinha esse momento como o mais importante da minha vida como palestrino. Depois da morte do Luisinho, passei a me lembrar desses minutos como dos mais importantes para a minha vida pessoal, passou do plano torcedor para o particular. Porque foi quando eu vivi o que um amor por um clube pode fazer: unir pessoas em prol de uma única causa!

Vocês podem perguntar se eu me lembraria do Luisinho mesmo se não tivesse passado por isso com ele. Com certeza me lembraria! Mas viver esse momento ao seu lado, dois adolescentes gritando na Rua Turiassu, carro aberto e rádio ligado em frente à Papa Genovese, pulando com a torcida que estava lá dentro…Isso fez toda a diferença para a maneira como me recordo dele hoje!

Isso é ser palmeirense.

Forza! Scoppia che la vittoria è nostra!

Belíssimo texto, me emocionei :). Ai meu Palmeiras, haja emocional…

Bom, a cada dia passa um pouco a raiva. A desconfiança ainda existe, mas até quinta eu sei que também passará.

Creio que com os adversários na cola como estão agora, e o time levando bronca a semana inteira, a coisa melhora no jogo.

Mas que a imprensa está numa alegria danada, ahhh tá…

Evidente, que pelos números temos chances, mas os jogadores demonstram não ter vontade, infelizmente, por questões internas. E eu perco o sono por causa deles ! O problema é que não temos um Felipão, como em 98, 99 e 00 ! Ele ficava nervoso nas entrevistas do pós jogo ? Sim, ficava. Mas, dava uma satisfação ao torcedor, e o técnico atual, o que faz ? Nada ! Mal sabe fazer uma substituição pra mudar o esquema de jogo durante a partida. Além disso, jogadores experientes municiam a tal ” imprensa “, com fatos que devem ser decididos e discutidos internamente. Vale lembrar, no segundo turno do campeonato passado, o que aconteceu com a equipe depois do jogo contra o Grêmio. Rachou de vez ! Espero que a presidência consiga colocar a casa em ordem, ou seja, assuntos internos são para serem discutidos entre eles. Enfim, queria ter a esperança, mas, infelizmente, ela se foi na quarta-feira, de mãos dadas com o meu sono.

Também acho mais facil aceitar um xingamento a minha mãe do que me chamar de bambi ou algo do tipo. Mas, isso alguns aqui ja sabem…

Eu sempre disse que os jogos do PALMEIRAS não são tão fáceis como falaram a 3 ou 4 rodadas atrás. Parece que as pessoas não levam em conta o PALMEIRAS, sua história, sua “tradição” na hora de fazer essas análises. Nosso caminho era extremamente difícil. COm times pqnos, com Goias no PALESTRA e time brigando para não cair… sempre temos dificuldades nessas situações.

Mas, ser um campeão é vencer as dificuldades. Superar os obstáculos da “pista” e os próprios. Não é hora de nome de jogador fazer a diferença. O espírito tem que se inflamar, jogar no instinto.

E temos que nos lembrar que nas ultimas 16rodadas fomos líderes. E que nessas 16 rodadas, já tivemos outra sequencia parecida, logo que assumimos a ponto. Que os bambis chegaram a empatar e mesmo assim abrimos 5 pontos d vantagem de novo. Agora ninguem empatou, SOMOS LÍDERES, SOMOS O TIME QUE CONQUISTOU A LIDERANÇA, ENTÃO TB SOMOS O TIME CAPAZ DE LEVANTAR A TAÇA.

Vicente, sugiro uma campanha imediata: Pierre no banco, já!! Não, não é pra ele jogar, somente pra FICAR NO BANCO! Lembra-se do jogo contra o Colo-Colo quando ele chorou na beira do gramado pela lesão? Voltou pra salvar aquela bola quase em cima da linha??? O Pierre é o espirito, a inspiração deste time!!! Campanha pro Muricy colocar o Pierre no banco. Não é pra ele jogar, coloca ele como auxiliar, sei lá!!! So sei que com ele no campo, a gente COM CERTEZA levanta esse caneco. PIERRE NO BANCO JÁ!

Vicente, esse é o melhor texto (tirando os das categórias técnicas – arena, balanços, etc) que eu li no 3VV desde que eu comecei a acompanhar o site 2 anos atrás.

FANTÁSTICO!!!!

Já esqueci que você jogoua toalha depois do último jogo.
Vamos lá. Pra cima.
Ganhar sem Pierre. Sem Maurício Ramos. Sem Cleiton Xavier. Sem Vágner Love.

É Marcão , Jumar e Obina mesmo.
MAS É PALMEIRAS!!!!!

Selecionei mais 2 vídeos para todos aqueles que não acreditam mais no Título:
Manchete da época: “Palmeiras fora da Libertadores na Primeira Fase.”
http://www.youtube.com/watch?v=yrZhERCTIAc – Contra o Sport na Ilha.

http://www.youtube.com/watch?v=LNCbhyQ2cbk – LDU e Colo-Colo.

Detalhe: TODOS ESTES JOGOS FORAM ESTE ANO, CATSO!!! Tudo bem, ninguem gosta de sofrer, mas já cansamos de provar que, mesmo quando nós mesmo criamos as dificuldades, NÓS MESMOS AS RESOLVEMOS!! Não somos como a visinha de muro, que apela pra “mamãe”, pra resolver os seus problemas!!!

SOMOS PALMEIRAS! QUEM QUISER VIDA FÁCIL, SE VISTA DE ROSA, MUDE DE TIME E PASSE A SER FÃ DE FUTEBOL!!!!

AQUI É PALMEIRAS!!!!

Andei sumido já faz algum tempo dos comentários, apesar de não deixar de ler o 3VV. Não comentei quando estávamos em alta e nem quando estavamos em baixa. Mas uma coisa é verdade: quando ganhamos, os comentários não passam de 100, 120. Nestes 3 ultimos jogos, todos passaram de 200. Isso quer dizer o que? Que somos “corneteiros” de plantão? Ou que nós temos uma tendencia de valorizar nossas dificuldades? Eu me lembrava do jogo de 1999, mas depois de ver o seguinte vídeo no Youtube (http://www.youtube.com/watch?v=FCebgeX_3hI) lembrei o prazer de ser Palmeirense! É o mesmo conteúdo do vídeo indicado pelo Marcelo, mas com a visão de quem tem o Palmeiras no coração. Não vou esconder: TODAS as vezes que o revejo (baixei para o meu PC), eu CHORO. Choro com o coração satisfeito por torcer para o time que tem superações maravilhosas na história e que SEMPRE teve que superar os desafios. Vez por outra, temos esquadrões que nos maravilham pela sua arte. Se traçarmos um paralelo com a história italiana, houveram momentos de arte, de inspiração, mas muitos momentos de luta, de conquistas e de superação. Houve momentos de vergonha e de desilução, mas nunca esses momentos são os lembrados. Os que ficam para a história são os momentos em que cada homem tira, de dentro de si, a sua força e a sua garra. São os momentos em que, apesar dos revezes, a luta era mais do que necessária, ela era a própria vida. Vejam o vídeo que indiquei. também fiquei indignado com os ultimos jogos. Perguntei-me: O que está acontecendo? O que houve? Mas, por não ter conhecimentos que possam fundamentar algo, essas perguntas devem ser esquecidas. O que devemos fazer? Tão simples que pode ser resumido em apenas 2 palavras: ACREDITAR E LUTAR.

Vicente, vou ser bem sincero. Se o Palmeiras for ganhando os jogos, vou comemorar tanto quanto qualquer outro palmeirense apaixonado. Se formos campeoes, vamos olhar pra tudo isso e dar risada (e obviamente vamos celebrar MUITO!). O que hoje vemos como uma enorme pipocada passara a ser visto como um pequeno tropeco que serviu para dar mais emocao e heroismo ao titulo!

Isso dito, nao vou mentir. Esgotei o meu estoque de raiva e decepcao com esse time esse ano. Logo, prefiro me resignar e achar que nao vai dar e tudo o que vier acima disso sera uma surpresa positiva. Nao vou deixar esse time me pegar de calcas curtas. Obviamente tudo isso vale na teoria, porque na pratica, quando a bola estiver rolando, a gente nao controla as emocoes…

Desculpe ser uma voz meio pessimista depois de um post tao “pra cima”, mas no meu caso nem quatro noites de sono foram o suficiente pra curar minha perplexidade, inconformismo e decepcao.

Amigos, peço desculpas, mas, ainda não recuperei o astral e a confiança neste time, até quinta acho que já estarei melhor…

Concordo Criscio. Nada de pessimismo! É hora de acreditar e confiar… embora justamente agora o time tenha passado uma imagem que nos remete exatamente ao contrário.

Vamos fazer a nossa parte, que é comparecer ao Palestra e incentivar a equipe durante os 90 minutos. Que os jogadores façam a parte deles e sejamos campeõe!!

e atendendo seu pedido, aqui está o link do jogo da Copa do Brasil de 99 (na verdade era 4ªs de final, pq fomos eliminados na semifinal contra o Botafogo nos penaltis):
http://www.youtube.com/watch?v=7lRxqKw1ASw

E tem também o discurso do Felipão nos vestiários da Academia de futebol antes do segundo jogo contra a gambazada na Libertadores 2000. SENSACIONAL!!!:
http://www.youtube.com/watch?v=9TQl3SrxbX0

Abraços!!

queria ter sua confianca . com um time que nao ta jogando nada . sem piere sem cleiton sem mauricio ! ganhar esse brasileiro e impossivel . cada um tem seu pensamento , galo ja esta batento na porta .

Vicente cada um pensa de uma maneira……….dizem que não adianta chorar o leite derramado…e olha que eu não gosto de leite…..tivemos 11 jogos para ganhar talvez 5 e ser campeão…..agora temos jogos terríveis e desfalques….se não teve briga,ciúmes,etc….esses jogadores devem ser responsabilizados se não ganhar essa taça…..perderam pra 2 clubes que devem ser rebaixados e um ponto em 2 jogos em casa…………………

Os comentários estão desativados.