Categorias
Italiano

Doçura ou travessura?

POR CARMINE PACIELLO

* Começamos com a 10^
rodada que foi caracterizada da uma boa percentual de realização: 34 gols, uma
média de 1,7 por jogo e do “golpe e contragolpe” entre Juventus e Inter.

* No melhor jogo da
temporada, como o mesmo Ferrara definiu o match, a Juventus assume a
vice-liderança ao derrotar a Sampdoria (5 x 1), até então o time revelação do
campeonato, com uma prestação finalmente convincente. Enfim parece que o técnico
entendeu a necessidade de escalar um 4/2/3/1 com Diego mais avançado, livre de
criar e tendo aos lados dois jogadores técnicos e ágeis como Giovinco na
esquerda e um Camoranesi a nível “mundial” na direita, com eles nas costas
Amauri que marcou dois gols tem a certeza de um contínuo “municionamento”. E a
Samp? A falta do seu capitão, Palombo, o homem de maior sustância do time, não
justifica a prova incolor do time que teve um Cassano praticamente anulado; a
Juve assim continua a ser o maior carrasco do técnico Del Neri que em 14 jogos
nunca ganhou contra os bianconeri e só empatou uma vez. 

* Um Napoli nunca amansado
empata no acréscimo (ao 91° e 93°) contra o Milan, justamente repetindo as impurezas
contra o Bologna e, sobretudo contra a Fiorentina. Ao contrário do seu costume
desta vez os rossoneri tiveram uma forte saída e em 6 minutos, com dois
fulminantes contragolpes realizaram a dupla vantagem com o eterno Inzaghi (que não
bebe, não fuma, come biscoitos liofilizzati para bebê, então faz sexo? mistério!)
e o rápido Pato. Depois disso, em um excesso di sicurezza, o Milan achou o jogo
terminado, deixou espaço ao Napoli que iniciou a pressionar e com um 2° tempo
empolgante chegou ao empate com uma bomba de Cigarini e um cabeceio do argentino
Denis. Os azzurri podem ainda reclamar pois o juiz não deu dois pênaltis claros
e “salvou” Pirlo, que, já “amarelado”, deveria ser expulso ao fazer uma dura
falta sobre Lavezzi.

* Em um jogo
emocionante a Inter venceu contra um ótimo Palermo comandado do “Mister futuro”
Zenga, já ídolo na Inter, que deixa S. Siro aplaudidos dos interistas ao
demonstrar a própria habilidade de técnico. 
No 1° tempo a Inter teve uma prestação perfeita, com destaque de Maicon
e, sobretudo, de Balotelli (que com forte gripe saiu no intervalo). Super Mario
participou aos quatro gols ao dar uma assistência, ao procurar o pênalti e mesmo
marcando duas vezes. No 2° tempo Zenga mudou o time tirando um lateral para
colocar o atacante Abel Hernandez. O jovem (19) uruguayano formou assim um
ataque com o compatriota Cavani e com o bomber Miccoli mais o meia Pastore: o
quarteto infernizou a Inter que acabou sofrendo três gols em 20 minutos. Quando
o inteiro estádio se preparava ao empate os nerazzurri reagiram com uma jogada
individual de Maicon que cruzou para Milito marcar o definitivo 5 x 3.

* 11^ rodada: Campeonato
já terminado?

* Claro que não,
absolutamente! A campanha vai terminar em maio e tudo pode ainda acontecer apesar
de que a Inter (vitória externa contra o Livorno com gols de Milito e de um
soberbo Maicon) mandou um sinal evidente que pode ser reassumido em poucos, mas
significativos dados: 28 pontos sobre 33 disponíveis, quatro pontos e 11 gols a
mais respeito o ano passado, +7 sobre os 2° colocados depois da 11^ rodada.

* 20 de novembro 1988:
Juventus 3 x 5 Napoli. Eram 21 anos que o Napoli (um time astral no qual
jogavam Maradona, Careca, Alemão e o mesmo Ferrara) não vencia em Turim contra
os bianconeri. E todo deixava entender em outro ano na fila quando ao 35°
Giovinco marcava o 2° gol graças a uma obscena falha do zg azzurro Contini que
deu de presente a bola para a formiga atômica; isto apesar de que a Juve não
havia impressionado. No 2°tempo Mazzarri, até agora invicto com três vitorias e
um empate em quatro jogos, escalou Jesus Alberto Datolo com a ordem de explorar
a ala esquerda: foi a táctica que mudou o jogo com o ex jogador do Boca Junior
que foi decisivo na virada do Napoli. 
Foi ele que cruzou para Hamsick marcar o 1° gol do Napoli, depois
realizou o empate e, enfim, com a zaga juventina vendo as bruxas de Halloween,
participou ao 3° gol, ainda uma vez marcado por Hamsick. Foi “um terrificante murro
no rosto” como admitiu Ferrara com Mazzarri que deu esse KO tático mostrando um
time com a sua cara: bem organizado e de forte personalidade.  

* Diego foi
imensamente vazio: deve levar o time mas até agora não mostra essa capacidade.  Enquanto Felipe Melo demonstrou ser um verdadeiro
“pippa” (nulidade, azelha); os torcedores da Juventus estão desesperados e querem
de volta o volante Zanetti, do ala Marchionni e, sobretudo dos 22 ml. de €uros
que foram dissipados por ele.

* Importante a vitória
do Milan (2 x 0) contra o Parma: a novidade foi Ronaldinho que jogou bem dando duas
 assistências para Borriello marcar os
gols e a confirma que em janeiro volta Beckham.

* Na 1^ vez contra o
time da sua cidade, Bari, um emocionado Cassano não se deu bem assim como o
inteiro time da Sampdoria e foi até contestado por uma parta da torcida. Inconformado
Fantantonio lembrou que a Sampdoria está no 2° lugar, uma colocação ótima, então
se as vaias continuar ele vai sair.

* Depois de três derrotas
em seguida a Roma voltou a vencer (2 x 1). Adailton abriu o placar para o
Bologna, mas Vucinic (vaiado pela própria torcida) foi pronto a empatar. No 2°
tempo Perrotta fez o gol da virada aproveitando do rebote do goleiro do Bologna
que, com 9 pontos, está em plena zona de rebaixamento. Já a Roma, ao 14° lugar,
se prepara com mais tranqüilidade ao desafio contra a líder.

* Continua a queda
livre da Lazio que apesar do empate contra a lanterna Siena pode ter uma troca
de técnicos: será que Mancini (que era ainda vinculado, mas anulou o contrato
com a Inter) vai assumir logo?