Categorias
Corneta do Cunio

A Corneta do Cunio – Melancolia

 


POR ALBERTO CUNIO


 


Decepção. Se a coluna parecer escrita por um anti-J (referência ao nosso ilustre historiador do clube e colunista do 3VV), quero perdão.


 


O ano de 1976 foi emblemático na história do futebol palestrino. Foi o ano em que o “fio virou”. Todo o brilhantismo, magia, superação e heroísmo anterior a esta data, parece ter se esfacelado ao longo dos anos subseqüentes e deixado apenas resquícios espalhados aleatoriamente. Estamos falando de uma data que faz 33 anos. É muito tempo.


 


Há um lema que é decisivo para se atingir qualquer forma de sucesso: quando começamos a nos acostumar com o que é errado, chegamos ao início do fim. E somos a prova cabal deste lema desde a data supracitada. Façamos um PEQUENO paralelo:


 


1-    Primeiro time do interior a se sagrar Campeão Brasileiro: Guarani. Vice?


2-    Primeiro time do interior a se sagrar Campeão Paulista: Inter de Limeira. Vice?


3-    Copa do Brasil: Ceará, ASA, Santo André, Ipatinga. Eliminação. Em casa.


4-    Campeonato Paulista: XV de Jaú (1985 – 2×3 em pleno Palestra. 3º gol feito pelo Lateral-Esquerdo Felício, seu único gol na carreira. A vitória nos levaria à final); Bragantino (1989 – 0x3 em Bragança, única derrota da equipe no Campeonato); Paulista Jundiaí (2004 – Nos pênaltis, após Lúcio jogar fora nosso ingresso na final). Eliminações.


5-    O rebaixamento à Série B em 2002 já passou até do épico, para entrar na esfera do “romântico”.


 


Vejamos breves exemplos de nossos 2 arquirrivais:


 


1-    Finais de Brasileiro contra Guarani e Bragantino. Título.


2-    Finais de Campeonato Paulista contra Ponte Preta, São José, Botafogo-SP. Título.


3-    Copa do Brasil: em desvantagem contra Treze-PB, Sampaio Corrêa-MA, Cianorte-PR. Vitória. Brasiliense? Título.


 


Quem quiser lembrar mais episódios, deleite-se.


 


Um breve hiato entre 1993-2000 nos fez acreditar que algo havia mudado. Período em que aquele que se arrastava pelo chão ganhou uma muleta e conseguiu andar. Com ajuda.


 


Nada mudou. Somos os eternos perseguidos dos tribunais, das arbitragens, dos políticos, da imprensa, da nossa própria torcida, de nossos mandatários e rivais internos, até da Companhia de Engenharia de Tráfego. Paranóia coletiva. Delírio persecutório. Patologias crônicas, incuráveis.


 


Quando entendermos as verdadeiras razões e os porquês de sermos SEMPRE os únicos protagonistas deste tipo de tragédia, talvez consigamos retomar a rota anterior a 1976.


 


SAUDADES temos de algo que não temos mais, mas ainda é possível rever ou recuperar.


NOSTALGIA temos da pátria, ou de tempos de glória, que não voltam mais.


 


Nós temos falta de algo que nos agonia, atormenta, nos dá uma sensação de vazio, principalmente porque nem sabemos mais o que é: isso é MELANCOLIA.


 


P.S.: Corneta? Para todos nós. Que fazemos o Palmeiras existir.

42 respostas em “A Corneta do Cunio – Melancolia”

Albertão, acusamos o golpe de suas palavras…complicado. Quem como eu ficou chupando manga de 76 a 93 para ver Palmeiras campeão sabe o que é isso…e de lá pra cá teve muita tragédia e alegria também…Sem duvida não cabe a um clube como Palmeiras depender de estatísticas para ser campeão (“quem sabe uma vez a cada dez anos, se tudo der certo e os outros cagarem, seremos campeões”). Deixamos isso para quem não tem história e não tem o que perder com os anos que passam. O trabalho agora é IMEDIATAMENTE de longo prazo com o prof Belluzo, pensando em direção técnica, elenco, estrutura e CULTURA VENCEDORA (algum jogador destes já visitou nossa sala de trofeus??) Precisamos dar força urgentemente para as categorias de base. Alguém viu alguém do Palmeiras B ou sub-20 sequer ser cogitado para substituir os lesionados?? Não temos nunhum talento no clube com um total de 35 profissionais cuidando das categorias de base?? Amigos, o negão disputou uma copa com 16-17 anos, ok, o cara era gênio…mas temos que rever nossos conceitos…senão teremos que contar com jogador recauchutado para resolver nossos problemas (Para os que não gostam do Luxa, lamento mas ele era mais ousado neste ponto). Forza Palestra!!! Palmeiras nossa cachaça…Albertozzi, estamos juntos nesta, mas tá foda acompanhar o Verdão de longe, abs

Caramba a discussão ta quente…. mas é isso, Palmeiras é isso…. Descordo com o seu texto Cunio… um time de futebol não se faz só de titulos…. se faz da Paixão, do amor …. também não concordo com quem fala que Paulista é titulo pequeno… ou de menor importancia,,,, um dia vi o Rivelino falando que se ele pudesse ele trocaria o mundial de 70 por um titulo paulista pelos gambás ….( e pelo jeito que ele falou era verdade)

Os comentários estão desativados.